quinta-feira, 25 de setembro de 2008

MINISTÉRIO PÚBLICO ONLINE

Falei, numa das notas abaixo, que encontrei os extratos de investigação do Ministério Público no Diário Oficial do Estado. Um leitor, muito educado (nem me chamou de anta ou de bananão desinformado e/ou distraído), avisa que o Ministério Público coloca suas informações na rede. Ao contrário do governo do estado, que não consegue fazer o DOE sair do papel.

Aqui, na área de publicações oficiais do site do MPE, tem um diário eletrônico oficial em pdf, que pode ser acessado de qualquer computador. Na verdade é semi-oficial porque lá se informa que aquele material não substitui a publicação no DOE de papel.

Tecnicamente, a reprodução em pdf já é alguma coisa, mas ainda não é o melhor dos mundos (não é fácil fazer pesquisa de conteúdo, por exemplo). Mas para quem precisa ou quer manter-se informado sobre o que os procuradores estão investigando o que o Ministério Público tem feito, é bem útil.

Já que vocês são tão sabidos, digam lá: quais os estados brasileiros em que o DOE ainda não tem uma versão online funcionando normalmente?

3 comentários:

Anônimo disse...

Novidades no front dos esportes, quintal do ministro Orlando "Tapioca" (PC do B).
Ou seja, no Brasil todo mundo mete a mão, direita, esquerda, em cima e embaixo. Publicado agora no blog do Juca Kfouri.
A FESTA COM O NOSSO DINHEIRO NO PAN
“O relatório do Tribunal de Contas da União sobre os gastos públicos no Pan-2007, divulgado hoje (24/09), é ainda parcial, porque faltam dados não só do Ministério do Esporte como também das diversas estatais que apoiaram o evento.
O Ministério tem 30 dias para apresentar suas contas definitivas e as estatais, 15.
Seja como for, há dados que dão a medida do descalabro cometido com o seu, o meu, o nosso suado dinheirinho.
Sabe quanto custou aos cofres públicos a diária de cada atleta hospedado na Vila Pan-Americana?
A incrível quantia de R$ 1.137, 00 por dia, repita-se, algo muito superior ao que cobram os melhores hotéis cariocas, como, aliás, o relatório faz questão de observar.
Mas há muito mais.
O documento faz referências a gastos "despropositados" e volta a mencionar o escândalo cometido com o sistema de credenciamento, originalmente orçado em R$ 55.000,00 e que chegou à casa, pasme, de nada mais nada menos do que 26,7 milhões de reais.
O cálculo, repita-se, ainda parcial estima em 3,3 bilhões de reais o total de dinheiro público gasto no evento, alguma coisa de assombroso numa competição da terceira divisão internacional e de apenas duas semanas.
Lembremos que, segundo o orçamento inicial, os gastos públicos seriam da ordem de R$ 523,84 milhões.
Há casos ainda como os de materiais importados, dardos, varas de salto e material para o taekwondo, encontrados pelos fiscais do TCU nos depósitos do Comitê Olímpico Brasileiro, que simplesmente não foram usados porque chegaram ao país depois do fim dos Jogos.
Não é mesmo de se tirar o chapéu para Carlos Nuzman e Orlando Silva?”

rikejuca disse...

Caro Cesar,

Não sei se entendi sua afirmação quanto a impossibilidade de se realizar uma busca em um documento no formato PDF, mas isso é possível. Na ferramenta mais popular, o Adobe Acrobat, existe a opção de busca. Outra ferramenta livre, o PDFx Viewer, também permite isso.

Att.

Juca

Cesar disse...

Juca, não falei que era impossível, disse que era difícil. Tem como fazer a busca dentro do documento que está aberto. Um por vez. Complica quando não se sabe em qual documento está o que procuramos, ou se queremos uma busca em um determinado período. Claro, se a gente baixar os documentos pra alguma pasta, dá até pra fazer busca em vários deles. Mas online não tem como. Ou tem?