domingo, 7 de dezembro de 2008

E NÃO É QUE O BRITO TEM RAZÃO?

O Paulo Brito, meu amigo e polêmico comentarista de esportes da CBN/Diário, mandou uma cartinha para o blog do Aluízio Amorim contando as desventuras dele na SC-401 ontem, sábado. Roubei e trouxe pra cá porque acho que é bem representativa do sentimento de muita gente a respeito dos problemas que os brasileiros enfrentam todos os dias:
“Hoje à tarde, depois do meio-dia fui até a Praia de Jurerê para cumprir um compromisso social da família e levei duas horas do bairro João Paulo (ex-Saco Grande) até a Praça do Pedágio. (Para quem não conhece a Ilha, só para ter uma idéia, o trecho citado não tem nem dez quilômetros, mas demora duas horas para ser vencido, ou seja, o mesmo tempo que se gasta de Florianópolis a Joinville, trajeto em torno de 200 quilômetros).

O motorista que seguir pelas duas faixas até local onde despencou a barreira, passa por bobo. Aquele que segue a lei do trânsito, o que obedece o Código de Trânsito, é penalizado pelos mal-educados que trafegam pelo acostamento.

Não se vê nenhum guarda e quando encontra um no topo do morro, no desvio para Santo Antônio, pela estrada velha, escuta uma desculpa: "Estamos com falta de efetivo e eu não se pode fazer nada".

Mas o que é que ele está fazendo no topo do morro? Lá não há necessidade de guarda, porque a fila é "indiana", e no acostamento, no lado de baixo do morro, acontece de tudo.

Tive a petulância de colocar meu automóvel no acostamento e trafegar na mesma velocidade das duas pistas. Os espertos e “educados” subiam na calçada, passavam por cima da grama, entravam nos postos de gasolina, nas entradas das empresas e não se respeitavam.

Um cidadão ficou indignado porque eu trafegava devagar. Queria que eu acelerasse, como se ele tivesse este direito sobre todos os outros. Não satisfeito desceu e chutou a porta do meu carro.

Ao tentar reagir fui impedido, primeiro pela mulher do valentão e depois pela turma do deixa-disso, enquanto o botocudo saíu trafegando por cima da grama como se não houvesse lei.

O único guarda que encontrei desculpou-se como um "não posso fazer nada..."

Então para quê a polícia se ela não pode fazer nada?

Alguém me respondeu que eu não devia me meter porque se trata de um caso de polícia e a ela cabe coibir, fiscalizar e reprimir. Ao que retruquei: então, quando eu for testemunha de um roubo de uma casa, de automóvel, de uma pessoa, de uma tentativa de assassinado, de um incêndio também deve ficar calado e não tomar nenhuma providência?

Que país é esse? Que solidariedade é essa dos catarinenses que nem respeitam o cidadão que obedece as leis do trânsito em uma estrada?

Sobre a SC-401, há tecnologia nova para remover todo o barro e pedra que despencou sobre a rodovia, justamente pela “competência” dos nossos engenheiros que adoram cones para corrigir os seus erros.”

24 comentários:

Anônimo disse...

Este é o Governo do Luiz Henrique!

Carlos disse...

A degradação moral vem de cima para baixo !
Leis ? ora direis, são só para os idiotas !
Os espertos ignoram as leis de trânsito, as leis eleitorais, as leis dos call-centers, as leis da decência... e dá nisso.
Até que chegar o dia em que nem Paulo Brito ou Rogério Queirós ousarão se indignar !
Aí sim, o Haiti vai ser aqui !

Anonimo da Silva disse...

Nenhuma surpresa! Uma cidade numa ilha, com terreno acidentado, na qual não existe planejamento urbano (Já ouvi até prefeitos desqualificarem o IPUF)só pode dar nisso. Beleza vai ser quando aumentarem o gabarito do Saco Grande, do terreno da penitenciária, quando terminarem o parque sapiens, quando aumentarem a população do Campeche! Ai sim , vamos ter saudades dos dias de hoje! Cá prá nós, o centro da cidade é morto, não é possível passear por lá nos finais de semana e só restam as praias.

LesPaul disse...

Quando digo que a Ilha M O R R E U Morreu sim. Aacendam uma vela por ela. Quem conheceu, conheceu. Há uma INCOMPETÊNCIA GENERALIZADA. Muita incompetência. Pior. Falta de coragem para logística que a situação demanda. Por exemplo. Um engenheiro sugeriu que nos horários de pico, enquanto não liberar as pistas da SC 401 o fluxo de quem vem ou vai para o Norte deveria ser exclusivamente por dentro do Cacupé, de acordo com a demanda do horário (manhã: Norte - Centro - Final de tarde: Centro - Norte). Me disse que os novos bacanas, muitos 'haoles' (recém chegados, neófitos nas tradições e na cultura local) ligados a otoridadis locais não menos 'bacanas' rechaçaram vigorosamente a idéia. "Deixem-nos quietos", pois, segundo uma opinião técnica haveria risco de o tráfego pesado desestabilizar as novas construções que INFESTARAM as encostas até dois três anos ainda virgens daquele restinho de paraíso que era Cacupé. Se vc olhar do mar vai ter uma visão dantesca do descalabro PERMITIDO desavergonhadamente pelo poder público. Nascentes que desembocavam em pequenos leitos primeiro viraram fiapos, depois os leitos fragilizados desapareceram e com eles muitos passáros estão sem pai nem mãe e nem água; capões, bambuzais (pq atrai cobra), nativas frutíferas ou não desapareceram. Impermeabilizaram boa parte dos terrenos desmatados, os bichos (pequenos animais e aves se não sumiram estão desaparecendo aceleradamente). Cesar, lamentavelmente o decreto do legista é : A ILHA ESTÁ MORTA. E não somos sobreviventes, somos apenas zumbis de carona num bonde comandado por INCOMPETENTES.

Anônimo disse...

Tio César,

Somente para ilustrar, falta efetivo da Polícia Militar para cuidar do trânsito na SC 401 (via pública) mas não falta para cuidar das vagas privativas do estacionamento da sede do Poder Judiciário.

Lélia disse...

Oi César!
Lindo domingo de Sol,hem amigo?
Passamos pelo o mesmo constrangimento do A.Amorim na noite de 28/11 quando fomos assistir o espetáculo de danças do Grupo Nacional da Polônia,o Mazowsze.Levamos 1h.15minutos do centro ao teatro. Claro,que os espertinhos de plantão chegaram em menos tempo...
Um abraço,

(César, tens duas fotos aí ao lado que eu gostava de publicar no blog que assino na RTP-Açores - ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/comunidades -, como faço para ter a devida autorização. Um está no DVera(Voluntários)e outra é sobre engarrafamento(Canga?)Podes me orientar? Obrigada.

LesPaul disse...

Acabou de dar no Moacir. LXV liberou às 11 horaqs a SC 401. Foi muita pressão sobre a incompetência e má gestão do problema.

Anonimo da Silva disse...

Parece que depois que a ONU inventou uma tal de "Conferencia das Cidades" as cidades pioraram (e muito) no mundo todo.

Cesar disse...

Lélia, tens que falar com os donos dos blogs onde as fotos foram publicadas. O Dauro Veras e o Sérgio Rubim (Canga). É só clicar nos links ali da coluna da direita e ir até lá. Lá tem formas de entrar em contato, ou então deixa um comentário.

Anônimo disse...

É isso aí... Infelizmente uns são "mais iguais que outros". Uns se locomovem com dá e outros vão de helicóptero.
Enquanto o povo cair em estelionatos eleitorais, é isso que teremos. E independe de partido "A" ou "B".
Se essas coisas que estão acontencendo não servirem de relexão, o que mais será preciso?

Anônimo disse...

Liberaram a SC. Pela metade mas liberararam. Viva!
MAs liberaram pq podia ou pq pressionaram pra liberar?
Quem passar por lá vai ter segurança?
Abs
Ale

Anônimo disse...

O Moacir converso c/ o "omi"

É tio cesar é como tu ja falaste...questão de boa vontade...

O Moacir falo c/ ele:

Retornando sábado do norte da Ilha em direção ao centro de Florianópolis, por volta das 16,30 horas, obtive licença de dois Poliiciais Rodoviários Estaduais para dar uma olhada nas obras de remoção da barreira sobre a SC-`401. Durante a manhã e parte da tarde, nunca registrei tantos protestos dos usuários e tantos telefones de indignação.

Fui conferir. Fiquei ali cerca de 35 minutos. Falei com o engenheiro Cleo Quaresma, responsável pela desobstrução. Esclareceu as diferenças entre o bloqueio da BR-101 no Morro dos Cavalos e a da SC-401. O volume de rocha era muito maior na Ilha. Havia problemas ambientais e resolver.

Dava no mínimo uma semana para conclusão das obras do desvio, em função de prazos de engenharia que precisavam ser cumpridos.

Quando fui em direção ao meu carro, encontrei o prefeito Dário Berger, que voltou ao local para inspecionar as obras. Estava mais angustiado do que eu com a situação, que se apresentava como mortal para o setor turístico.

Confessou ter levado duas horas dos Ingleses ao centro da cidade. E anunciou, como registrei aqui neste blog que a liberação da rodovia aconteceria neste domingo. Fiquei absolutamente incrédulo. Mas nada registrei. Tive vontade até de desafiar a nova promessa, dizendo que se o desbloqueio acontecesse no domingo, 7 de dezembro, como anunciado pelo prefeito "a vaca iria cantar o Hino Nacional debaixo da figueira".

Pensei duas vezes e evitei o desafio, optando por acreditar na palavra do sr. Dário Berger.

Ele me ligou hoje, por volta das 10,30 horas, informando que iria cumprir a promessa. Estivera reunido com o governador Luiz Henrique, os secretários Romualdo França e Valter Galina e engenheiro Cleo Quaresma, superintendente do Deinfra na região.

A liberação aconteceu pela manhã, sem problemas. A normalidade vai sendo restabelecida, gradativamente.

Prova, mais uma vez que, havendo vontade política, as coisas acontecem. E quem ganha é a população.

Abraços

Alberto - Fpolis

Anônimo disse...

Se fosse num país de primeiro mundo, primeiro, o desmoronamento teria sido no mínimo evitado com obras de contenção e inspeções técnica de tempo em tempo, a retirada de terra e a liberação da via levaria no máximo 5 dias...como estamos no "brasil", em "santa catarina" e em "florianópolis", onde os "políticos", desculpem-me o termo, são deveras uns alienados, não causar-me-á estranheza se entrarmos no ano-novo (sic) com uma nova montanha na sc-401. É LHS tu, com essa tal de "descentralização", desconcentrou a incompetência, que antes estava acumulada num ponto só....tapados....revolução já? sei não...

carlosle disse...

Meus sinceros agradecimentos ao prefeito Dário Berger, que cumpriu uma promessa feita no sábado. Assim como critico, acho que é justo que também se reconheça o mérito do senhor prefeito. Acho que se não fosse a firme intervenção dele, eu ainda estaria no congestionamento lá pelo Cacupé, ou na Barra da Lagoa, como na semana passada.

Anônimo disse...

Cesar, o Brito tem toda razão. Ao perceber que uma "fila" se aproxima, o melhor é buscar, quando possível, trafegar pela outra pista que não tenha acostamento para a perturbação ser um pouco menor. A impaciência e a falta de respeito às leis de trânsito assustam. Neste trecho da 401 percebemos os dois lados: uns impacientes e espertinhos apavorando o acostamento e outros, que trafegam pelos Açores apreciando a paisagem e o morro desmoronado, a 20km por hora, enquanto a fila se alonga no resto da rodovia. Só esta redução neste trecho, faz com que o trânsito pare lá nos Ingleses. O trânsito já é feito em velocidade reduzida até pela própria estrada, que encheu-se de buracos e por segurança de moradores, mas parar para ver um morro desmoronado enquanto uma fila se forma, é demais. Quer apreciar a bela estrada dos Açores? Escolha um dia em que ela não seja mais utilizada como desvio obrigatório!

Anônimo disse...

Não entendi uma coisa: a SC 401 é uma rodovida administrada pelo Municipio de Florianopolis? Pelo que sei, é do Estado, e o responsável pela sua manutençao, e agora, pela desobstrução é o Estado ou o Deinfra. então que história é esta de o Dário ir lá, dar bronca, e prometer liberar para domingo? O LUIZ Henrique já descentralizou essa obra tambem?

Anônimo disse...

Pode ter certeza que, apesar da plava do carro ser de Florianópolis, o elemento não é daqui. Esse tipo de pessoa que estraga a Florianópolis que ainda temos em nossa lembrança. Xô povo estrangeiro.

Anônimo disse...

Com extrema certeza anônimo das "1:00", a SC é de competência do Estado, por isso leva as iniciais "SC", enfim, é por essas e outras que, não obstante a rodovia ou agora a "monte-via" estar contida no município de Florianópolis e o prefeito re-re-eleito (violou a "constituição"?) se preocupar (não faz mais do que a obrigação, haja vista ter todas as ferramentas ($$$) na mão para por fim ao caos que tanto atrapalha os reais detentores do Poder e Contribuintes, não entendo esse emaranhado de "competências", e não é só na questão de saber quem é o responsável no caso em tela, eis que a rodovia é estadual, mas que ajuda e tanto os politiquinhos que estão aí no "poder"! Dário ou LHS, vocês são políticos do tipo discursinho barato, o negócio de vocês é...deixa prá lá....

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo das 10:10 !
É bom não esquecer que dona Ideli também usou o posto do pedágio como palanque para se eleger, lembram quantas vezes ela estava lá para protestar contra o pedágio ?
Pois é, agora que ela é lider do governo está a favor do pedágio no meio da Palhoça !

Fernando Silva disse...

Cesar, nada contra você reproduzir o texto de outro site. É uma atitude legal, pois você citou a fonte. E, justamente por isso, não cabe usar o verbo "roubar". Parece implicância minha, mas parece a mim que a degradação moral neste país é tamanha que não deveríamos banalizar verbos que remetem a crimes.

Diego Maravalhas disse...

e o LHS ainda quer pagar 1 BI pro Asno que fez essa merda chamada SC-401.

Ricardo Pedrassani disse...

Solidarizo com você, também já muitas vezes fiz a lei ser respeitada na marra, com o carro no acostamento. Desisti da idéia porque tenho medo de um dia levar um tiro, afinal o que tem de "macho" armado dentro dos carros é impressionante. Em que mundo estamos, onde o correto é achovalhado...

Anônimo disse...

Ô Fernando !
Roubar nesse país virou uma virtude !
Algum "mensaleiro" foi punido ? Só o Roberto Jeferson por que denunciou, pois o resto da chamada quadrilha tá lá...
E aquela montanha de dolares do Aldo Hey, deu no quê ???
E ainda tem gente que acredita que os "Berger Brother's" vão devolver aquela dinheirama que roubaram na construção da Beira-Mar de São José ! Santa ingenuidade !
Portanto, deixa o César usar o verbo roubar, que enriquece o currículo dele !

Anônimo disse...

Mas que mania de voces nativos de ainda quererem frequentar as praias do norte da Ilha. Aquilo lá é terra de paulistas e gaúchos pessoal. Gente que tomou conta e deu, esqueçam o norte.
Em tempo é blog do Aloísio Amorim ou Reinaldo Azevedo?