terça-feira, 18 de março de 2008

“DOE” A QUEM DOER

Leitor manda cartinha lembrando que, na comemoração de 70 anos da Imprensa Oficial do Estado de Santa Catarina (em 1º de março de 2004), segundo material divulgado pelo próprio governo, foi lançado o Diário Oficial Eletrônico de Santa Catarina.

Na época, a informação distribuída aos jornais dizia que “o conteúdo da publicação poderá ser lido já a partir de hoje, pela Internet”.

Passada a festa, nada aconteceu. No começo, era apenas um pequeno atraso, necessário para alguns acertos de última hora. Depois ficou claro que não teria nada na Internet. E ponto.

O mais engraçado é que ficou o dito pelo não dito e o assunto saiu das páginas dos jornais da mesma forma como entrou. Sem alarde. Ninguém pressionou o governo para que explicasse o lançamento abortado do DOE eletrônico.

Lembro bem disso porque, na época, eu era assessor de imprensa da Secretaria da Administração, a quem a IOESC era vinculada. Ajudei, portanto, a avisar que na festa de aniversário da Imprensa, haveria esse lançamento. E estava na solenidade em que isso foi anunciado.

Mas acabei ficando sem saber, tanto quanto os demais contribuintes, exatamente por que voltaram atrás. Até tentei descobrir, para o caso de algum coleguinha resolver perguntar, mas não tive sucesso. Pouco tempo depois da festança, o diretor da IOESC foi saído e fez algum barulho, atirando contra o então secretário Marcos Vieira.

Agora, anos depois, o governo anuncia novamente, “para o primeiro semestre de 2008” o lançamento do Diário Oficial na Internet e ninguém fala sobre os problemas que obrigaram o governo a parar tudo e começar do zero.

Uma boa demonstração de apreço pela transparência seria, ainda antes de reinaugurar o novo serviço, oferecer aos contribuintes uma detalhada e veraz explicação sobre todos os problemas que ocorreram. E os motivos que levaram o projeto a empacar tantas vezes, naturalmente consumindo, em cada ida, vinda, recomeço e parada, recursos oficiais. Quanto foi gasto até agora só neste projeto?

Seria uma boa forma das autoridades estaduais poderem discursar de cabeça erguida no relançamento. Claro, porque colocar o Diário Oficial na Internet é uma excelente ocasião de falar em responsabilidade política, em publicidade dos atos oficiais, em jogar limpo com o contribuinte. Desde que as trapalhadas que antecederam o ato não sejam simplesmente varridas pra debaixo do tapete, com o beneplácito da memória fraca da imprensa.

4 comentários:

Anônimo disse...

A demora deve ser pelo tamanho do currículo do presidente do Ciasc - distribuído pelo órgão:"Doutor em Engenharia de Produção pela UFSC em 2001 e pós-doutor em Governo Eletrônico na mesma em 2003, Hugo César Hoeschl assumiu a presidência do Ciasc em janeiro de deste ano(2007). Devido ao cargo no Governo do Estado, Hoeschl se licenciou do cargo que exerce como procurador da Fazenda Nacional e presidente do Conselho Científico do Instituto de Governo Eletrônico, Inteligência Jurídica e Sistemas. Paralelamente ao Ciasc, Hugo Cesar Hoeschl atua nas funções de professor credenciado da UFSC, vice-presidente da Associação Brasileira de Empresas Estaduais de Processamento de Dados(ABEP) e membro consultivo e do júri do Prêmio Conip SP de 2007 (Conselho de Informática Pública).
Publicou 19 artigos em periódicos especializados em países como a República Tcheca, Alemanha, Dinamarca, Eslovênia, Estados Unidos e México e 136 trabalhos em anais de eventos em países como Argentina, Espanha, Chile, Escócia, França, Portugal, Estados Unidos, República Tcheca, Índia, Inglaterra, Alemanha, China, Grécia, Itália, Noruega e Polônia. Possui 23 capítulos de livros e 7 livros publicados, além de 30 softwares e 6 processos ou técnicas. Teve participação em 57 eventos cietíficos, grande maioria realizada fora do Brasil. Orientou 21 dissertações de mestrado nas áreas de Engenharia de Produção, Direito e Ciência da Informação e 2teses de doutorado. Recebeu 23 prêmios e/ou títulos. Entre 2001 e 2006, participou de 8 projetos de pesquisa, sendo que 1 ainda está em andamento. Atua na área de Direito, com ênfase em Governo Eletrônico. Em suas atividades profissionais interagiu com 85 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos. No seu currículo Lattes, os termos mais freqüentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artística-cultural são: Governo Eletrônico, Gestão do Conhecimento, tecnologia da Informação ....."

Obs: Hugo Cesar Hoeschl é sobrinho-neto do Governador Aderbal Ramos da Silva, neto do Desembargador Arno Hoeschl e filho do vereador Hélio Ramos da Silva Hoeschel.

Luiz Carlos Schneider disse...

Se o D.O. Eletrônico foi lançado em 2004, então existe. Foi anunciado, portanto existe. E nós temos que fazer de conta que existe e, ainda, ouvir que SC tem o melhor governo eletrônico do Brasil. Ou vocês nuna ouviram falar em "reserva de mercado" e Rainha da Sucata?

Anônimo disse...

Bem antes de 2004 o secretário da casa civil era o Celestino Secco e ele prometeu que em breve o DOE estaria na Internet logo logo. E eu acreditei...

Anônimo disse...

O governo de santa catarina sempre inovando:

Factóide ao quadrado...