quarta-feira, 30 de abril de 2008

MISSÃO GOVERNAMENTAL

Parece praga, ô gente mais sem assunto... É só o governador viajar em busca de mais investimentos, que uma porção de invejosos começa a levantar problemas locais. E, maliciosamente, começam dizendo “enquanto o governador está em (coloque aqui o país de sua preferência dos vários que o LHS já visitou e visitará), os buracos continuam...”

Como se o governador fosse se preocupar com a buraqueira da SC 401, só porque está diante do Centro Administrativo. Ou com a situação do CIC, só porque pertence a seu governo. Ou com a falta de médicos e de condições de atendimento nos hospitais só porque são públicos. Ora, todos sabem que dessa miudeza quem cuida é o grupo gestor. Deixem o LHS viajar em paz!

Ninguém impedirá LHS de cumprir seu glorioso destino de atrair empresas estrangeiras para SC. Dando incentivos, é claro, porque é dando que se recebe.

O PAPEL DO GOVERNADOR
Uma leitora muito simpática e quase tão bonita quanto a sogra do governador do Ceará pergunta se o LHS não estaria fazendo coisas aquém (não além, aquém) de suas elevadas funções, ao ficar passando filminho com as atrações turísticas de SC pros gringos.

Imediatamente protestei, porque LHS está lá fazendo coisas muito mais importantes. Leiam só o que o site do próprio governo informa sobre como foi o primeiro dia do LHS no super-hiper-mega-evento Global Conference:
“Acompanhado pelo secretário de Articulação Internacional, Vinícius Lummertz, o governador apresentou vídeos sobre turismo e oportunidades de negócios em Santa Catarina. Depois de sua palestra, houve uma concorrida sessão de debates, com os empresários e executivos buscando mais informações sobre programas de incentivos fiscais, incentivos para investimento em tecnologia de ponta, especialização de mão-de-obra de obra e detalhamento dos programas de desenvolvimento na infra-estrutura, bem como da descentralização administrativa.”
Taí, quebrou a cara quem menosprezou o papel do LHS. Ele também explicou os incentivos fiscais. E isso, vamos e venhamos, nenhum técnico da Secretaria da Fazenda, acompanhado por alguém da Santur, poderia fazer. Só o governador, com sua retórica carismática, seu inglês inebriante e seu inenarrável poder de síntese, para manter acordadas aquelas 30 e poucas pessoas que foram ouvi-lo às 6:30h da manhã.

E hoje tem mais, ainda durante a Global Conference (que é um grande congresso, com 300 palestrantes, dezenas de apresentações simultâneas e cerca de 3 mil participantes). LHS participará de um painel sobre o Brasil:
“Luiz Henrique exporá, dentro do contexto brasileiro, as peculiaridades de Santa Catarina, mostrando dados sobre posição geográfica, infra-estrutura, educação, saúde, disponibilidade de mão-de-obra e as facilidades que o Estado oferece a novos empreendimentos, em especial aqueles que contam com forte conteúdo tecnológico.”
Viram? Não é só filminho turístico.

10 comentários:

Anônimo disse...

Sobre esta última parte, posso resumir a exposição do nosso "governator": Posição geográfica: Ele foi até lá para indicar as coordenadas da Ilha de Santa Catarina (Aprox. Lat. 27 Sul e Long. 48 Oeste); infra-estrutura: Será que ele vai falar que o saneamento básico no nosso estado só não é pior que o do Piauí? Educação: Desmonte da classe de educadores e uso político das escolas, das mais variadas formas; saúde: Falará sobre o asfaltamento dos acessos das cidades, para facilitar a ambulancioterapia, além da falta de macas, médicos e outras coisas básicas; mão-de-obra: Tem aos montes, especialmente terceirizados. Facilidade a novos empreendimentos: É o ponto principal: Poderia se apoiar no depoimento de um empresário amigo, tipo o Marcondes de Mattos.

Carlos Damião disse...

Cesinha, como você é malicioso... Mas vamos ficar de olho no encontro com o Schwarzenegger? Tô louco pra ver o que vai rolar.
Abraço do
Damião

Anônimo disse...

Ele poderia aproveitar e mandar todos os comissionados das SDR's para a frente da TV para assistirem uma víodeconferência direto dos EUA, seria muito chic, não acham?

Anônimo disse...

O mais importante é que ele falou da descentralização. Querias o quê?

Jânio

Schneider disse...

LHS poderia dar um banho nos demais conferencistas. Não entendo porque, mas está perdendo essa oportunidade.
Ele deveria usar a WEBCONFERÊNCIA em Los Angeles. Com autilização de laptops, enquanto saboreavam o café, torradas e ovos mexidos, todos poderiam assistir a mensagem modernista de LHS.
Também não entendo por que a palestra não foi transformada em webconferência para o Brasil? Só nas regionais (que la nos USA ele chamou de condados) a audiência estaria garantida.
Certamente aqueles emergentes terceiro-mundistas dos Estados Unidos não estavam aparelhados para companhar a modernidade de LHS. São tão primitivos que ainda gastam bilhões na construção de modernas rodovias, enquanto aqui o exemplo é o uso maciço de helicópteros. Até poderíamos mandar o Gayoso para lá.

Anônimo disse...

webconferência quando é pra falar com o Oeste de SC. pra falar com algum destino no "estrangeiro", é aviãozinho.

Anônimo disse...

Vão se tratar bando de invejosos. Perdem o tempo para criticar o governador que está mudando a cara de SC. Estão é com inveja só porque o litoral não é mais o dono do dinheiro publico em SC. NO passado, só existia Floripa, Balneário e outras cidades dai, que levavam todos os recursos. Agora, graças a LHS, os investimentos estão vindo para os municípios mais pobres e menos desenvolvidos e está sendo pago uma dívida com as regiões esquecidas no passado. Vão se tratar, esnobes críticos apaixonados pelo 'quanto pior melhor'.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 7:19 PM: Você não deve ser daqui, não é mesmo? E deve ter um empreguinho bom, do tipo comissionado, não é? poderias aproveitar tua boa renda e estudar mais. No passado existia (e ainda existe) FLORIANÓPOLIS, e imagino que você esteja se referindo a Balneário Camboriú.
Você pensa que o umbigo do país fica em SC? Só falta dizer que todo o bom momento econômico que o PAÍS vive é devido à descentralização do rei LHS. O ponto na grande maioria das discussões aqui é a malversação do dinheiro público. Segundo tuas palavras, o teu rei pode continuar praticando atos imorais e ilegais que tudo bem. A economia está ótima, portanto é resultado das ações dele; deixa o rei roubar (ou trabalhar, no teu ponto de vista).
Pessoas como você não sobrevivem na iniciativa privada. Vá estudar, pois um dia este (des)governo acaba!

Anônimo disse...

O Damião está preocupado com o encontro do agora "Louis Fifteen" com o Schwartzeneger !
Mas não precisa se preocupar, pois lá o Schwartzeneger só fazia o papel de "Exterminador do Futuro" no filme, enquanto aqui...

Anônimo disse...

Tio César,

Saiu nos jornais de hoje que na solenidade da foto o LVX falou 5 minutos em "ingrês". Vamos corrigir, pois ele leu (e não deve ter sido com bom "accent").
Depois, nos debates, onde é preciso falar, ouvir, intepretar, etc em inglês ele passou o cargo para seu agente de viagens 0 "quirido". Este sim, sabe tudo de Inglês, mas ainda não pagou a conta de seus estragos na SC Parcerias. E o Alaor que ameaçou sair, ficou por que, por que ficou?
Por fim, não tivessem inventado este tal de telepronter invisível, nem discurso dobre a "descentralização" ele faria de cor e salteado!