terça-feira, 24 de junho de 2008

GOVERNO E IMPRENSA

Lancei a idéia de um debate sobre as promíscuas relações que alguns veículos mantém com seus anunciantes para que alguém, ou alguma entidade, a executasse e eu pudesse, de longe e confortavelmente, dar meus palpites sem ter responsabilidade na coisa.

Não deu certo. O Sindicato dos Jornalistas me convidou, ontem, para fazer a abertura do debate. Isto significa que se o debate resvalar para um bate-boca sem graça, a culpa será do sujeito que apresentou o tema, que não soube colocar bem a questão. E se for um sucesso, graças às contribuições dos convidados e da platéia, ninguém lembrará das palavras iniciais. Um dia ainda aprendo a manter minha boca fechada.

Fazer o quê, né? Relaxar e tentar fazer com que a oportunidade – preciosa – de se tocar em temas tão importantes, não se perca. Ao contrário, que leve a outros eventos onde se aprofundem as críticas, avaliações e surjam novas idéias.

TODOS LÁ
O debate “Governo & Imprensa, que relação é essa?” será realizado amanhã (dia 25/6), a partir das 14h, no plenarinho da Assembléia Legislativa. Em princípio será transmitido ao vivo pela TVAL. Em todo caso, se tiver Sessão ou outro evento que impeça a transmissão ao vivo, será gravado para ser transmitido em outro horário. Mas, como se trata de um debate, é importante a presença de todos que conseguirem matar o serviço ou a aula.

DO QUE SE TRATA?
Será composta uma mesa com convidados especiais, representantes de entidades como Ministério Público Federal, Secretaria de Comunicação do governo do estado, Sindicato dos Jornalistas, Federação dos Jornalistas, Sindicato das Agências de Publicidade, Ordem dos Advogados do Brasil, Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais, etc.

A apresentação levantará algumas questões centrais na relação da imprensa com seus anunciantes, em especial o governo (como no texto abaixo). O objetivo é dar um foco, um rumo, que provoque o debate. Depois das contribuições daqueles que estão à mesa e na platéia, se tentará fazer alguma síntese ou definir algum encaminhamento.

O debate terá duração determinada e vai exigir muito do moderador, para manter o interesse, sem se perder em ramais secundários ou mergulhar para níveis inferiores. Não devemos ter grandes expectativas: em geral este tipo de debate funciona mais como uma arena onde se levantam questões e apontam problemas, do que como local onde se chega a alguma conclusão. Mas é justamente isso que estamos buscando: dar visibilidade aos problemas que cercam essa delicada relação.

POR QUE SÓ O GOVERNO?
Não sei se vocês lembram, quando propus o debate tinha sugerido outro título: “Promiscuidade e corrupção no jornalismo”. Logo em seguida pensei melhor e modifiquei a sugestão para “Promiscuidade e corrupção em nome do jornalismo”.

Os organizadores do debate descartaram minhas sugestões e preferiram “Governo & Imprensa, que relação é essa?” O título, de fato, é melhor que os meus. Abre o leque de possibilidades. Pode-se discutir, por exemplo, o que há de correto e saudável na relação. Não apenas as patologias.

Em todo caso, deixa de fora um personagem importante, que é o anunciante privado. Ele vai acabar entrando no debate, porque é inevitável. Mas o foco, neste primeiro debate, é mesmo o dinheiro público.

4 comentários:

Aluizio Amorim disse...

Off Topic: César, há pouco postei, já tardiamente, porque saiu no Estadão como box e acabei não vendo antes. Trata-se de uma matéria que traz ao conhecimento público a maior barbaridade que já vi em toda a minha vida, sobretudo ao longo da minha carreira de jornalista que já está chegando perto de quatro décadas.
Muitos dizem que eu exagero. Anônimos vão lá no meu blog defender o governo petralha e me censurar pelas críticas que faço baseado puramente em fatos. Mas o que está acontecendo com o Brasil parece não ter paralelo na história da República.
Quanto ao debate objeto deste seu post: é pertinente. Mas acredito que será dominado pelos bate-paus do petralhismo.
abs do Aluízio Amorim

Schneider disse...

César, infelizmente não poderei estar em Floripa amanhã.
Mas a proposta é excelente. Acredito que o enfoque deva ser limitado para não pulverizar as palvras. É apenas governo e imprensa. Se ficar em nível estadual, pelos acontecimentos recentes, melhor ainda. Só isso rende assunto para muitos debates. Boa sorte senhor apresentador..

Anônimo disse...

Tio César,

Uma batalha vencida!
Parabéns!

Orlando Tambosi disse...

Boa idéia, César,

mas logo na mão dos Sindicato dos Jornalistas? Filiado à CUT e à Fenaj, que seus representantes expliquem tanto governismo do sindicato nacional e da representação sindical.
Chapa-branca, para a nossa geração, é coisa feia - seja à "direita", seja à "esquerda".

Abs.