terça-feira, 22 de janeiro de 2008

MORATÓRIA? HUM...

E por falar no prefeitoDário, a cada novo detalhe dessa tal proposta de “moratória” (que alguns já estão chamando de “defeso”) que a gente fica sabendo, mais se consolida uma certeza: eles estão brincando com a gente.

Só pode ser. Tá dito lá que não pode construir, mas, se o prefeito (ou a Câmara) achar que vale a pena liberar, está autorizado a abrir uma portinha. O que regula as exceções não é o interesse público, mas “o interesse dos poderes públicos”.

A partir de hoje vamos ter que prestar atenção ao que fazem nossos vereadores. A discussão destas propostas esquisitíssimas do Dário vai mostrar quem é quem.

Lembrem-se que estamos em ano eleitoral municipal e iremos votar em vereadores e prefeitos. Se tiver tempo, dá uma chegada na Câmara para ver e ouvir ao vivo como eles se comportam e o que falam. Ou tenta ver na TV Câmara, que funciona em dias alternados no mesmo canal da TV Alesc, na TV a cabo.

Florianópolis é uma cidade complexa, sob todos os aspectos. Da geografia à ecologia, nada é simples, numa ilha que caiu nas graças de meio mundo e virou atração turística. Nossos representantes não podem ser simplórios, ingênuos ou falsamente espertos. Chega de vereadores que acham que tudo o que o eleitor florianopolitano precisa é uma carrada de brita, alguns sacos de cimento e um favorzinho de vez em quando.

Ou então, vereadores que vivem procurando um saco pra puxar. A turma do “hay gobierno? tou dentro!” Que adora um paparico, uma mordomia, faz sua casa sobre o riacho, na área de preservação e depois sai arrotando que é “a favor da moral e dos bons costumes”. Saco!

5 comentários:

JD disse...

Então tudo bem, não vamos nos iludir com a boa intenção de nosso prefeito nesta história de moratória, mas em todo caso, ano de eleição é sempre uma boa oportunidade para fazer aquela pressãozinha sobre os políticos, você não acha?

Anônimo disse...

César, justiça seja feita à camara.Os vereadores nao poderão aprovar obras no Itacorubi, caso o projeto da moratória passe. Quem aprova obras é o executivo (Susp, ipuf e floram). O que ocorre no parágrafo único do art. 1, e que vc cita, é que o prefeito deu um de Hugo Chavez, e quer ele (executivo) liberar o que achar conveniente. Sabe-se que os vereadores da oposição vao derrubar esse artigo perigoso e que poderá servir de moeda(verde) de troca ao já enrolado Dario

Anônimo disse...

Muito boa a comparação do Dário ao Hugo Chavez !
Iludem-se aqueles que acham que a oposição tem poder para derrubar o artigo "perigoso" que dá plenos poderes nosso Hugo Chavez !
Se tivesse esse poder, a oposição teria emplacado a comissão processante para enquadra-lo na Operação da Moeda Verde.
Na Câmara a maioria está dominada.

Anônimo disse...

A quem interessa a moratória???
Tem indivíduo jogando em várias posições: ora é ONG, ora é empreendedor, quase sempre político, raramente povo.

Anônimo disse...

É que na comissão processante, bastava maioria simples para o prefeito arquivar. E essa maioria simples (8 vereadores) ele tem. Para aprovar alteraçaõ de zoneamento ele precisa de 2/3 (11 vereadores), e isso ele não tem.