quarta-feira, 2 de abril de 2008

TÁ TUDO LIBERADO

O sujeito lá de Chapecó que desceu o cacete numa frentista, num posto de gasolina, tem mesmo muita sorte. Parece que, por lá, bater em mulher é permitido e estimulado. Claro, porque não tem outra explicativa pro gesto bárbaro resultar em, no máximo, uma “denúncia por lesões leves”.

E mais, é capaz da coisa virar e a moça, que levou socos e pontapés, ser condenada por ter xingado o imbecil. Foi isso que ele teve o desplante de sugerir, na audiência inicial: perguntou se ela não iria pagar uma indenização pra ele.

E, até onde se sabe, o caso ainda não despertou a indignação das pessoas de bem do estado. Vai ficar por isso mesmo, passando uma mensagem clara aos trogloditas descerebrados: bater em mulher é permitido. Depois, mesmo que a agressão tenha sido gravada em circuito de TV (sem som), basta dizer que ela, antes de apanhar, o ofendeu. Pronto. O promotor de Justiça ficará morto de pena, a comunidade dirá “ah, bom, assim, sim” e, com muito azar, se livrará pagando uma cesta básica. Se tanto.

DEPUTADO PRESO

Por falar nisso, a polícia prendeu ontem o deputado estadual que está sendo processado por sua ex-mulher por agressão (enquadrado na lei Maria da Penha).

Mas não precisam ficar preocupados: isto aconteceu em Alagoas.

7 comentários:

Anônimo disse...

Pois é, em Alagoas, terra de "cabra macho", de Lampião e Maria Bonita, deputado que bate na mulher vai preso, enquanto no Sulmaravilha... na terra de Anita Garibaldi, é permitido deputado bater na mulher.
É claro que o exemplo vale "Prá Toda Santa Catarina" e, evidentemente, também prá Chapecó !

Ilton disse...

Caro Cesar: Se as lesões forem de natureza leve, não importa a qualidade da vítima, se é mulher, homem ou criança. Pode haver algum agravamento, mas a pena será sempre branda e passível de substituição por medida restritiva de direitos. E, se na audiência preliminar, a moça esta celebrar um acordo, sequer haverá processo ou pena: ele será considerado absolvido e sua ficha ficará limpa. É da Lei 9099/95. Um abraço.

Anônimo disse...

Pena que a moça, ao que parece, não tem um marido/companheiro.O caso exemplifica de forma bem clara qual é a lei que rege nosso país e que tipo de "gente" está envolvida no meio jurídico. Quem tem $$$$ sempre é vítima.

Felipe Rosa

Anônimo disse...

Certamente ele desconhecia os meandros da lei, mas foi paulatinamente incentivado, subliminarmente, através de todos os descalabros que acontecem no nosso estado e país. Como exemplo, se o nosso governador tripudia sobre a Constituição, faz, reafirma e ainda rí da Justiça, porque as pessoas também não podem fazê-lo?

Schneider disse...

Alagoas e seus políticos não supreendem mais. Nada vindo da política de lá é novidade.
Para evitar casos idênticos ao de Chapecó, faltam bons exemplos. Mas Alagoas é muito longe. Um exemplo local seria bem mais eficiente. Deputado que bate na mulher e suplente que bate em garçom também devem ser condenados.

Anônimo disse...

Não se preocupem meus amigos.
Vi uma matéria em um jornal que passa na hora do almoço, que o referido "brutamonte" foi preso na noite passada por ter agredido um policial militar durante uma blitz feita em um bar daquela localidade. O mesmo recusou-se a abrir o carro para que os policiais fizessem uma busca no interior do mesmo.
Acho que agora sim ele se complicou de vez.
Um abraço Tio César, e parabéns pelas notícias diárias que estão cada vez melhor.

Carlos disse...

Efusivos parabéns à briosa PM de Santa Catarina, que deu um corretivo no valente de Chapecó. Até que ficou barato, só um braço quebrado e a cara amarrotada, mas acho que a frentista deve ter se sentido um pouco vingada pela ação firme dos policiais.
Carlos