quarta-feira, 10 de setembro de 2008

E AGORA, CASAN?

Os exames feitos pela Vigilância Sanitária do Estado continuam apontando níveis de alumínio acima do aceitável, na água que a Casan fornece à capital. Seria uma ótima oportunidade para que a diretoria da estatal (que vive dizendo que fez uma revolução na empresa), mostrasse uma forma moderna e ágil de tratar de um problema dessa gravidade.

Não se brinca com o abastecimento de água de uma cidade. E não se pode agir, diante das inúmeras suspeitas que o... vá lá, “acidente” levanta, como se fosse coisa pouca. É preciso avaliar com seriedade todas as possibilidades.

Tenha sido causado por sabotagem ou por desleixo, tenha havido contaminação por alumínio ou outros componentes, químicos ou orgânicos, cabe à empresa demonstrar, sem nhém-nhém-nhém, que tomou providências eficientes e rápidas. E de alguma forma tranqüilizar-nos, a ponto de acreditarmos que tais coisas não se repetirão.

Até agora a empresa tem se mostrado acuada, na defensiva, sem argumentos claros e sem um plano para enfrentar a crise.

10 comentários:

Anônimo disse...

O hiper-mega-super milionário software, customizado, não controla também exames periódicos da qualidade da água? Aliás, são feitas análises (idôneas) mais abrangentes do que as divulgadas?
A população tem acesso às análises (completas, não aquelas para boi dormir), mesmo que falsas? Não seria uma boa (para a população) colocar no orçamento da empresa uma graninha semanal para análise externa da qualidade da água e divulgar no site da empresa? Análise esta que verificaria mais parâmetros, como alumínio, que nem aparecem nas análises da casan. Tenho como parâmetro de valores análises da qualidade de ostras e mexilhões realizadas em laboratório de são paulo. O custo é ínfimo, dada a importância e a utilidade.

Schneider disse...

A Casan sai na frente e lança a "Água Aluminizada"....
Não sou da área, mas tenho conhecimento de que o alumínio é um problemão para a oesteoporose. Por formar uma película sobre os ossos, impede a calcificação. (Não sei se é exatamente assim).
Senhoras em faixa etária suscetível à osteoporose devem evitar o consumo dessa água com excesso de alumínio.

Mauricio disse...

É difícil acreditar que uma empresa que, apesar de cobrar pelo serviço, deixou de dar tratamento ao esgoto da Capital e despejava a merda diretamente na baia, venha a ter seriedade em alguma coisa.
Basta ver na mão de que político o Governador entregou a Casan?

Anônimo disse...

O excesso de alumínio na água só foi detectado por causa de algum "chato bisbilhoteiro" de um condomínio da Agronômica que resolveu analisar !
Poxa ! Deixem a CASAN envenar em paz !!!
Afinal o alumínio é apenas um dos metais suspeitos de ser causador do Mal de Alzheimer, razão de na Europa não ser permitido o uso de panelas de alumínio sem teflon !
Mas como quem ficar com o Mal de Alzheimer não vai se lembrar de nada mesmo, deixa prá lá !
E viva o Brasil ! MEDALHA DE OURO EM IMPUNIDADE !!!

Anônimo disse...

Esta questão do alumínio na água pode se tornar um caso de calamidade pública.Sabe-se que o alumínio provoca alterações neurológicas graves (falta de memória por exemplo). Não seria o caso de as pessoas procurarem seus médicos para verificar se não estão contaminadas? A saúde pública tem que ser acionada, não basta resolver daqui pra frent. E o passivo? Se pessoas foram contaminadas isso é muito grave.

Anônimo disse...

Uncle Ceasare.
O problema é bem pior do que vcs imaginam. É ainda pior a contaminação encontrada na água que vai para e sai de Pilões. A história ainda vai estourar.
É só ver a quantidade de agrotóxicos e herbicidas usados nas propriedades à margem dos rios da região. Não nasce nem erva daninha. O problema é que o governo incentiva o uso... Dá uma pautinha bacana...

Anônimo disse...

Acho que mudou a atividade fim da Casan. Não é mais garantir um abastacimento de água de qualidade, saneamento, etc. O negócio agora é software.
Quero dizer também, que isto não ocorre somente na Casan, mas também em outros órgãos do estado. Descobriu-se um novo "filão". Como se mensura um software? Quem sabe se é caro ou não?
É uma festa!

Anônimo disse...

E aquela campanha publicitária que a Casan tinha acabado de lançar, e que custou os olhos da cara (feita por qual agência? Adivinhem...), onde foi parar? E o assessor de imprensa, que dia desses chorava as pitangas aqui,onde está? E o diretor de planejamento, sempre tão rápido nas respostas, onde está?

Anônimo disse...

Ontém, 09/09/2008, me espantei ao ver poucos segundos após a confirmação da existência de alumínio na água distribuida pela CASAN no programa RBS Notícias, propaganda mostrando como a CASAN trata bem de nossas vidas e nos ensinando inclusive a poupar água... E nós pagamos duas vezes: pela água contaminada e pela veiculação de propaganda...

Anônimo disse...

Tio Cesar, vai ver eles vao culpar o governo anterior....rsss. Nao e sempre assim?
Inteh. Joanildo