quarta-feira, 16 de abril de 2008

EXTRA: DARÍO X SEU CHICO (O retorno)

Só agora fiquei sabendo que a prefeitura vai tentar mais uma vez, amanhã, derrubar o tradicional e histórico bar do seu Chico, lá no Campeche (foto acima).

Atualização da noite: depois de ler as contribuições dos leitores, lembrando que a iniciativa de pedir a derrubada foi da dona Ângela e constatar a insistência do juiz Hélio do Valle Pereira em ver a coisa na chón, sou obrigado a relativizar a participação do prefeito Darío e sua equipe no processo. Até poderia, meio por birra, manter as cobranças, tipo “por que não tentaram reverter a decisão?” ou coisa parecida, mas sinto que, neste caso (e até onde consegui saber), não vale a pena.

Por isso, apaguei vários parágrafos que estavam antes aqui. Acho que perderam o sentido.

Atualização da tarde: um assessor do Darío, que adora comentar anonimamente com seu estilo inconfundível (nunca escreve direito o “transitado em julgado”), trouxe informações “novas” que “esclarecem” bem o problema.
“Taí mais uma "obra herdada da tia Angela".
A ação foi impetrada pela tia em 2001.

Agora, trasitada e julgada, a justiça mandou derrubar o bar.
Se a prefeitura não derrubar o presidente da Floram vai preso por descumprir ordem judicial.

E agora a culpa é do Dário?

Vcs são muito engraçados e muito mal informados.”

Mais lenha...
Outro comentário de leitor:
Independente das discrepâncias do Sr. Prefeito nas atitudes de seu governo o Bar do Chico está irregular, não paga qualquer imposto além de estar em área de preservação... isto pra não falar na higiene inexistente naquele ambiente ...O 'Seu' Chico que me perdoe, ele é um fofo mas, o bar tá ilegal!

Claro que o ideal seria que o Costão do Santinho e seus vários costões também fossem ao chão, o Iguatemi, o Rosa do Rio Tavares, o Bistek da Costeira e tantos outros. Mas uma ilegalidade não pode servir de exemplo para manutenção de outras!

E falar é fácil... Porque os 'defensores' da permanência ilegal do Bar do Chico não se mobilizam pra que a 'grande imprensa' tenha que noticiar o assunto ligando o ventilador para as outras tantas irregularidades?

Mexam-se. afinal vocês são ou não são pela permanência do bar na areia da praia?????????

E um leitor manda o endereço do processo, para que vocês possam beber direto na fonte:

“O número do processo contra o Bar do Seu Chico é 023.99.067339-4. O andamento pode ser acompanhado pelo site do Tribunal de Justiça de SC (comarca da capital).”

Atualização da quinta: Abaixo, nota/press release que a Prefeitura publicou em seu site de notícias, a respeito do caso.
“A verdadeira história do Bar do seo Chico

A demolição do bar de seo Chico, localizado nas dunas da Praia do Campeche, Sul da Ilha, numa Área de Preservação Permanente, foi pedida pela ex-superintendente da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram), Elizabeth Amin Vieceli, na gestão passada. A ação entrou na Justiça em 2004, ainda na administração anterior.

A primeira sentença determinando a derrubada do bar ocorreu no dia 2 de junho de 2006, um ano após Dário Berger assumir a Prefeitura de Florianópolis. Como seo Chico não recorreu, três meses depois, em 12 de agosto, a sentença foi transitada em julgado. “Desde este período,tentamos um acordo com seo Chico para que ele desocupasse as instalações, amigavelmente, sem causar nenhum problema que o prejudicasse, mas não obtivemos êxito”, afirmou o procurador Jaime de Souza.

Agora, o juiz Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital, Hélio do Valle Pereira, oficializou a prefeitura sobre a demolição do imóvel, dando um prazo de 10 dias para o município se manifestar. De acordo com o procurador, o prazo termina nesta terça-feira, dia 22 de abril.”

9 comentários:

Schneider disse...

Se fosse o Marcondes de Mattos a história seria outra. Ele é um empreendedor e não pode sofrer interrupções em suas ações. LHS não permite que incomodem o Marcondes.
Já o Chico não representa a modernidade vislumbrada por LHS & Cia. Ele sequer fala francês e talvez nem frequente a Marlene Rica.
Entre o Chico e o Marcondes há uma grande diferença: o tratamento que recebem dos poderes públicos municipal e estadual. Por quê? Porque nesses governos impera a mais grosseira politicagem interesseira do protecionismo e da desigualdade.

Anônimo disse...

Taí mais uma "obra herdada da tia Angela".
A ação foi impetrada pela tia em 2001.
Agora, trasitada e julgada, a justiça mandou derrubar o bar.
Se a prefeitura não derrubar o presidente da Floram vai preso por descumprir ordem judicial.
E agora a culpa é do Dário?
Vcs são muito engraçados e muito mal informados.

Anônimo disse...

A briga da Angela com o filho do seu chico, candidato a vereador do PT, resultou na ação.

Parece que a prefeitura está achando uma solução para o problema, contruindo um quiosque para o ele perto do local, mas fora da duna.

Anônimo disse...

Valente, não seja injusto. O Dario não tem culpa de nada. Nem do viaduto do Funil, quer dizer, do Itacorubi; nem do Viaduto do Nó, quer dizer, de Capoeiras; nem do Moeda Verde; nem do desvio do Banco, quer dizer, da Beira-mar Norte... Tu és muito malino, ô Valente!

Anônimo disse...

Independente das discrepâncias do Sr. Prefeito nas atitudes de seu governo o Bar do Chico está irregular, não paga qualquer imposto além de estar em área de preservação... isto pra não falar na higiene inexistente naquele ambiente ...O 'Seu' Chico que me perdoe, ele é um fofo mas, o bar tá ilegal!
Claro que o ideal seria que o Costão do Santinho e seus vários costões também fossem ao chão, o Iguatemi, o Rosa do Rio Tavares, o Bistek da Costeira e tantos outros. Mas uma ilegalidade não pode servir de exemplo para manutenção de outras!
E falar é fácil... Porque os 'defensores' da permanência ilegal do Bar do Chico não se mobilizam pra que a 'grande imprensa' tenha que noticiar o assunto ligando o ventilador para as outras tantas irregularidades?
Mexam-se. afinal vocês são ou não são pela permenência do bar na areia da praia?????????

Anônimo disse...

O número do processo contra o Bar do Seu Chico é 023.99.067339-4. O andamento pode ser acompanhado pelo site do Tribunal de Justiça de SC.

Anônimo disse...

Penso que é crime construir em cima do maior sitio arqueológico de inscrição rupestre do Brasil, também é crime o residencial do golf, o campanário, o shopping em cima do mangue, a boate de jurerê na reserva, o bar do Chico em cima das dunas o Bisteke também... é daí?

Vamos todos começar demolir como o muro de Berlim? Tô dentro!!!

AnTônio Carlos

Anônimo disse...

Então tá ! Se é para consertar, vamos ver se os defensores da permanência do Bar do Chico nas dunas também não construiram sem alvará lá no Campeche, no Rio Tavares, nas Areias, na extinta Lagoa da Chica, no Morro do Lampião ou mesmo naquele condomínio na rua das Gaivotas, que está dentro da área de proteção da Lagoa Pequena !
Assim vamos ver se eles estão realmente preocupados, por exemplo, com o destino do esgoto que eles produzem e que se infiltra no aqüífero, ou se é só discurso para "OS OUTROS" respeitarem a natureza !

Anônimo disse...

Mas será possível que essa turma do Darío não tem capacidade de encontrar outra explicação, quando a ação não dá IBOPE ?
Já fazem quase quatro anos que a Tia Ângela foi embora, e tudo que essa turma do Darío faz, ainda é culpa nela ??? Será que Florianópolis foi fundada por ela ?
Se a Ângela estava errada ao mover a ação contra a permanencia do Bar do Chico na duna, porque a Justiça, depois de sete anos, confirmou a determinação para a demolição ?
Afinal quem errou ? A Ângela ao denunciar, a Justiça ao julgar, ou o Darío ao executar ? (nem sei se já executou !)