quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Três anos de ignorância cívica


A foto acima foi publicada aqui no blog e na coluna do jornal no dia 24 de dezembro de 2005. Mostrava, como talvez dê pra notar apesar da má qualidade do fotógrafo e da foto, que a bandeira de Santa Catarina, colocada na entrada (ou saída) da cidade, estava errada. O brasão estava desproporcional ao tamanho do resto.

Pois bem, depois dessa data, de tempos em tempos eu voltava ao assunto. Com ou sem foto. A verdade é que não me conformava com o desleixo dos administradores da cidade, que dia após dia hasteavam um testemunho concreto de sua falta de respeito (ou seria conhecimento?) pelo símbolo estadual.

Hoje à tarde tive uma esclarecedora conversa com o Álvaro, funcionário da prefeitura, ligado ao gabinete do prefeito, a quem cabe a responsabilidade de colocar as bandeiras ali naqueles mastros. A explicação para o uso das bandeiras erradas não poderia ser mais simplória: “tinha um monte de bandeira assim e aí o jeito foi ir usando até acabar. Agora só faltam mais dois jogos.”

Perguntei quem tinha comprado as bandeiras e aceitado a entrega de um produto fora das especificações. E, não sei por que, a resposta não me surpreendeu: “foram compradas na administração anterior”.

Claro que o Álvaro não sabia me responder por que a prefeitura, diante do produto defeituoso, não o devolveu, não acionou a Justiça, não pediu o dinheiro de volta. Simplesmente passou a usar a excrescência, como se fossemos todos idiotas. Vai ver que somos mesmo.

Se alguém não está entendendo o nó da questão, preparei abaixo uma ilustração do caso. Quem consegue saber quais bandeiras estão com as proporções corretas e quais as que estão erradas, entenderá minha irritação: desde 2005 (talvez antes?) os visitantes e os habitantes da capital do estado (!!!) são saudados por uma bandeira errada, feita por alguém que ganhou uma licitação fraudulentamente (claro, o brasão é a peça mais trabalhada e cara na confecção da bandeira, se fizer bem pequeno, barateia o produto, certo?) e adotada por uma administração municipal que não teme expor, na porta de entrada, sua ignorância cívica.




ATUALIZAÇÃO DA NOITE

O Carlos Damião ficou indignado porque usei o emblema da gestão LHS. O que está no logotipo ainda é a bandeira do estado, só que apresentada de outra maneira. Mas pra não desviar o foco da discussão, aí está a bandeira 2d:

8 comentários:

Anônimo disse...

É o caso de se entrar com uma ação contra os responsáveis e pedir ressarcimento por aceitar produtos fora da norma estabelecida. Está na hora de os governantes também levarem suas devidas multas, afinal, estão lá pura e simplesmente para servir à população e não o contrário.

Anônimo disse...

Porque não diminuem a bandeira, ai melhora a proporção. E fica barato uma tesoura e uma bainha resolvem...

Fernando Silva disse...

NO caso da bandeira do Brasil, pelo que lembro, existe uma lei lááá do regime militar que continua em vigor e estabelece como crime apresentar os símbolos nacionais com as proporções erradas. Verificarei. Agora, no caso da bandeira estadual, será que existe norma semelhante?

Carlos Damião disse...

MEU CARO CESAR,
Esta bandeira de Santa Catarina que você publicou está totalmente errada. Ela é apenas o símbolo do governo que aí está. Foi bolada (como símbolo de marketing) pelo Wilfredo Gomes, nos primórdios do primeiro mandato de LHS. A bandeira correta é reta, não tem essa idéia de jerico (publicitário), com ondulação. Por favor, publique a correta. Os catarinenses de verdade agradecem. Abraços, Damião.

Carlos Damião disse...

A bandeira correta, que é o símbolo de Santa Catarina (e não a tremulante bolada pela agência do Wilfredo) está neste link aqui, reconhecida pelo próprio governo que deturpou o símbolo:

http://www.sc.gov.br/conteudo/governo/paginas/santacatarinabandeira.htm

Anônimo disse...

Apenas a geografia nos separa das Alagoas.
Há Nônimus.

luizvalerio disse...

Essa ignorância cívica se estende por todo o país, meu caro Cesar Valente. Aqui em Roraima, bandeiras são asteadas de ponta-cabeça e quase ninguém sabe os hinos do estado e do Brasil. Estamos num país sem espírito cívico, infelizmente.

Lélia disse...

Oi César ,
este assunto de bandeiras é mesmo uma"encrenca". Porque além do cuidado que dever ser observado com a sua confecção e hasteamento correto, há também o da preservação.Ou seja qualquer rasgão ela tem que ser imediatamente substituída. Por uma questão de respeito ao símbolo da cidade,do estado e do País. Nem sempre é tomado este cuidado.
Nosso Raul Sartori muito zelava pela exposição das nossas Bandeiras e volte e meia ligava,alertando quem era responsável.
Mas, com todo respeito duvido que este lote seja herança da gestão anterior. Lembro de uma licitação de bandeiras do município,penso que adquiridas pelo IPUF em 1998 ou 99. E as Bandeiras vieram com o brazão do município inserido ao centro. A empresa teve que fazer nova remessa. Embora,quem produz segue o modelo e padrão enviado pelo cliente ou melhor especificado na licitação.
Há muita coisa mais errada por aí realizada por pessoas loucas pra mostrar serviço do que preocupadas com a história do município ou ignorando a nossa memória coletiva.
Patrimônio histórico é alma de uma cidade e não casa "velha pra ir ao chão" ou abandonar a sua conservação como o jardim junto a Ponte Hercílio Luz ou o lindo Forte Santa Bárbara - ontem defendia a Ilha,hoje defende a Cultura.
Será? Um abraço e Feliz Ano Novo pra nossa gente.