terça-feira, 2 de setembro de 2008

PAVAN SE EXPLICA

Está bem interessante a entrevista que o vice-Pavan deu agora à tarde ao blog de Brasília da RBS. Só para aguçar o apetite, pincei umas frases esparsas:
“As minhas testemunhas servirão para dizer que eu era senador na época relatada na denúncia.”

“Eu não tentei impugnar o processo. Foi o advogado do governador que entrou com um pedido de impugnação. Olhando de longe esse caso, dá a impressão que o culpado sou eu. Mas o processo é contra o Luiz Henrique.”

“Em nenhuma parte desse processo o meu nome e o meu partido são citados. Se faço parte desse processo, é por lealdade. Para ajudar a defesa do governador.”
Leia a íntegra da entrevista aqui.

11 comentários:

Anônimo disse...

"Ele (Fischer) confiou nos papéis que a gente já apresentou. Não quis fazer nova auditoria — diz Pavan"

Kkkkkk!!!! Que piada!
O importante é manter a pose! Sempre!

Anônimo disse...

"No mais, esse processo é contra o Luiz Henrique, as demais testemunhas vão fazer a defesa dele"

Mais um possível tiro no pé. Correm o risco do pedido para ouvir tais testemunhas ser negado, pois justamente O PAVAN É QUE FOI CHAMADO A SE DEFENDER. O LHS já apresentou sua defesa. Lembram da frase "Sem prejuízo do aproveitável"?
Acho que os advogados estão perdidos e desorientados, pois o mérito do processo está chegando...

Anônimo disse...

É bem a cara do PSDB essa entrevista do Pavan. Aproveitam o quanto podem, pintam, bordam e até constroem trens inteiros a custa do dinheiro do Estado. Depois diante da primeira dificuldade querem sacudir as calças e ir embora. Eita ética pai d'égua !

Anônimo disse...

Na realidade, pensemos bem, a defesa do Pavan é, somente, do Pavan, entenderam...por mais que ele fale nos autos, a defesa não vai ser aproveitada pelo LHS; a tese dele é dizer que na época não estava no governo, era senador, ou seja, "vou tirar o meu da reta"....

Anônimo disse...

Eu acabei de escutar a entrevista que a Márgara deu ao jornal "a Gazeta" de Joinville onde ela conta com detalhes os encontros que teve com o governador, secretários de Estado e empresários. Fiquei besta, pois são 45 minutos de descrição da mais pura sacanagem, gente!! Daí eu pergunto para os que são entendidos na coisa: A Márgara poderia ser chamada pra depor pelo TSE? Se ela repetir a metade do que declarou espontaneamente à Gazeta, não vejo como algum mortal concluir pela inocência desses caras!! É demais!!

Wilmor Henrique disse...

Bom, só li o que você pegou da entrevista, eu resumiria assim:
"Ô, Pega o careca de bigode, me deixa em paz tche!"
hehehehe.
Vai que cola, ele ainda ganha um ano e meio na teta.

Anônimo disse...

CESAR CESAR CESAR

Que entrevista da Margara à Gazeta é esta relatada em um post aí acima?
Quando foi e tem como 'escutar' (foi gravada?)?

Isso pode ajudar a defesa da Insular a liberar o lançamento do livro, pois, se a moça continua falando, espontaneamente...

Anônimo disse...

Morreremos e não veremos tudo ainda. LHS vai ficar na história triste com toda essa junção. é muito triste para o Estado, para o País todas essas situações. A única certeza que são uma tropa

Cesar disse...

Anônimo das 8:00, acho que essa entrevista não é recente. As que eu conheço estão disponíveis no Cangablog (cangablog.blogspot.com). Mas o leitor que fez o comentário, se aparecer de novo por aqui, pode esclarecer melhor.

Anônimo disse...

César, o Pavão arrolou testemunhas para provar que ele era Senador na época? Pô, ninguem sabia que esse cara era Senador? Que piada desses advogados eim?

Anônimo disse...

Sim, eu escutei a entrevista no cangablog. Dá pra escutar em duas partes, é só clicar conforme indicado no Blog. A entrevista não é recente, mas não interressa, pois a Márgara conta detalhes muito interessantes, cita nomes, o diabaquatro. O bom é que se trata da Márgara de "antes", e não a de agooooora, se é que me entendem...hehehe