sábado, 13 de outubro de 2007

NOVA BIGUAÇU

Falei aqui, há alguns dias, sobre a entrega do título de cidadão de Biguaçu ao governador LHS. Estranhei que fosse feita nas dependências da Inplac, indústria dirigida pelo amigo e conselheiro Dr. Marcondes.

Como coluna que tem bons leitores não morre pagã, recebi, de biguaçuenses atilados e antenados, um relato de toda a engronha. E eles recolheram os dados, principalmente, do Jornal Biguaçu em Foco, valente periódico criado e dirigido pelo Ozias Alves Jr. que foi um dos únicos alunos que tive, no curso de Jornalismo da UFSC, que sabia falar esperanto e russo.

Com o que me enviaram, ficam respondidas algumas questões fundamentais:

1. Qual a justificativa para entregar o título na empresa do amigo, em vez de algum local público, como a Câmara de Vereadores?

R: é que o título foi atribuído a LHS, pela Câmara, em 2005. E, desde então, o LHS não pode comparecer para receber. Não achou jeito de incluir, na agenda, uma passadinha no município para agradecer e receber a homenagem. Um vereador “guardou” cuidadosamente o título, para fazer a entrega pessoalmente, quando fosse possível. E a possibilidade aconteceu no último dia 3 de outubro, quando LHS foi à Inplac para uma outra solenidade.

Pra quem quer saber como foi a entrega e ouvir trechos dos discursos, o JBFoco gravou o evento e colocou um filmete de 6 minutos no You Tube. Pra facilitar, também trouxe pra cá:


2. O que LHS foi fazer na empresa do amigo e conselheiro Dr. Marcondes?

R: apenas para receber o título, LHS não conseguia encaixe na agenda, mas graças ao prestígio do amigo e conselheiro, deu-se um jeitinho. Como explica o próprio prefeito de Biguaçu, o Tuta, numa nota publicada no dia 11, no JBFoco:
“na ocasião, também foi apresentado ao governador um projeto elaborado pelo arquiteto Rui Ohtake, em parceria com a equipe da Inplac e com a Secretaria Municipal de Planejamento. Tal projeto chamado de ‘Nova Biguaçu’, visa dar um choque de desenvolvimento no Município.”
O projeto, segundo o jornal, “está prestes a sair do papel” e trata-se de um empreendimento imobiliário privado, liderado pela Inplac, com a participação de outros grupos empresariais.

Conclusão: a Câmara de Vereadores e o prefeito de Biguaçu “aproveitaram” o lançamento de um empreendimento imobiliário privado, ao qual, sabe-se lá por que, estava presente o governador, para entregar-lhe o título de cidadão. E, já que o governador deu o exemplo, “prestigiando” o lançamento de mais um empreendimento do amigo e conselheiro, o prefeito Tuta sentiu-se à vontade para informar, publicamente, que a Secretaria Municipal de Planejamento é uma das “parceiras” na elaboração do tal projeto “Nova Biguaçu” que, como ficou claro, é um empreendimento privado.

É claro que Biguaçu, como tantos outros municípios que acabaram crescendo meio desordenadamente, merece desenvolver-se em bases mais planejadas e sustentáveis. Só que, se possível, sem misturar público e privado.

3 comentários:

Anônimo disse...

Como o César sempre fala. É engraçado o Governador não ter tempo para receber uma homenagem dos vereadores de Biguaçu e também do seu correligionário, o prefeito Tuta (PMDB). Porém, para ir visitar a empresa do seu "consultor", tem agenda. Esse LHS gosta de complicar o meio campo. Um abraço.
Geff. Sbruzzi

Anônimo disse...

César, para nao ficar sem nenhum comentário este fato grave e debochado da entrega da honraria em empresa privada, recomendo simplesmente o seguinte: fechem a Camara Municipal de Biguaçu e que os edis passem a fazer as sessoes na empresa do amigo. Talvez isso explique porque Sáo Jose e Palhoça avançam economicamente, e Biguaçu nao anda no tempo.......A submissão tem o seu preço, e geralmente, é muito barato.

Schneider disse...

O "conselheiro" Marcondes não é apenas íntimo do poder. Isso vai além da intimidade e já beira à promiscuidade. E o imperador/chanceler continua fazendo o quer, ao lado de quem gosta e onde deseja. A prepotência está em alta, respaldada pela falta de oposição.