terça-feira, 23 de setembro de 2008

O CANDIDATO TEFLON®

MAIS UM ESCORREGADIO CURSINHO DE PSEUDO-CIÊNCIA POLÍTICA DO TIO CESAR

A história do Teflon® começa em 6 de abril de 1938, no Laboratório Jackson, da DuPont, em Nova Jersey, EUA. O químico Dr. Roy J. Plunkett, da Du Pont, estava trabalhando com gases relacionados com o resfriador Freon®, que é outro dos produtos da empresa. Ao conferir uma amostra comprimida e congelada de tetrafluoretileno, o Dr. Plunkett e seus companheiros descobriram que a amostra tinha polimerizado espontaneamente, formando um politetrafluoretileno (PTFE).

O PTFE é inerte a virtualmente todos os químicos e considerado o material mais escorregadio existente. Essas propriedades o tornaram uma das tecnologias mais versáteis e valiosas já inventadas, contribuindo para avanços importantes nas áreas aeroespacial, comunicações, eletrônica, processo industrial e arquitetura.

A marca Teflon®, registrada pela DuPont em 1945, tornou-se um nome familiar nos lares do mundo todo, pelas suas propriedades anti-aderentes, associadas ao seu uso como revestimento de panelas e frigideiras e como proteção anti-manchas em tecidos e produtos têxteis.

O Dr. Roy Plunkett, falecido em 1994, é reconhecido pela comunidade científica internacional como um dos grandes inventores de todos os tempos, equiparado, por exemplo, a Thomas Edison e Louis Pasteur.

UM NOVO USO
No Brasil, a imprensa irreverente e desrespeitosa tem usado a marca Teflon® para identificar aqueles candidatos a cargos eleitorais que parecem ter sido recobertos pela prodigiosa película anti-aderente.

Quando um candidato, em plena campanha, recebe uma condenação do Tribunal de Contas da União e é obrigado a devolver R$ 500 mil e sua popularidade não é nem arranhada com o anúncio desse malfeito, podemos suspeitar que estamos diante de um candidato Teflon®.

A comprovação, no entanto, só virá se, por acaso, uma instituição como a Associação dos Magistrados Brasileiros informar publicamente que o candidato responde a cinco processos por improbidade administrativa. Se, mesmo com esse anúncio, as pesquisas não detectarem qualquer abalo nas intenções de voto, então, definitivamente, temos aí uma ampla cobertura de Teflon® no candidato.

O produto, como vimos acima, é prodigioso. É imune a praticamente todos os produtos químicos e é mais escorregadio do que limo no costão. Nada gruda, nada cola e quase nada o corrói.

O candidato Teflon® pode, sem grandes preocupações, mudar de partido a cada eleição, mesmo que no País tenha ocorrido uma discussão sobre fidelidade partidária e tenham sido estabelecidas punições para os infiéis. E, já que nada acontece com ele e sua popularidade, pode até se candidatar por um partido e ir ao município vizinho fazer campanha contra o candidato de seu próprio partido. O Teflon® o protege inteiramente.


Ao contrário do polímero da DuPont, porém, esse Teflon® alegórico que certos jornalistas metidos a engraçadinhos tentam sarcasticamente aplicar sobre alguns políticos, não é completamente eficaz, embora pareça. Funciona maravilhosamente com o eleitor distraído, que gosta de votar “em quem vai ganhar”. Mas há sempre o risco do excesso de confiança provocar um desgaste súbito da película anti-aderente, com resultados imprevisíveis.

17 comentários:

Carlos disse...

O efeito anti aderente do "Teflon" é potenciabilizado pela blindagem que a grande imprensa faz do "produto".
As normas editoriais do monopólio jornalístico catarinense definem que durante o período eleitoral os seus periódicos não devem "tomar posição" e assim deixam de noticiar assuntos que podem influenciar a escolha do candidato pelo eleitor.
Essa é a explicação de não haver a devida divulgação para a concientização dos eleitores de que em Florianópolis um dos candidatos tem a "ficha suja" na Justiça, e por coincidência, esse candidato tem o poder de decidir algumas questões, tais como a publicidade da Prefeitura....
Deve ser pelo mesmo motivo que também o eleitor de São José não é informado que lá também tem um candidato que tem a "ficha suja", coincidentemente o irmão do "ficha suja" daqui, e que, também por coincidência, ele está condenado pelo Tribunal de Contas da União no mesmo processo do irmão.
Alías, no Tio Patinhas tinha a figura dos três irmãos "ficha suja", lembra ?
QUANTA COINCIDÊNCIA !

Anônimo disse...

Tio, é anti-aderente e blindado tbém?

Anônimo disse...

O teflon tem uma campanha publicitária milionária, infinitamente superior à dos congêneres. Como é usado em frigideira, ele agora passou a distribuir cestas básicas entre seus usuários, apesar de não ser permitido por lei. Distribui e coloca na campanha publicitária com destaque!
O projeto é criar uma joint venture com o teflon de São José, de forma a ganhar o mercado do estado num segundo momento, já que o produto tem muita procura e aceitação na região e mesmo no país, visto seus congêneres bem sucedidos.
Os eleitores gostam deste tipo de produto, pois ele promete maravilhas. Mesmo sabendo das contra indicações – teflon causa câncer com muito uso - eles não se importam. O produto paulista malufon, por exemplo, foi o mais vendido em todo o país na pesquisa passada, mesmo depois de divulgados seus vários malefícios, como acúmulo de gordura financeira, retirada do mercado de usuários.
De vez em quando um teflon dá chabú e sua película protetora, normalmente feita de óleo de peroba, deteriora frente a um novo produto. Isto pode acontecer em ilhas e regiões litorâneas, devido à maresia, que corrói a película. É o que veremos no teste de outubro.
Carlos X

amilton alexandre disse...

Tio César antes do teflon existe um produto largamente usado pela escória política de nossa cidade.
O famoso e tradicional óleo de peroba. Gostaria que nos desse
informações sobre o uso e eficácia deste produto de origem vegetal.

França disse...

Mas lá no município vizinho, esses irmãos já de longa data,tem a sua fama de poucos amigos daqueles que não compactuam com suas maracutaias!
Eu como funcionário da PMF, sei bem como isto funciona, pois a três anos sinto na própria pele o que é não ser amiguinho do rei!!!!É a tal da democracia? Coisa insólita descobri que existe muito mais masoquistas na PMF do que eu poderia supor!!!Será que além de alumínio não estão colocando nenhum alucinógino na água de floripa? Só pode!

Grande abraço!
Roberto Luis de França.
www.blogdoximbika.blogspot.com

Anônimo disse...

Cesar

Teflon tem é na careca brilante do cara-de-pau com quem tua coluna mais se identifica a cada dia... Menas, mané!!!

Blindagem era especialidade do casalsinho do Bom Abrigo. Só que bateu o vento suli e eles avuaram... Na marra!

jânio disse...

Onde está escrito Teflon leia-se oposição burra.

Anônimo disse...

Parece-me que a única possibilidade de remover o teflon é o uso de 'Palha de Aço'e parece-me que só temos no mercado o famoso "BOM BRIL"!

Carlos disse...

Cesar, parece que em São José a camada de teflon é mais fina. A pesquisa de intenção de voto que tá na capa do Notícias do Dia de hoje, mostra que o Berger de lá está em queda livre, mesmo com os gestos de carinho da primeira-dama licenciada de cá.

Anônimo disse...

Tem também o "Jornalista Teflon", aquele que sempre é escorregadio,irônico e que nenhum processo atinge ele. Fala besteiras o tempo todo, cria encrencas onde não existem, julga como um juiz, acusa sem provas e se acha o paladino das verdades.
Não aceita críticas que não sejam as suas e acha que todo exercício do Poder faz mal à população.
Este "jornalista teflon" não tem emprego formal, nunca foi nem será um grande jornalista.Ele vive frustrado por isto. Escreve para meia-dúzia de amigos iguais a ele (que formam um lindo jogo de "panelinhas teflon") e dorme com a consciência pesada por não ter se dedicado mais à profissão tendo que viver de bicos e frilas. Este tipo de jornalista vive lamentando a falta de oportunidades na carreira e suas opiniões também não colam em lugar algum.
O "jornalista teflon" é um sabonete, é liso e despresível, assim como suas opiniões. Por isto nem mais jornalista deveria ser considerado. O SJPSC, através da sua comissão de ética, deveria avaliar melhor seus quadros. Quando um jornalista se torna um "teflon" deveria ter o diploma cassado.

Anônimo disse...

Para o anônimo das 8:42 eu recomendo consultar o site http://www.amb.com.br/?secao=listacandidatos, para ver quem tem "folha corrida" tanto pros lados de Itaguaçu como também prá lá do Rio Araújo !
Os do Bom Abrigo, com ou sem vento suli, eles continuam a andar pela rua sem necessidade de guarda costas nem de "Silvinhos" !!

Cesar disse...

Ô das 11:38, tô contigo. Abaixo os jornalistas teflon. Só não entendi qual o preconceito contra quem não tem emprego formal. Tem muita gente que vive muito bem (e trabalha muito bem) e não tem o tal "emprego formal". Nunca achei que emprego fosse atestado de nada. Principalmente entre os jornalistas. Eu, em todo caso (e enquanto o Diarinho me aturar) tenho emprego fixo, mas nada impede que daqui a pouco prefira deixar disso para ter mais tempo para fazer frilas de reportagem, por exemplo. Quanto ao resto, todo teflon é um aborrecido. Tenha a função que tenha.

Anônimo disse...

Deixa ver se eu entendo o anônimo das 11:38, o que fala dos jornalistas teflon. O que está ele a insinuar? De quem esta a falar? Creio que é contigo César, e está insinuando que você, e nós, sua “meia-dúzia de amigos”, acusamos sem provas o político teflon em questão. Um, mais provas contra o político que falamos, impossível. A condenação, a devolver 500 mil à prefeitura de São José foi dada com provas. As outras cinco acusações (por enquanto) ainda estão em andamento, e todas elas são baseadas em provas, claro. Dois, o que parece que o 11:38 quer é usar a velha tática de atacar ao invés de defender (o indefensável, daí o ataque).
O que pede – avaliação de quadros do SJPSC – os partidos do teflon deveriam ter feito. Mas como em partido no Brasil entra boi e boiada, ele esteve em todos.
Pela emoção e eloqüência com que defende o teflon, creio que o 11:38 seja um representante da firma. Fique calmo, não se estresse antes, seu produto ainda está em alta. Guarde sua apoplexia para quando as ações começarem a baixar, como está acontecendo em São José.

Luiz Carlos Schneider disse...

Nossa, esse Teflon grudou.
César, infelizmente muitos leitores são pauteurizados pela grande mídia. Para esses a informação tem que ter o formato do Jornal Nacional e a diagramação do DC. É a única leitura que assimilam. Nada de inovar. Muito menos ter a ousadia (seria sacrilégio?) de mostrar coisas podres no reino que para eles é dourado.
São leitores que entendem por credibilidade o potencial econômico do veículo. Estão acostumados aos "eufemismos" e sequer notam quando o destaque é inverso à importância do fato.
Hiptotizados pela telinha, no embalo da ritmo imposto pela rádio da moda, são leitores do jornal da mesma linha. Acabam fãs destes veículos. E, assim, o que ali estviver terá mais do que credibilidade e será visto como a verdade.
É coisa antiga, mas ainda prevalece a lavagem cerebral. O resultado é esse, do anônimo acima (11:38). É o domínio sobre os leitores e eleitores. Isso justifica o porquê de um grande grupo nunca criticar LHS & Cia. Dividem os frutos dessa parceria. Leitores, ouvintes e telespectadores para um lado e eleitores para o outro. Um bom negócio para eles. Péssimo para a sociedade.

Carlos disse...

César,
Não lhe conheço pessoalmente e portanto não sei se me incluíram na sua "meia-dúzia de amigos que formam um lindo jogo de "panelinhas teflon". Quero informar é que estou contigo e não abro.
Os que se sentiram prejudicados tiveram o direito de se manifestar, como fez o indivíduo das 11:38.
Parece que é o "Teflon" que está esquentando a cabeça, portanto ele precisa ficar atento pois o fabricante alerta que o produto pode ser danificado pelo calor intenso !!!
Palito de fósforos quando esquenta a cabeça acaba queimado !
Vai em frente Cesar, pois se o Teflon ganhar, o "jogo de panelinhas" vai ter muito assunto aqui que os gaúchos não divulgam !

Anônimo disse...

Caro Cesar

Quanta escrotice do abobalhado que fala de jornalista teflon. Possivelmente, pelo texto, ou vem de um abastado comitê de campanha ou o ID vai entregar a máquina (PC) de um comissionado. Pelo 'nível' da patrulha, tuas críticas devem estar pegando em cheio na veia, na jugular de algum canalha, nas bolas de algum pelintra, na medula de algum picareta. Continua assim, abraços de um dos 06 muito 'honrados sobrinhos do Tio Cesar' - provavelmente um dos 6 ... SEIS MIL ACESSOS diários... Paulão

Anônimo disse...

O que falta é competência da oposição. Para dar fim numa panela com Teflon basta dois ou três risquinhos bem feitos. Até este momento, a oposição aposta que as notícias negativas (e verdadeiras) sobre o candidato líder nas pesquisas bastam para riscar a camada de Teflon. Não bastam. É preciso "traduzir" estas notícias para um português de botequim, e fazer chegar a mensagem às massas, aos morros, aos consumidores de cestas básicas...