domingo, 7 de dezembro de 2008

AGRURAS DO PONTAL

Cartinha que o Rogério Queiroz enviou aos jornais e blogs, reclamando do tratamento da Brasil Telecom e comprovando que a empresa não está levando a sério a tal “lei dos call centers”.
“Pela terceira vez consecutiva, e sempre aos sábados após o meio dia (indo até domingo ou segunda-feira), os moradores aqui do Pontal do Jurerê (Daniela) estão com seus telefones mudos, da operadora Brasil Telecom, tanto para efetuar como para receber chamadas. Não sabemos se isto também ocorre em todo o Norte da Ilha.

Quando tentamos ligar lá vem uma mensagem repetitiva:" No momento não podemos completar sua chamada. Por favor tente mais tarde".

Sugiro que esse jornal investigue esse problema, que não conseguimos identificar face a demora de vários minutos que nos faz desistir do contato através do 10314 da citada empresa, em que pese o recente decreto presidencial.

Quem sabe o Procon possa entrar em linha!

Rogério Queiroz
Presidente do Conselho Comunitário Pontal do Jurerê”

Um comentário:

Ilma Campos disse...

Acho uma tremenda demagogia esta de estarem recriminando, digo, tornando em tão hediondo crime, a atitude HUMANA de uns rapazes do exército que trabalharam na distribuição de donativos, levarem doações para si ou para a "mãe" ou seja lá para quem for. A intenção daqueles não foi roubar ou prejudicar ninguém, entenderam que se eram doações, não tinham dono. Não é correto, isto é certo, mas valia uma grande bronca e conscientização dos seus atos, mas não tomar a dimensão que tomou. Muitos praticam isso em todas as situações onde há este tipo de doações. E nem por isso são criminosos. Mesmo quem cuida e distribui se vê tentado a tomar para si uma ou outra coisa. E os roubos das verbas públicas, e o dinheiro também para este fim que se esvai nas mãos dos também cuidadores? E será que todas aquelas doações chegarão ao destino antes que se estraguem, apodreçam... Porque não distribuir logo tudo aquilo para quem mora no município e quiser ir buscar, flagelado ou não? Pois é... Sacrificar estes rapazes é, no meu entender, arbitrário e demagógico. Pobre foi a intenção de quem filmou e divulgou aquelas imagens que envolviam meros soldados. Porque tal reportagem não é feita com os administradores das doações em dinheiro, que não são poucas e dariam pra comprar muitos”sutiens”. E novinhos.