quarta-feira, 18 de junho de 2008

CRISE NA UNIVALI

Íntegra da nota divulgada pela Associação dos Docentes do Ensino Superior de Santa Catarina, ADESSC, sobre a Univali. É grave, a crise.

“A diretoria da Associação dos Docentes do Ensino Superior de Santa Catarina, ADESSC, denuncia publicamente o clima de terrorismo que predomina nas últimas semanas na Universidade do Vale do Itajaí, Univali. Demissões em massa estão ocorrendo nos quadros da
instituição. Nos últimos dias, dezenas de docentes e funcionários foram dispensados pela reitoria. A estimativa é de que 600 trabalhadores serão demitidos até o final do semestre. No ano passado, foram 400 demitidos. Desde o começo da gestão Provesi, benefícios vem
sendo cortados e a carga horária dos professores reduzida, com constantes ameaças de demissão. A qualidade de ensino vem decaindo a cada semestre.

As medidas autoritárias e sem transparência, tomadas pela reitoria, ainda, não foram publicamente justificadas. Nas conversas nos corredores, comenta-se o endividamento financeiro da universidade na ordem de R$ 25 milhões, cuja alternativa de equacionamento implicará no afastamento dos trabalhadores.

Dois campi da instituição deixarão de funcionar no próximo semestre: Piçarras e São José. Sessenta bolsas de iniciação científica foram canceladas. A TV Univali demitiu 12 profissionais na última semana, deixando de produzir programação local como televisão educativa na cidade, limitando-se a reproduzir o sinal da TV Futura. A Rádio Univali demitiu oito, metade dos funcionários.

Os estudantes, também, estão mobilizados diante da crise instalada na instituição. Na noite desta segunda-feira (16/6) reuniram centenas de pessoas em passeatas pelo campus de Itajaí, denunciando a situação.

As contas da universidade permanecem secretas. Como vem sendo aplicado o dinheiro da instituição é uma incógnita. Não são explicitadas nem mesmo os critérios utilizados para as demissões. Entre os professores predomina apreensão e angústia pela possibilidade de demissão. Os coordenadores de curso já passaram o recado aos docentes, recomendando que procurem alternativas de trabalho a partir do próximo semestre.

Os poderes públicos, também, estão omissos diante da situação. A Univali é uma instituição de ensino superior pública, propriedade da Prefeitura de Itajaí. No entanto, nem mesmo esta prefeitura mantenedora se manifestou sobre a situação. O impacto econômico das demissões já é perceptível entre os comerciantes de Itajaí, que perdem uma grande fatia de consumidores, que dependem financeiramente da Univali.

Diante da crise, a ADESSC, em nome dos docentes, conclama a comunidade universitária para a luta, reivindicando:

- imediata transparência nas contas financeiras da Univali;
- nenhuma demissão de professores e funcionários;
- audiência pública, com a participação da reitoria e comunidade universitária, para discutir a crise;
- intervenção da prefeitura de Itajaí e demais poderes públicos para resolver a situação;
- democratização da Univali com eleições diretas para os dirigentes;
- luta pela estatização da Univali, tornando-a plenamente pública e gratuita.”

Presidente - Geraldo Pereira Barbosa
Secretário – Mauri Antonio da Silva

3 comentários:

Carlos Andrade disse...

O senhor José Roberto Provesi é geógrafo de formação. Seu vice, um advogado. Diante disto estava claro que em qualquer problema algo de ruim iria acontecer. Ninguém contrata um jornalista pra fazer uma cirurgia, ninguém chamaria um piloto de fórmula um pra disputar uma corridade barco a vela. "Cada um no seu quadrado" já falava a música patrocinada pelo L. Huck.

Mesmo sem conhecer pessoalmente este geógrafo tirando de administrador, o atual cenário já era anunciado simplesmente por este fato.

Detalhe que isto é algo muito comum principalmente na administração pública: coloca-se médico para dirigir secretarias de saúde, hospitais. Pucha-sacos de qualquer quilate pra cargos de extrema importância. E quem paga a conta é o povo. Sempre neh...

Carlos Andrade

FlaM disse...

Triste isso! e olha que a instituição nem é das piores! Tem cada coisa por aí nesse ensino superor... abuso e mais abuso...
E aí, quando sai o fondue?
tá frio...
bjs, flávia (lembranças em casa)

Gabriel Dal Piaz disse...

Meu caro articulista,
Pela nota publicada pela ADSSC percebo que a crise enfrentada pela Univali, da qual fui aluno nos idos de 1999, em muito se assemelha àquela vivida atualmente pela UnC Campus Concórdia.
Caso tenhas interesse em maiores informações, sugiro acesso ao www.midiamais.jor.br
Nas instituições de ensino em que os gestores visam perpetuar-se no poder, como é o caso do Professor Provesi na Univali e do ex-diretor-presidente (afastado pelo Poder Judiciário) na UnC Concórdia, avolumam-se perseguições a professores que divergem das ações ditatoriais impostas pelos "senhores feudais".
O alento é que tanto por aí, quanto por aqui, parece que as coisas estão mudando.
Que bom!

Gabriel Dal Piaz
Advogado em Concórdia/SC