quarta-feira, 26 de novembro de 2008

FALTA ESTATURA POLÍTICA

O governador LHS voltou a falar hoje, em público, da sua preocupação com os turistas. Em arrumar o estado bem direitinho para poder receber os visitantes.

Acho que até entendo o que, no fundo, Sua Excelência quer dizer. Quer demonstrar, naquela sua maneira enviezada, que daremos a volta por cima e que nos recuperaremos rápido, até a ponto de poder ter uma temporada de verão relativamente normal.

No entanto, este é o grande problema da comunicação: o que vale não é o que a gente quis dizer, mas o que o público entendeu. E o que todos entendemos ficou muito ruim para o LHS.

Deu a impressão que esses merdas que estão com os pés murchos e as mãos esfoladas, sem saber que jeito vão dar em suas vidas destroçadas, são mesmo apenas uns merdas, que só servem para paparicar turistas e oferecer conforto para quem vem de fora.

Alguém de bom senso deveria dizer ao governador (que, no entanto, parece que não é muito de ouvir conselhos) que pegou mal ficar externando com tanta insistência essa preocupação com a arrumação da casa para os turistas.

A nossa casa será arrumada e terá que ser arrumada, primeiro, para a segurança, felicidade e saúde da nossa gente. Que paga impostos, que vota e que gostaria de ouvir, dos seus governantes, palavras de estímulo e reconhecimento sinceras. E apoio real e desinteressado nesta hora.

FALTA ESTATURA POLÍTICA 2

O povo catarinense é altivo, solidário e sabe se portar à altura dos desafios. Mas tem umas figurinhas que ocupam funções públicas, que, cá entre nós, melhor fariam se ficassem quietas no seu canto.

Ouvi hoje à tarde a entrevista de um secretário de Estado (Justiniano Pedroso), na rádio Guarujá de Florianópolis. Ele tinha voltado de uma visita (de helicóptero, claro) às áreas atingidas pela desgraceira.

Fiquei ouvindo, pra esperar que ele falasse sobre os estragos na área dele (penitenciárias e cadeias), mas o cara falava mais que o homem da cobra e não dizia nada que se aproveitasse. Era, sem dúvida, um entusiasmado militante do governo que passeou de helicóptero e na volta fez a sua média na mídia.

Nem uma única palavra sobre a situação dos presídios ou sobre providências para a manutenção dos que estão nas cadeias nas áreas que foram inundadas. Ou não teve cadeia inundada? Nada de nada sobre as providências que deveriam estar sendo tomadas para evitar novas fugas. Só proselitismo político em cima da desgraça alheia.

Ah, e o ponto alto da entrevista: ele contou que esteve com LHS no encontro com Lula onde foi anunciada a liberação da graninha.

Esse helicóptero que levou a “autoridade” pra “se informar” teria sido muito melhor utilizado se continuasse a ajudar no resgate e no transporte de víveres. Não tem sentido permitir passeios sem sentido como esse.

EM TEMPO

Tinha escrito o texto acima (que também será publicado no DIARINHO) e quando fui colocá-lo aqui, notei que o assunto estava sendo tratado em pelo menos dois outros blogs:

Coluna Extra: Respeito é bom e o momento exige

Flagrantes do Cotidiano: Preocupação com os turistas?

Ah, e o Carlos Damião tinha falado antes, já na segunda feira: Palavras lamentáveis.

5 comentários:

Anônimo disse...

A minha impressão: Ele (LHS) tem preocupação maior em atender demanda de meia-dúzia de empresários, por isso a insistência no assunto. É só fazer uma retrospectiva dos atos dele (recentes ou não). A grande maioria é voltada invariavelmente para essa "meia-dúzia".

Anônimo disse...

Em entrevista para o jornal Folha de S. Paulo, a geógrafa Maria Lúcia de Paula Herrmann, coordenadora do Núcleo de Estudos de Desastres Naturais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), alertou que as áreas de encostas de cidades litorâneas estão sendo ocupadas sem qualquer cuidado. "Quando a água infiltra, satura e desliza". A tragédia em várias cidades catarinenses não é uma novidade para a geógrafa. "Acho que se continuar com esse tipo de ocupação, e as existentes ficarem sem nenhuma fiscalização, os números de desabrigados e mortos vão ser cada vez maiores", afirmou.
Como o pessoal da Moeda Verde foi reeleita, além de homenageada pelo LHS. Preparem-se para outras tragédias futuras. Tá tudo anunciado!

Anônimo disse...

Mentiroso este presidente da CASAN dizer que ta havendo rodízio, estou sem água desde sexta-feira!!! Ligo pro 0800 e a atendente, fica com aquela voz engasgada repetindo sempre a mesma coisa, isso quando atendem. Incopetentes, mentirosos, só ficam fazendo pose, e ainda pensam que são autoridades. Autoridade é a pessoa que com sabedoria sabe resolver problemas ou quando não sabe, tem a humildade de dizer a verdade e orientar para que a população busque outros meios.

Carlos Henrique Rech disse...

Pois é Cesar, o tema deixou todo mundo p... da vida. Publiquei a seguinte nota na minha coluna Versões e Fatos do jornal São José em Foco (do seu aluno Ozias, que edita também o JBFoco):

Declarações desastradas

Nesta hora de sofrimento do povo catarinense, as autoridades devem ter cuidado com declarações desastradas. Falar em reconstrução urgente para atender os turistas que estão chegando, provocou mal estar. A chegada de turistas neste momento é um complicador, com tantos desabrigados e desalojados. Estou falando de uma declaração do Governador Luiz Henrique para o site UOL/Notícias/Cotidiano. Para acessar, o endereço do site é: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/11/24/ult5772u1679.jhtm
Assistindo a entrevista fica ainda pior que lendo. É patético. Postei também no meu blog.
Um abraço, guru !

Anônimo disse...

Tenho acompanhado, pelas emissoras de comunicação a situação em que se passa os municípios atingidos pelas chuvas durante o final de semana que passou.
Não posso deixar passar em branco a minha revolta quando vejo um governador declarar na televisão que a maior catástrofe em Santa Catarina foi o rompimento a tubulação que fornece gás vindo da Bolívia.
Sinceramento governador as suas declarações demonstram o seu verdadeiro papel como homem público, ao invés de se preocupar com as pessoas que perderam tudo, principalmente suas vidas, o senhor faz um declaração dessas.Enquanto pessoas de bem perdem seu patrimônio, suas vidas, tem pessoas que se usam de declarações para se promoverem.
O governo pouco faz pelo cidadão, só reconhece em época de eleição, ai sim, eles prometem mundos e fundos. Chamo sua atenção para campanha do o governo do estado está fazendo, abrindo uma conta bancária para depósito, não deposite dinheiro, se você cidadão quiser ajudar, ajude sim, mas com alimentos, roupas e outras coisas que não seja dinheiro.
É bem possível que os recursos arrecadados tenham outra finalidade, que não seja a de ajudar os mais necessitados.

Paulo dos Santos / Florianópolis