sexta-feira, 12 de setembro de 2008

AO TRABALHO, SEUS FOLGADOS!

O jornalista José Augusto Gayoso, diretor de Imprensa da Secretaria de Comunicação do governo do Estado, é um profissional acostumado com o ritmo de trabalho dos grandes jornais. Ele é um sujeito calmo, que leva as coisas na boa, mas toda paciência tem limite e todo bom humor às vezes azeda.

Parece que foi o que aconteceu. A escassa produção dos jornalistas a serviço do governo levou-o a fazer uma cobrança interna, que se tornou pública (via Cangablog), o que, a meu ver, acabou sendo bom, porque permite que a gente dê uma mãozinha pra ele.

Leiam a íntegra da cobrança feita pelo Gayoso aos assessores de imprensa oficiais e depois a gente continua a conversa.
“Comunicação interna
Florianópolis, 10 de setembro de 2008

Caros assessores

O governo do Estado não parou. Não estamos em férias coletivas e menos ainda liberados de nossas funções para que se justifique o inexpressivo número de matérias enviadas diariamente ao portal do Governo. Se fossemos uma redação de jornal, como já dissemos, seríamos, no mínimo, a segunda maior do Estado: isso se considerarmos a Agência RBS como uma única redação. E se fossemos esse jornal, estaríamos de portas fechadas. Nada justifica que mais de 50 jornalistas – 36 nas regionais e ainda pelo menos um nas secretarias centrais, fundações, empresas e autarquias – não estejam enviando material. Não posso acreditar que não ocorra ao menos UMA AÇÃO DE GOVERNO a cada dia em seus órgãos. Se for assim, não se justifica a existência de um assessor em cada um desses espaços.

Este e-mail é, sim, uma cobrança e uma chamada à responsabilidade: TEMOS QUE CAVAR AS INFORMAÇÕES, correr atrás das pautas e divulgar o que o Estado esta fazendo em cada área, em cada região. Que o absurdo de não passarmos de 10 matérias com mais de 50 jornalistas trabalhando não volte a se repetir ou estaremos dando uma prova de nossa incompetência: qualquer redação estaria falida e fechada com esse nível de produção. Vamos conferir de perto a produção de cada um.

O Estado é claro em suas orientações. Os assessores que por ventura estejam envolvidos com a campanha em suas cidades, devem fazê-lo fora de seu horário de expediente ou deveriam ter solicitado legalmente suas férias para este período. Temos não apenas um horário mínimo a cumprir – já que nossa dedicação como comissionados é em tempo integral – e a missão de divulgar as ações do governo em todo o Estado, sem desculpas e sem falhas.

José Gayoso - Diretor e Imprensa”
É isso mesmo, desce o cacete, Gayoso! O governo é muito grande e tem gente séria, trabalhando duro, fazendo boas coisas que ficam ocultas ou esquecidas. O problema é que muitos assessores de imprensa, como ocupam cargo de confiança e foram convidados por alguém que tem projeto político pessoal, acham que são servidores daquele político. E em vez de exercerem suas funções como deveriam, informando os veículos de comunicação sobre o que está sendo feito, jogam-se nas cordas. Ou falam abóboras, dizendo que o chefinho assinou isso, visitou aquilo. Informação de interesse, notícia mesmo, tá difícil.

Há, naturalmente, exceções que confirmam a regra. Mas os números citados pelo Gayoso são auto-explicativos. E pra ajudar, bem que a gente (os jornalistas das redações, colunistas, chefes de reportagem, etc) podia escolher, todo ano, o pior e o melhor assessor (ou assessora) de imprensa do governo. O prêmio do(a) pior seria uma linda folha de papel reciclado, com a exoneração “a pedido”. E o do(a) melhor seria o respeito de todos nós, que é o que, no fundo, honra e consola todo bom profissional.

8 comentários:

Anônimo disse...

Valente:

Não sejamos ingênuos. Uma "comunicação interna" vaza, torna-se pública, só quando há interesse de que isso ocorra. Pq o pessoal do Governo enviaria esta comunicação "interna" para um blogueiro (o Canga) que é um crítico do Rei? Quem sabe seja para dar um ar de seriedade na retreta, não?

Schneider disse...

César prepare-se. Na ânsia de mostrar serviço o pessoal vai mandar uma carrada de matérias. Para isso serão muito criativos. E dessa criatividade certamente surgirão belas pérolas.

Anônimo disse...

E nós sustentamos essa "penca" só para noticiarem o que o governo faz? E nem isso? Sinceramente, prefiro o e-DOE. Mas só ih...dói quando aparecem estas aberrações...

Anônimo disse...

Muito embora torcedor do Fluminense, amamos o Gayoso. Agora, tirar leite de pedra todos os dias, não dá. Mestre, o que os assessores de imprensa de Palmitos, Quilombo, Taió, Braço do Norte - com o mais profundo respeito aos municípios citados - vai enumerar todos os dias como uma frenética ação de governo do REI LUIZ XV? Fica difícil....

Anônimo disse...

Exemplo de 'nariz de cera' que vai pintar por aí:

SC Dá Exemplo e Adiciona Alumínio na Água.

SC é o primeiro estado brasileiro a adicionar além de ferro, cloriformes fecais e congêneres não identificados na água. A empresa responsável pela água e saneamento - CASAN, inovou e agora você toma água aditivada com ALUMÍNIO...

Anônimo disse...

Tudo bem, o TCE vai multar em módicos R$ 400,00 (pelo menos esse foi o valor da multa quando descobriu que os cloriformes somente passeavam pelos tubos da CASAN e voltavam para a nossa bela beira mar). heheh

Anônimo disse...

Em tempo, coliformes.

Anônimo disse...

César, das duas umas: ou essas secretarias e empresas e fundações não estão fazendo nada além do trivial, ou esses comissionados só estáo recebendo o seus proventos. Eu ainda quero acreditar na dificuldade que esses profissioinais tem em encontrar notícias para serem publicas, ou obras para serem divulgadas. Qual foi a grande obra do Governador? A descentralização, mas quem melhor divulgou foi a Márgara ou o livro A Descentralização no Banco dos Reús, que nem precisa ser publicado para que todos saibam exatamente os "louros" da descentralização. Que obras fez o governador? Torna-se cansativo ouvir todos os dias pelos 50 jornalistas ficar noticiando que o governador está passeando na Itália, na Russia, na Polônia, nos EStados Unidos, etc. e tal.. o governador não produz nada, a não ser viagens, e o que quer que seus jornalistas divulguem? Cesar, acho que é melhor seus jornalistas (do governador) ficarem calados do que divulgarem exatamento o que está acontecendo nos respectivos órgão...