quarta-feira, 3 de outubro de 2007

“OLHA ELE LÁ, MÃE!”

Não tem aqueles guris ranhetas, que quando são apanhados com a boca na botija ou com a mão no baleiro, pra se livrar das palmadas, deduram o irmão, a prima, o amigo?

Pois está assim, a polítitica nossa de cada dia. E cada vez pior. Do senado às câmaras de vereadores, o mesmo espetáculo. A defesa dos acusados é, invariavelmente, a acusação a outros. Esse retorno relâmpago do vereador Marcílio Ávila, então, está engraçadíssimo (voltou na segunda e ontem já caiu fora, renunciou).

Tal como Renan começou a falar todos os podres que sabia dos colegas, pra que eles, amedrontados, baixassem a bola contra ele, o ex-presidente da Santur chegou de dedo em riste. Levantando malfeitos dos acusadores.

O que dá nojo é que eles nos tomam por idiotas. Então quer dizer que, se a Ângela Albino teve uma doação não declarada, o Marcílio não fez o que fez pelo Floripa Shopping? E se o Xandi surfou no dinheiro público, então o Marcílio não acelerou a lei da hotelaria?

O que é que tem a ver o cu com as calças? Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. O resto é só manobra dessa gente de rabo preso que acha que, se espalhar bastante lama, acaba boiando.

Um comentário:

Schneider disse...

Perfeitas as colocações deste tópico. Uma coisa é uma coisa....
Porém, avaliando bem, acredito que o problema do Marcílio é CIÚMES. Sim, ficou com ciúmes da vereadora Ângela que recebeu ajuda para campanha do Carlos Amastha. A crise de ciúmes foi agravada pelo fato de que a vereadora é muito bonita.