segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

LHS e o ambiente

Boa parte de Santa Catarina acaba de sofrer um desastre muito sério, cujas causas ainda não foram adequadamente estabelecidas. Mas há fundadas suspeitas que a forma como o ser humano lida com o ambiente possa ter alguma coisa a ver com os efeitos.

Pois bem, alheio a toda essa discussão, o governador LHS abre amanhã solenemente os salões da Casa D’Agronômica (sua residência oficial, em Florianópolis), para mais uma entrega festiva de licenças ambientais, às 9h45min.

Atribui novamente o governador a esse licenciamento, que de resto deveria ser tão rotineiro quanto tirar um alvará na prefeitura, um caráter solene, como se fosse um prêmio ao empreendedor.

Aqui de fora a impressão que se tem não é boa. Como irão os técnicos da Fatma analisar com rigor algum projeto, se a entrega da licença está marcada pelo governador? Quem terá peito de dizer ao Leomar “84 mil” Kreuz ou ao LHS, que a fábrica ou a hidrelétrica não podem ser licenciadas porque não atenderam as especificações?

É uma coisa tão estapafúrdia que até é possível que as licenças tenham mesmo seguido todos os trâmites e que esteja tudo dentro dos conformes, mas a atitude do governador recobre o gesto de suspeita: “só saiu porque o LHS mandou”.

A propósito, duas das indústrias licenciadas são subsidiárias de grandes madeireiras paranaenses. Vão produzir mdf, que é uma espécie de madeira compensada fabricada a partir de pinus.

Dar licenças ambientais com essa pompa a madeireiras justamente agora, quando as feridas ainda estão abertas, soa como provocação.

14 comentários:

Anônimo disse...

Acho que o comentário já publicado ganha seu lugar certo neste post.
Vamos lembrar que Santa Catarinha é vergonhosamente campeã nacional de devastação da Mata Atlântica e que o novo Código Ambiental é de tal forma absurdo (guarda 5 metros de mata ciliar ao longo das margens dos rios, ao invés dos 30 recomendados, por exemplo) que o Ministro Carlos Minc o classificou de "inaceitável retrocesso".
Marcos Sá Correa, atacou fortemente este Código (de devastação) Ambiental enviado à Assembléia pelo governador Luiz Henrique, a quem cognomina de “tricampeão nacional de derrubada da Mata Atlântica”. Correa prevê o fim do Parque da Serra do Tabuleiro e acusa:
– “Em SC, pior que a chuva é o Manda-Chuva”.
Logo, esta cerimônia, além de inoportuna, é perigosa, pois dá um aval tácito para possíveis infrações ambientais. Temos que nos perguntar as motivações do ato, justo neste momento de pós tragédia ambiental. Uma insensibilidade dessa não seria gratuita, digamos.
O que podemos esperar deste desgovernador no Senado? Lider da bancada derrubarista? Prêmio moto serra de ouro (que ele já ganhou)?Desde já antecipo meu voto: não será em LHS. Alguém acompanha?
Carlos X

Anônimo disse...

Licença ambiental é ato vinculado da administração pública. Se o administrado cumpriu todas as exigências legais o Estado (através do órgão competente é obigado à emiti-la). E a licença é analizada, emitida e espedida (pode ser atpe pelos correios) peal FATMA que é o órgão executor da política ambiental para o estado. O chefe do executivo catariense o "Imperador Luiz XV" nada tem à ver com a coisa. Segundo o princípio da hierarqueia e o princípio da impessoalidade que norteia a administração pública. Está ferido de morte o princípio da moralidade e quiçá o da legalidaede.Imaginem o Secretário de Segurança entregando Carteiras de Motorista em solenidade em seu gabinete. É a mesma coisa. Que vergonha! Que escárnio! E o Ministério Público faz o que? Faz que não vê? Quanto vai custar a festinha?

Schneider disse...

Péra aí, ô César. Que negócio é esse? Negócio mesmo?
Desde quando um alvará, uma licença ambiental, um habite-se ou algo equivalente é um ato político? Sequer político-administrativo. É simplesmente administrativo. Ou até mesmo burocrático.
LHS se supera novamente. Tranforma um ato TÉCNICO em um fato POLÍTICO.
Isso pode? Não fere leis? Isso mais parece uma descentralização de competências.
É um caso grave. Entram em cena o abuso de poder, os favores, os amigos, os interesses e o desrespeito pelas instituições. Isso para não falar na já costumeira prepotência.
Não fosse a gravidade desse fato e seria outra piada pronta: TROFÉU MOTOSERRA ENTREGA LICENÇAS AMBIENTAIS...

Anônimo disse...

O Luiz 15 gosta de fazer festa de entrega de licenças ambientais !
Foi ele que entregou pessoalmente, "em palácio", a licença para o shopping do colombiano Carlos Franco Amastha !

Wilmor Henrique disse...

Mas tem que ter oba-oba pra tudo?
Para entrega de licença prévia? imagina quando sair a definitiva, daí talvez quem pague a conta seja a beneficiada.
E outra, fazem entrega especial de uma autorização de corte.
Não dava apenas pra assinar e entregar, e no máximo servir uma aguinha da Casan pra turma?
Tá todo mundo louco!

Anônimo disse...

Caros leitores, se o governador não transformar simples atos administrativos em atos políticos, o que o mesmo vai fazer até final de seu mandato? Ele tem que estar na mídia, se nao o povo pensa que ele já foi cassado. Aliás, o governador está tão mal de obras e serviços para a população que ele até tem acompanhado assinaturas de contratos de financiamentos de casas populares da COHAB. Isto mesmo, ele e a presidente da COHAB percorrem o estado assinando contratos de FINANCIAMENTO. Nesses contratos, pelo que pude verificar, o Governo Federal dá uma verba a fundo perdido, algo em torno de R$ 6.000,00 e a COHAB financia R$ 3.000,00. E depois vão inaugurar as casinhas, como se fossem obra do Estado ou da COHAB. Eu nunca vi a Caixa Econômica Federal fazer encontro político para assinar financiamento de imóveis.

Anônimo disse...

Alô Dr. Gercino, estás aí? Vai ficar por isso mesmo?????

Anônimo disse...

Pode até estar tudo certo, mas é aquela história da mulher de César...
Dr. Gercino, where are you?

Anônimo disse...

Vamos deixar o Dr. Gercino onde ele está, pois tem horas que o MP até reza pra não saber de certas coisas...hehehe

Anônimo disse...

Acompanhando o leitor das 7:57, voto até no SEU MANECA DA VENDINHA pra senador, jamais no LHS !! Se eu fosse o DEM não entrava nessa fria de apoiá-lo, pode ter cadáver no armário, com mala e tudo...

Anônimo disse...

Apesar de achar que isso é assunto para uma grande enquete do Tio César ("Em quem vc votaria pra Senador, a fim de impedir que LHS seja eleito?") eu apoio uma opção mais ecológica: votaria num lindo pé de fruta do conde que tem aqui em casa!

Anônimo disse...

Votar em LHS, depois de tudo que fez: apoiar ostensivamente os implicados na Moeda Verde, colocar o Marcondes como presidente daquela comissão, depois de ter frequentado tantas vezes a PF, mandar um Códidgo Ambiental criticado por todos... Tás tanzo, tás louco? Se precisar de mim, do meu votinho, LHS pode se aposentar.
A. Rodrigues

Anônimo disse...

Pô, sou mais o monitor de última geração do Tio César. Portanto, Monitor pra senador, kkkk

Anônimo disse...

Anônimo das 1:23 AM, é isto mesmo o que a presidente da COHAB vem fazendo? financiar casas populares e posar de boazinha, como se estivesse fazendo um favor pros pobres? Eu não acreito que isto seja verdade, mas é um assunto interessante para o Cesar investigar. Mas eu não duvido de nada não, porque aqui no Sul, a presidente da cohab que é irmã de um deputado estadual, financiou muitas casinhas destas, vindo para cá muitas vezes, ora para assinar contratos, ora para entregar obras e em algumas ocasiões o governador estava junto. Talvez por isso que o pessoal do sul não se referem às casas da cohab, mas as casas do Mota... Mas que vergonha, o estado financia e o mota leva fama? O lula dá dinheiro de graça e a migalha do estado é financiada? e ainda fazem discurso ao assinar contratos e ao entregar as casas?