quarta-feira, 17 de setembro de 2008

OS DONOS DO PEDAÇO

A operação da Polícia Federal deflagrada hoje para investigar suspeitas de crimes ambientais, toca numa ferida que está aberta desde a operação Moeda Verde: a falta de consciência ambiental de muita gente, que acha que pode tudo. E em geral pode mesmo, ao fazer os agrados certos às pessoas certas.

Do que está publicado no DC online, um parágrafo me chamou especial atenção:
“A Inplac Indústria de Plástico S.A, em Biguaçu, estaria sendo investigada por descaracterização de Áreas de Preservação Permanente (APP), pela canalização e aterro de córregos e da prática de "licenciamento parcelado" — quando o empreendimento é licenciado em fases, para que o impacto não seja levado em consideração para a expedição da licença.”

A Inplac é do Fernando Marcondes de Matos (Costão do Santinho), que está entre os que foram “conduzidos à sede da PF” (ou seja, tucanaram a prisão). Espera-se para qualquer momento uma manifestação de desagravo do governador LHS, talvez até reiterando a acusação de pirotecnica contra a PF.

Outra investigada, a Proactiva Meio Ambiente, é uma multinacional de saneamento. Já levou prefeitos da Grande Florianópolis e suas esposas (geralmente secretárias de alguma coisa) para visitar sua sede, na Europa. Fico curioso para saber como as organizações de defesa do meio ambiente da União Européia reagirão ao saber que estão exportando, para a América Latina, esse tipo de procedimento.

Lá no DC tem a lista dos que foram “conduzidos à sede da PF”, mas trago pra cá, para facilitar a vida dos preguiçosos ou dos que têm conexão a lenha:
— Armelindo Ramos, da empresa Corbelix
— Fernando Marcondes de Matos, dono da Inplac
— Luiz Carlos da Rocha, funcionário da Inplac
— José Luiz Picoli, diretor da Proactiva
— Ernani da Luz Santa Ritta, gerente da Proactiva
— Régis Jean Daniel Hahn, funcionário da Proactiva em SP
— Raul Alberto Dellvalle Ferreyra, funcionário da Proactiva em SP
— Celso Kiyoshe Takeda, funcionário da Proactiva em SP
— João José Morfin Neto, secretário de Planejamento de Biguaçu
— Zeno Silveira de Souza Britto, servidor da Fatma
— Márcio Rosa, servidor da Fatma
— Newton Luiz Cascaes Pizzolatti, servidor da Fatma
— Marcio Luiz Schaefer, da SYD/Schaefer Yatchs
Ainda não encontrado:
— Sandro Roberto Andretti, secretário de Meio Ambiente de Biguaçu e funcionário da Inplac

Em tempo – o Carlos Damião publica (aqui) a íntegra da nota da Polícia Federal, com os detalhes das suspeitas.

7 comentários:

Anônimo disse...

FERNANDINHO PRESO DE NOVO QUE MARAVILHA. Claro o Governador terá, novamente, de promover algum evento para fins de desagravos - agora - também para outros membros da lista.
Não somente a Proactiva deverá responder sobre tais práticas. Mas o próprio Costão (quente) do Santinho deveria ser melhor avaliado quanto aos seus títulos, prêmios, referências, etc que recebe. Afinal os empreendimentos (delle) são bem avaliados, mas agora sabemos, atrávés das Operações Policia Federal, dos instrumentos usados para este empreendedorismo todo. E, ainda, orgulha-se de ser sede de grandes eventos em defesa do Meio Ambiente.

Anônimo disse...

Cesar,

Se o Costão do Santinho for visto do mar, tem-se a noção exata do tamanho da agressão ambiental.

Acabaram de me contar que a Yolanda, mulher do Fernando, já deixa a malinha pronta com todos os pertences necessários para usar na PF. Me contaram tb, que ele reclama a ausencia do Juarez.

Pedro de Souza

Schneider disse...

De dez operaçõs da Polícia Federal em nove tem algum amigo do LHS. Onde há fumaça há fogo.

Wilmor Henrique disse...

Ai carai, pegaram o homem do costão quente de novo?
Desse jeito o imperador vai a loucura, os chefs já estão pensando nos pratos do jantar de desculpas.
E como é a segunda vez, terão que caprichar mais ainda.
Como faz pra conseguir um convitinho?

Anônimo disse...

Tio César,

Abaixo os intermediários: Fernando
Marcondes para Presidente da FATMA!

Anônimo disse...

Listinha pequena, heim? Parece "replay" de outra operação, que aconteceu em outra cidade há pouco tempo.
Esse povo não aprende e nunca aprenderá, enquanto não forem para a cadeia, e enquanto forem acobertados pela grande mídia.

Anônimo disse...

Mais uma vez o "Império do Mal" joga o nome da FATMA no lixo. Mas, pegaram só os "bagrinhos" novamente, dois cargos comissionados indicados pelo "Império" e pelo "Imperador". Os bons servidores, que trabalham em pról da sociedade e da defesa do meio ambiente, continuam mofando em suas salas e pagando pelo "erro" de um grupo que também defende o verde, ou melhor: "AS VERDINHAS"! Nestes a PF não chega! Porque?