sábado, 14 de junho de 2008

PROPAGANDA NEGATIVA

Depois de montes de rolo com a propaganda irregular (deu até processos no TSE, lembram?), agora o problema do governo é com uns out-doors que a Associação dos Praças colocou (dois deles estão aí, acima), que configuram, segundo o PMDB, “propaganda eleitoral extemporânea negativa”.

A APRASC, que o LHS não recebe há um ano e quatro meses, fez a campanha pra tentar que a Lei Complementar 254, de 2003, seja cumprida. Ou que pelo menos o governo diga alguma coisa sobre o reajuste. Não deu muito certo: em vez de atender os praças, o PMDB pediu a retirada dos out-doors. E o TRE atendeu.

8 comentários:

Anônimo disse...

Como pode acreditarem em políticos. Ainda, mais gente mais inteligente do que essa corja.

Anônimo disse...

Tio César,

Esta PMDB é demais!
Agora é propaganda eleitoral?
A METRÓPOLE não era! O PALANQUE DO DÁRIO/POLÍCIA, não era!!!!????
Sínicos!!!

Anônimo disse...

P*&$#@#...esse caras da polícia nunca estão satisfeitos! Que praga!Estão sempre ganhando aumento e sempre fazendo barulho querendo mais. Se não gostam do que ganham, procurem outro emprego, tá cheio de gente querendo trabalhar!

Anônimo disse...

Tio Cesar....
Como pode ser propaganda eleitoral extemporanea, sa a APRASC nao e partido politico e muito menos e "candidata" a cargo eletivo????
Joanildo.

Anônimo disse...

Cairam no conto do vigário... Lembro que houve assembléia para decidirem quem apoiariam, ou o Amin ou o LHS. O Amin não prometeu mundos e fundos, mas o LHS prometeu. E depois meteu nos praças!! Agora reclamam. Espero que tenham aprendido e que pratiquem esse aprendizado nas urnas.

Luiz Antero disse...

Caro anônimo das 3:38, é propaganda eleitoral extemporânea negativa porque fala mal de LHS e do PMDB. Ou seja, pode prejudicar a "igualdade" que a lei eleitoral quer garantir a todos os candidatos. O engraçado dessa queixa deles, agora, é que se é "propaganda eleitoral extemporânea positiva", como a que mandaram o Ney fazer por toda Santa catarina, aí PÓÓÓÓDE, mas se for contra não pode, entendeu??

Anônimo disse...

Enquanto isto este governo concede Gratificações altíssimas e diferenciados à Secretaria de Estado da Fazenda (a GAF) e a Secretaria de Estado da Administração e Procuradoria Geral do Estado (A GAP).

Só por estar lotado em um destes órgãos o servidor de nível superior percebe a Gratificação de R$ 3.200,00.

Enquanto isto os outros órgãos não tem seu plano de cargo implantado e a Lei 254 fica na geladeira para alimentar esta desigualdade no serviço público estadual.

Os Sindicatos tem que abrir o olho para isto e olha que nos bastidores já há movimentação para reajuste destas citadas Gratificações, cerca de 20% de reajuste.

Deveria ser exterminada e sim fazer um Administração de Recurso Humanos igualitária no Estado de Santa Catarina.

O que tem a mais os servidores lotados na Secretaria de Estado da Fazenda, na Secretaria de Estado da Administração e na Procuradoria Geral do Estado para ser desigualmente privilegiados com estas altíssimas Gratificações?

Anônimo disse...

Tio César!

Esta entrevista do César Souza Junior na revista Mural (pode-se ler na internet www.revistamural.com.br) , nas páginas 84 e 85, é ou não propaganda política?

Antônio Carlos