domingo, 2 de novembro de 2008

EM BUSCA DOS DIREITOS...

O Meira e o Mosquito informam que estão sendo processados pelo Gerson Basso. O Mosquito também estaria sendo processado pelo Edison Andrino. Claro que os blogueiros estão injuriados, acham que faltou senso de humor ou jogo de cintura aos políticos que resolveram ir aos tribunais.

Estou, naturalmente, solidário com os colegas, mas não posso deixar de dizer que este é o jogo. A gente, aqui, nesta solidão criativa diante de um monitor de computador pode dizer o que quiser sobre o que ou quem bem entender. E as pessoas, entidades e empresas citadas por nós podem reagir ao que foi dito de inúmeras maneiras. Os piores casos são aqueles que mandam “seguranças” dar uma surra no sujeito, ou quebrar tudo na casa dele, como aconteceu em alguns locais, graças a Deus, distantes de Florianópolis (um deles até nem tão ermo, no interior de São Paulo). E, por injusto que possa parecer, aqueles que recorrem à Justiça estão entre os menos piores. É uma discussão que se dará, pelo menos, guiada por algumas regras escritas. É claro que sempre se corre o risco de encontrar um juiz ou juiza que tenha algum preconceito contra o “excesso” de liberdade. Mas é do jogo.

Ah, já que falei nos menos piores, os melhores são aqueles que, antes de tomar alguma medida mais radical, chamam para uma conversa desarmada (em todo os sentidos) e, seguros de não terem feito nada de muito errado, tentam convencer o escriba que o que foi dito foi incorreto, injusto e descabido.

Quando a gente escolhe os adjetivos e termina de montar a frase, mais ou menos calcula o efeito que aquilo poderá ter e o potencial de risco. Às vezes, contudo, como numa receita complicada de suflê, de bolo ou de consomé, erra a mão. Imagina uma coisa e acaba dando outra. Sai salgado. Os convivas reclamam e alguns deles podem até ficar de mal. Se a Justiça tiver cabeça fria e bom senso, tratará de separar fricotes de ofensas reais, danos imaginários (ou projetados pelas calculadoras ávidas de alguns advogados espertos), de algum prejuízo real e concreto. E jogará no fundo do arquivo aquilo que for apenas tentativa de negar o que a Constituição assegura (a liberdade de expressão) ou uso indevido do Judiciário para dar um “cagaço” num, para que ninguém mais ouse criticar a figura.

São vários jornalistas e colunistas (nem sempre uns são outros e outros são uns) que estão sendo ou foram processados, pelos mais diversos motivos. Não vejo o ato de processar um jornalista ou um blogueiro como uma coisa ruim em si, sem antes examinar cada caso e sem ler as queixas. Num Estado de Direito é coisa absolutamente normal. Todos têm direito à boa fama, ao bom nome e é justo que esperneiem quando se sentirem prejudicados.

Mas é claro que os políticos têm uma face pública, exposta, que se coloca à disposição da população para ser avaliada a julgada. O principal julgamento é aquele das urnas. E ao optar por essa atividade pública, o cidadão terá que conviver com o fato de seu nome estar na boca do povo. Para o bem e para o mal. Há políticos que afirmam que não há fofoca ruim: “falem bem, falem mal, mas falem de mim”. E há aqueles que são mais sensíveis a determinados temas ou citações.

Portanto, meus amigos blogueiros, sejam bem vindos ao clube daqueles que têm ou tiveram suas opiniões ou informações contestadas judicialmente. Boa sorte ao escolher seus advogados e boa sorte nas argumentações e no estado de espírito do Juiz ou Juiza. E bola pra frente porque, como gostam de dizer os fãs do Dário, “os cães ladram e a caravana passa”.

EM TEMPO

As coisas parecem estar mais tranqüilas depois que o TRE-SC, por unanimidade, decidiu que imprensa e titica de galinha são mais ou menos a mesma coisa: não têm qualquer influência no resultado eleitoral. E se não fede nem cheira, também não tem por que achar que pode produzir injúrias e ofensas significativas aos políticos... o que não funciona para elogiar, também não funcionará para denegrir, né não?

7 comentários:

Meira Júnior disse...

Caro Cesar,

Venho através do presente agradecer a solidariedade do amigo. Assim, caro César, pelo que você representa no melhor da Imprensa de Santa Catarina e pela importância do seu trabalho e da sua coluna, me senti no direito de lhe repassar essa informação. Pois é, o senhor Gerson Basso como todo cidadão se achou no direito de me processar pelo motivo mais fútil, uma brincadeira feita na minha coluna. Deve ser porque ele não tem coisa mais importante para fazer ou quem sabe não amadureceu (ou apodreceu?) o suficiente para aceitar críticas como todos os políticos. Os homens públicos se sentem intocáveis, não podem ser criticados, avaliados ou cobrados pela população. Como bem dissestes, são políticos Teflon. Ora, quem está na chuva é para se molhar. Brincadeiras, então, fazem parte da vida de políticos. Até mesmo o Delfin Neto aceitava as brincadeiras do Jô Soares com ele. Talvez por ele ser mais um "estrangeiro" aqui na nossa ilha, não tenha o espírito encarnado do verdadeiro ilhéu, de brincalhão, alegre, sempre de bem com a vida. Existem pessoas estrelas. Existem pessoas cometas.
Os cometas passam. Apenas são recordados pelas datas, esquecemo-nos do dia em que os avistamos.
Os cometas são como aves migratórias, as estrelas assentam raízes e em direção ao sol florescem.
As estrelas permanecem. Os cometas, esses, simplesmente desvanecem.
São corpos que vagueiam no vazio do universo, por eles e pena que meramente sentimos.

Um grande abraço.

Meira Júnior

Anônimo disse...

Tio César,

Pena que a tua conclusão, que tem uma demostração irretorquível, esbarre na maior verdade sobre a Justiça: só vale para os ricos e poderosos!

Anônimo disse...

Ser processado pelo Basso, é bom sinal. Sinal de que, quem está sendo processado, só estava falando a verdade a respeito desse moço que nao tem voto nem para ser suplente de vereador...

Ilton disse...

Cada uma luta como pode. Também estou lutando pelos direitos dos moradores da minha rua, e pelos meus também, contra a Administração Pública Municipal de Porto Alegre. Algo bem mais prosaico do que esse, de blogueiros e jornalistas, mas que incomoda uma barbaridade. Abraços.

Anônimo disse...

Como o Meira Júnior disse: quem está na chuva é pra se molhar. Se vcs blogueiros escolheram esta profissão, como também escolheram os políticos, devem estar prontos para isso. Não se esqueça que blogueiros e jornalistas também processam políticos, mas tal fato vc não coloca no seu site. Assim, quem está na chuva é pra se molhar vale para os dois lados.
Abraços.

Anônimo disse...

Não importa se é blogueiro, jornalista ou político. Calúnias, injúrias e difamação gratuita tem que ser processado. A justiça existe para garantir nossos direitos e os direitos daqueles que se acham donos da verdade.
Verborragia é coisa de idiota.

Carlos disse...

Esse moço que está processando o Meira é de uma coerência fenomenal:
Candidato a senador pela coligação do Amin, candidato a vice do Nildão e papagaio de pirata na comemoração do Dário no Palácio da Agronômica !
Parabéns para o Meira !