sábado, 12 de janeiro de 2008

Caro Angeloni

Queiram por favor os leitores mudarem de coluna ou de página, porque agora terei uma conversa particular, ao pé do ouvido, com o seu Angeloni, dono de um grande supermercado.

Há algumas semanas, quando mostrei aqui minha surpresa com o fato de ter encontrado rótulo de validade colado sobre rótulo de validade, o sr. mandou, por intermédio das simpáticas colegas da assessoria de imprensa, uma cartinha me tranqüilizando.

Lembro que, na época, alguns leitores mais céticos acharam estranho que fosse necessário que os fregueses detectassem os problemas. Imaginavam eles que o sr. deveria ter uma equipe de fiscalização interna que prevenisse essas situações.

Eu até reforcei, aqui, a sua recomendação para que os fregueses fossem à gerência sempre que notassem alguma coisa errada.

Mas, seu Angeloni, pois não é que ontem um leitor me mandou fotos assustadoras de um queijo com nozes que estava na validade, mas tinha rótulo colado sobre rótulo e, dentro, pelinhos estranhos e manchas verdes?

Fiquei muito decepcionado, porque achava que a turma que cola os rótulos tivesse afinal aprendido que isso não se faz. Pega mal e é muito perigoso.

Seguindo seu conselho, insisti com o leitor que levasse o queijo esverdeado, com pelinhos, à loja, pra mostrar pro gerente.

Mas, cá entre nós, seu Angeloni, será que não tem mesmo como fazer a turma parar de ampliar artificialmente a validade dos produtos?

11 comentários:

Murilo78 disse...

Pois é Cesar.... meu problema com o angeloni já é antigo.
Foram várias tentativas via e-mail, telefone, onbusdman, gerente (e aquelas senhoras de laranja que ficam perambulando pelos corredores para atender os clientes).
Nada resolveu. Reclamar não adianta, não ajuda e não melhora! O que resolve é mudar de estabelecimento (mesmo quando este fica convenientemente ao lado de sua casa).

E este episódio do queijo foi a gota d`água.

Anônimo disse...

Já sei de tudo agora.
O "Fleming" descobriu a penicilina escondidinha nas gôndolas do buteco do "Seu Angeloni" e não contou prá ninguém.
A "angelocilina" é uma poderosa droga (droga mesmo) que é tiro e queda garantida para o extermínio de qualquer flora intestinal.
É bom registrar a "patente" antes que acabe o papel higiênico.
Strix.

Anônimo disse...

Caro César. Os produtos que você mostrou ao menos têm os rótulos para comprovar com veemência a pilantragem e o descaso com os consumidores e com a legislação vigente. E a minha namorada, que ontem pensou em comprar uma bandeja de sushi, mas desistiu pois nem data de fabricação nem de validade havia? Isso foi no Angeloni da Beiramar.
Fico pensando nos outros milhares de produtos que eles comercializam. Deus nos ajude, pois a Vigilância Sanitária certamente não nos ajudará.

Anônimo disse...

Isso é pra tu ver como a Vigilância Sanitária funciona bem. Ainda mais ao ler a "entrevista" do Secretário Municipal, no endereço http://www.pmf.sc.gov.br/saude/noticias/imagens/jornal.jpg . Não é que ele disse que na gestão passada tinham só 41 fiscais e agora aumentou para 50? Que evolução, não é?

Anônimo disse...

Caro Anônimo, é natural que não haja data de validade nem de fabricação num produto preparado "na Hora", na frente do cliente. Acho até "desinteligente" da parte de sua namorada.

Anônimo disse...

Ao anônimo de cima: Quem disse que era preparado na hora? Eram bandejas prontas. Pense antes de afirmar algo que desconhece, e reflita sobre sua inteligência antes de questionar a inteligência de outros.

Anônimo disse...

Não é que na entrevista o secretario defende a CPMF? Essa é a turma do seu Daro.

Linneu disse...

Isso já aconteceu comigo também , al´m do Angeloni , no Imperatriz.Uma prática comum e condenável.
Costumo comprar este queijo em questão , e sempre me preocupo com a validade , devido à maciez do produto. Independente da validade , chego a pegar algumas vzs , um queijo duro e com gosto de velho. Já percebi isso no presunto crú entre outros queijos também.
Espero que melhore , pois estou procurando há tempos , alternativospara substituir estas compras , em outro mercado , é óbvio.

Anônimo disse...

olha,de fato,eu ja vi coisas horriveis no angeloni desde barata na comida dos funcionarios e as ditas popularmente "porquisses"na própria loja em que atuo..e digo devemos de fato quando mexemos com alimentos ter cuidado,nao basta "dizer"que atender bem é respeitar os clientes se o comércio em si nao respeita os "seus',com atitudes como estas...é triste!!!!

Anônimo disse...

kros anônimos!

Que tal a sugestão, mudem de mercado... Comprem no mercadinho perto de suas casas!
Se uma potência como o angeloni não consegue solucionar problemas devido a incompetência de alguns funcionários, pois todos são instruídos a fazer o procedimento correto... O mercadinho perto da sua casa deve ser um exemplo a ser seguido.. Por que não pede para visitar as câmaras do angeloni e a do seu mercadinho para comparar... Tropa de ignorante!

Anônimo disse...

Srs,
Eu desisti de reclamar para o Angeloni Beira-Mar. Reclamei várias vezes sobre o forte gosto de perfume deixado nos frios fatiados pelo filme plástico utilizado para embalá-los. Reclamei, reclamei, devolvi queijo, liguei para o ombudsman, gerente da loja, etc... Cansei. Parei de comprar.