sábado, 15 de novembro de 2008

PREFEITO VINGATIVO

Isto é que é prefeito brabo! O candidato do prefeito de Calmon (no meio-oeste), perdeu as eleições no dia 5 de outubro. Inconformado, o prefeito João Batista De Geroni mandou que todas as repartições municipais, inclusive escolas e postos de saúde, ficassem fechados dias 6 e 7 de outubro.

E, quando reabriram, funcionaram mal e porcamente, porque o prefeito vingativo continuou a fazer bobagem, dispensando os funcionários que tinham sido contratados sem concurso público. Criou uma bagunça danada na cidade, que ficou sem atendimento na saúde e sem transporte escolar.

Aí o Ministério Público entrou em ação e na última quarta-feira, dia 12, a Juíza de Direito Viviane Isabel Daniel Speck de Souza, da 2ª Vara Cível da Comarca de Caçador, determinou o afastamento do raivinha. Vai assumir o vice-prefeito, mas ficará “em observação”. Na sentença a Meritíssima diz que “se as práticas abusivas forem mantidas, [o vice] será responsabilizado em ação própria”.

Cabe recurso ao Tribunal de Justiça. E eu gostaria muito de ver os termos do recurso. Deve ser uma coisa do tipo “senhores desembargadores, por favor, me deixem continuar a punir os ingratos que não votaram no meu candidato...”

3 comentários:

Cris disse...

Só para lembrar, como morei muito tempo na região, sei de algumas notícias
Calmon teve um dos candidatos a prefeito assassinado antes das eleições.
E a casa do suspeito de assassinato foi queimada pelos moradores da cidade.

Isso é bem comum no meio oeste. Me recordo uma vez que no municipio de Lebon Regis (conhecido pelo seu altissimo nivel de violência) o único candidato a prefeito foi alvejado de tiros, uns 3 dias antes das eleições

Anônimo disse...

A Situação aqui em Brusque também está bem parecida. Depois do seu cancidato perder a eleição, o Prefeito Ciro Roza chamou os funcionários da Secretaria de Obras e ordenou que ninguém fizesse mais a manutenção da cidade. As palavaras dele foram mais ou menos assim: " Quem tapar qualaquer buraco está demitido".
Realmente lamentável

Leitor Josefense disse...

Tio Cesar,
Não precisa ir mto longe. Aqui, bem pertinho de vc, está o exemplo (mau) de São José. O Prefeito brigão Fernando Elias, que levou uma surra nas urnas, ficando em quarto lugar decidiu exonerar todos (eu disse TODOS) os funcionários comissionados na segunda-feira. A cidade está completamente abandonada e, ao contrário da justiça de Calmon, por aqui os juizes e promotores "fingem" que não vêem o "desgoverno" comprometendo a vida da população. As ruas estão cheias de buracos, sem sinalização (nem faixas de seguranças em ruas asfaltadas as pressas antes das eleições), a saúde em greve, sem remédios, médicos e postos de saúde fechados, o atendimento na prefeitura precário e burocrático, as escolas sem papel higiênico, etc... O "raivinha" da Grande Florianópolis também não está pagando nenhum fornecedor da prefeitura, para desespero de mtas empresas que venderam para o município. Alô senhora juíza (filha do Lohn, aquele do Imperatriz, não tem?) Acorda! Alô Promotores de Plantão: Olhem pelo povo de SJ, jogado à sorte. OLhem o exemplo do Oeste, para fazer valer aqui o direito do cidadão ter os serviços básicos atendidos. Engraçado Tio Cesar que a grande mídia fala pouco sobre o caos de São José. Porque será? Obrigado pelo espaço para desabafar.
Ass: Leitor Josefense.