sábado, 5 de julho de 2008

“NÃO TIVE UM CASO COM O GOVERNADOR”


UMA CONVERSA – EXCLUSIVA – COM MÁRGARA HADLICH



Ela está no centro de uma das mais graves crises do governo LHS. Márgara Hadlich era funcionária da extinta revista Metrópole e foi designada, por Danilo Gomes e Nei Silva, para “tocar” o projeto “Descentralização”.



Todos os contatos com o governo, com o governador e com empresários, depois do início do projeto, foram feitos por ela (que aparece com LHS, nas fotos que ilustram este post, retiradas do livro). “Não sou jornalista, era da área comercial, mas tinha que fazer de tudo, pegar as autorizações, gravar as entrevistas, produzir os textos e levar os bonecos para o governador aprovar”, diz Márgara.



Conversei com ela ontem à tarde, por telefone. Ela me ligou para contar que decide, neste final de semana, como irá se posicionar publicamente. O que falamos está resumido nesta coluna.



No livro “A descentralização no banco dos réus”, Nei Silva insinua que ela e o governador tiveram uma relação mais próxima do que seria de se esperar. E essa foi uma das coisas que a deixou mais magoada: “nunca tive um caso com o governador, o Nei não podia ter colocado aquilo no livro sem me avisar, sem ter falado comigo. Isso causou um problema enorme pra mim, pra minha família e é uma informação falsa”, afirma.



Na quinta-feira (anteontem) Nei Silva a procurou para conversar pela primeira vez, depois da prisão. Márgara aproveitou para colocar, sobre a mesa, as principais pendências: além da questão das insinuações, no livro, Nei e Danilo devem, para ela, pelo menos R$ 37.600,00 só em comissões, relativas aos anúncios vendidos para a revista. E isto desde que a revista fechou.



Do dinheiro que Nei diz, no livro, que recebeu de Armando Hess ou do PMDB (e que mostra fotos) depois do fechamento da revista (cerca de R$ 120 mil), nem um centavo foi usado para pagar as dívidas com a Márgara. Ela só ficou sabendo que ele tinha recebido alguma coisa quando estourou a história do livro.



E ela acredita que Nei a procurou porque precisa das provas que ela afirma ter. “São e-mails e outros documentos dirigidos a mim, que ele acha que podem ajudar na defesa dele”, diz.



OS CONTATOS COM LHS

Nei e Danilo foram os autores da idéia e do projeto, mas toda a execução ficou por conta dela. O começo, segundo ela se lembra, foi graças a uma amizade antiga que Danilo Gomes e Armando Hess tinham. O projeto, rejeitado na Secretaria de Comunicação, encantou o então secretário de Planejamento (a pasta que estava encarregada de levar à prática a descentralização do governo).



“Logo depois do Armando ter se encarregado de conseguir autorização para o projeto, me mandaram ir à reunião do Colegiado em Itá. E lá, no hotel Termas de Itá o governador já estava sabendo da idéia”, lembra Márgara. Foi nessa ocasião, diante de todos os secretários presentes à reunião, que LHS teria se referido, em público, pela primeira vez, à revista e ao projeto. Ela diz que também teve uma reunião com LHS no apartamento dele, no hotel: “ele sempre me recebia muito bem”.



Márgara conta que conhece LHS desde o tempo em que ele era prefeito de Joinville. E que teria ajudado a filha dele, Márcia, em algumas ocasiões.



Enquanto ela estava na revista Metrópole, “falava freqüentemente com o governador, ele me ligava e eu ligava pra ele, pra falar como o projeto estava indo. É só pegar a minha conta telefônica pra ver a quantidade de contatos. Falava direto. Ele me ligava para convidar para participar das reuniões do Colegiado e para conversar sobre a revista”, diz.



Ela afirma que os out-doors da “Descentralização” começaram a ser expostos no dia em que o colegiado do governo se reuniria em Timbó. Tinha um bem na entrada da cidade. “Quando cheguei pra falar com o governador ele disse, sobre o out-door, ‘que lindo, gostei’. E aí entreguei pra ele vários presentes que os secretários e empresários com que tinha conversado nas semanas anteriores mandaram pra ele. Tinha até uma caixa de Steinhaeger W”, conta.



Márgara afirma que os secretários regionais a conhecem muito bem: “participei de cinco reuniões do colegiado, dentro da sala, com eles”. E que muitos políticos que hoje dizem desconhecer o projeto, tiveram participação ativa.



“O deputado Manoel Mota, por exemplo, quando fui ao Sul fazer contatos com empresários, colocou carro à minha disposição, ajudou nos contatos, foi muito gentil e agora diz que não houve nada”, diz ela, lamentando a mudança de atitude daqueles que, antes, a tratavam bem.




O ESTRAGO DO PP



O ponto de ruptura, o momento em que “a casa caiu” foi quando a coligação Salve Santa Catarina (de Amin) entrou com os processos pedindo a cassação do governador. De uma hora para outra tudo mudou. Os empresários que ainda não tinham pago, deixaram de pagar. E as portas do governo se fecharam. “O que era um negócio feito abertamente, com todos colaborando e ajudando, de repente virou uma coisa suja que agora chamam de ‘caso de polícia’ e até mandaram prender o Nei”, afirma Márgara.



Das três edições da revista Metrópole “Descentralização”, apenas a primeira teve faturamento regular. As outras duas ficaram no prejuízo. A revista fechou, Márgara foi despedida e tratou de tocar a vida. Chegou a pensar em entrar com uma reclamatória trabalhista, para cobrar o que lhe deviam, mas teve pena: “eu não sabia que ele tinha recebido algum dinheiro depois que a revista fechou”.



Naquele fim de semana em que eu divulguei trechos do livro aqui, ela ainda não sabia de nada. “O Nei me ligou por aquele dias, dizendo que queria me mostrar algumas coisas (acho que era o livro) e disse que iria segunda-feira a Florianópolis, para receber algum dinheiro e perguntou se eu não queria ir junto. Fiquei meio desconfiada e resolvi não ir. Escapei por pouco de estar com ele no momento da prisão”, conta Márgara.



Na conversa desta quinta-feira Nei chegou a falar sobre isso: “ele disse que foi bom que eu não tivesse ido, senão era capaz de que ele também fosse acusado de formação de quadrilha”.



CONTAR OU NÃO?



A partir daquela sexta-feira (30 de maio) a vida de Márgara foi sacudida por um terremoto de surpresa e medo. Surpresa porque seu nome estava no livro sobre o qual todos comentavam. Eram inúmeros pedidos de entrevistas, repórteres de vários veículos procurando-a. A família estava em choque com as insinuações. E no trabalho o clima não estava lá essas coisas.



E medo porque “o Nei mexeu com gente muito poderosa, eu não sabia o que poderia acontecer, com ele e comigo, que afinal estive envolvida com o projeto e tenho muitas provas”. Ontem ela me contou que as coisas estão um pouco melhor. O medo é menor, mas nada está resolvido.



Amanhã, domingo, Márgara vai se reunir com a família para tomar uma decisão importante: como irá se posicionar diante da situação. E principalmente diante do pedido, do ex-chefe, para que apresente as comprovações que ela tem, do trabalho que fez.



Na semana que vem é possível que ela dê uma entrevista “contando tudo”. Mas essa exposição traz vários riscos, porque embora esteja, queira ou não, no centro da crise, começar a falar a colocará no centro de um furacão que não é possível prever que intensidade terá. “É por isso que eu quero pensar bem, com calma, junto à minha família, pra ver o que farei”, diz.



NOTA DO EDITOR



Por causa de um daqueles cochilos que a senilidade explica, tinha escrito "Danilo Cunha" onde deveria estar "Danilo Gomes". Quando dei-me conta do erro, corrigi. Em todo caso, mil desculpas aos leitores e, naturalmente, ao Danilo Cunha, que nada tem a ver com a história.



ATUALIZAÇÃO DO DOMINGO



Alguns comentaristas se referem às comissões que a Márgara afirma que não recebeu como se elas tivessem a ver com dinheiro público estadual. Até onde entendi, ela fazia contatos comerciais com as empresas, nas várias regionais. E era para elas que vendia os anúncios e participações da revista. Provavelmente, no bolo, deve ter uma ou outra prefeitura, mas as autorizações eram, principalmente, privadas. Quem cobrava do governo era o Nei.

26 comentários:

Anônimo disse...

O trunfo dela e nao ter ido com o Nei ao encontro com o Armando, portanto o governo nada pode argumentar contra ela, a nao ser dizer o obvio (que vao dizer): Ela esta mentindo. Mas se ela tiver provas, mesmo que poucas, o caso entraria na sua fase mais grave, saindo do andar de baixo e chegando diretamente ao governador. Estou curioso para saber como a grande midia vai tratar estas novas revelacoes. A reacao da populacao depende muito disso. Com certeza esta entrevista eh um furo maior que a ultima divulgacao de gravacoes. A partir de agora pode-se comecar a falar em impeachment do governador, ou, caso a midia nao respalde maiores indagacoes, com certeza o livro mais as gravacoes mais esta bomba serao determinantes no processo do TSE, se forem juntados aos autos. O meio nao sabemos, mas o governador de SC acabou de falecer politicamente. Ele e este governo, que com certeza superou em muito todos os outros anteriores, em termos de escandalos.
Excelente furo, Casar. Batestes os grandalhoes, e de quebra ajudastes o povo catarinense.
Desculpe-me a falta de acentos. Teclado nao-ABNT.

Anônimo disse...

Tio César,

Fantástica a tua entrevista!
Parabéns, a imprensa catarinense ainda tem do que se orgulhar!

Você (diria senhor pelo respeito que lhe devemos) é um ícone do que se pode traduzir de imprensa livre e respeitável! Livre é fácil, mais respeitável é para poucos!

Enquanto isto, a grande imprensa simula liberdade!!

Parabéns1 E, por favor, férias para ti nunca mais. O Diarinho que trate de te pagar melhor!

Cesar disse...

Como é que é? Vocês estavam de plantão, duas horas da manhã, só pra serem os primeiros a ler e comentar? Não acredito!

Anônimo disse...

Comentarios sao consequencias. Eu nao estava acordado em funcao disto, mas como sempre dou uma geral nos blogs, e o teu entre eles, o impeto de comentar surgiu no instante que li a ultima palavra do post. E voce, trabalhou ate de madrugada ou foi so para despistar os comentaristas de plantao?

Cesar disse...

O blogger permite que a gente agende a hora em que o post deve ser publicado. Fui a uma festa e, na volta, dei uma conferida rápida, antes de ir beber (agora é assim, a gente não pode beber na rua. Só depois que chega em casa).

Anônimo disse...

Sr. Cesar e Catarinenses:

É compreensível o receio, ou medo, da Sra. Marga. Ela sabe que está lidando com pessoas poderosas, com muitas ramificações de influências. Uma pessoa sozinha é como uma formiguinha indefesa. Conclamo a advogados catarinenses que se proponham a defendê-la, ou melhor, protegê-la. Ela precisa sentir-se segura para que a verdade possa prevalecer. Santa Catarina merece que este caso seja solucionado, até para que outros não se sintam imunes das sanções e se valham de meios tortuosos para alçar ao poder. Sra. Marga, coragem, se a Sra. realmente tem provas, peça segurança de vida à PF, para a Sra. e seus familiares, é seu direito como cidadã, lute com dignidade para que a verdade possa prevalecer.

Lunar - Jorge Oliveira disse...

César.

É verdade. A tecnologia desses blogs (Blogger) é uma maravilha. Fora outros detalhes que a gente não sabe manobrar, mais por pura preguiça do que curiosidade.
Confesso que você fez bem ao abolir as "estrelinhas". Muito embora o seu blog esteja bem classificado no "PageRank" (3/10), aquela parada estava travando o carregamento da página (como você temia).
Como eu ainda estou naquela de copiar/colar, sem qualquer preocupação com opinião, bem que poderia testar todas as facilidades dessa ótima ferramenta.
Mas é a danada da preguiça que não deixa.
Um abraço e boas férias.

Jorge Oliveira
Laguna - Santa Catarina

Anônimo disse...

Apartamento do LHS no hotel? Isso procede. Aliás, tem antecedentes. Normalmente são APARTAMENTOS CONJUGADOS. E tem mais revista no meio...

Anônimo disse...

Ela deve dizer tudo o que sabe. E com certeza sabe detalhes que devem estar deixando preocupado aquele "experiente criminalista", especialista em enrolações governamentais. Acho que a Márgara deve dar uma entrevista completa, contando detalhes e citando nomes. Afinal, se é mesmo mentira o que o Nei falou sobre ela e o Governador, por que temer?

Schneider disse...

Se a Márgara quiser, poderá prestar um grande serviço. É só deixar de lado as insinuações do Nei e a dívida da revista. Basta dizer o que sabe envolvendo dinheiro público e homens públicos. Só isso. A cidadania agradece.

Anônimo disse...

Se ela não se cuidar direitinho com o que vai fazer, acaba como Nei: um caso de polícia. Só isso.

Maria Má disse...

Lendo a chamada do post “NÃO TIVE UM CASO COM O GOVERNADOR” eu comecei a rir, pois NEM EU, E DEUS ME LIVRE! Sou muito mais o Ivo Carminatti, que além de mais inteligente é mais bonito, kkkk

Carlos disse...

Justiça seja feita, o Moacir Pereira levantou a questão da revista na coluna de sábado.
Como haviam comentários no blog duvidando, seria conveniente registrar

Carlos disse...

Não sou advogado do Nei, mas a "relação mais próxima do que seria de se esperar", que ele se refere no livro, não significa que tenha havido relação sexual entre o governador e a Mágara !
As fotos do governador com ela por si só demonstram uma relação mais próxima "do que seria normal" entre uma autoridade e um reporter !
Ou será que o governador tem a mesma postura com todos os jornalistas ?
Que tal tentar ser recebido no quarto de hotel, hein César ?
Espero que a Mágara reconheça que tinha certo privilégio e, sem malícia, conte a verdade sobre a revista, sobre outdoors, sobre acordos, valores e pagamentos, sem se preocupar com insinuações amorosas.
Chega de enganação !!!
O povo catarinense merece respeito.

Anônimo disse...

perdeu mano, a casa caiu!

Antônio Carlos.

amilton alexandre disse...

A Marlene "rica" e a Márgara que não recebe as comissões.

Esse governo não consegue distribuir renda mesmo.

Anônimo disse...

não foi só a Márgara que foi demitida da Revista Metrópole... é só verificar os processos trabalhistas contra os 'doutores' Nei Silva e Danilo Gomes.

Paulo César disse...

Mais era só o que faltava...olhando para esta foto...essa menina ter tido mesmo um caso com o LHS!!!Não se atenha a isso Márgara...fale toda a verdade....o Estado está esperando sua posição....coragem!!!!

Zé das Couves disse...

Me preocupa a segunte informação, retirada de teu texto: "Amanhã, domingo, Márgara vai se reunir com a família para tomar uma decisão importante: como irá se posicionar diante da situação. E principalmente diante do pedido, do ex-chefe, para que apresente as comprovações que ela tem, do trabalho que fez".

Ela ainda está em dúvida sobre como deve se posicionar??? Ou isso é um aviso para ver quem chega a um acordo mais interessante???

Zé das couves disse...

Meu Deus do céu!!!!Isso é o que deve estar falando alguns (amigos do atual governo)a casa caiu mesmo...!!!E o pior (para eles)é que na verdade eles nem sabem que tipo de provas essa moça pode ter...(sabendo da veracidade do relacionamento dela com o governo)devem estar dando trabalho ao cabeleireiro de plantão...Situação em LHS???????

Anônimo disse...

Mais é corajosa essa menina hein césar????como diria meu avô(ja falecido)TEM COCO ROXO,no meu ver ela é realmente o pivô de tudo isso...é só olhar com atenção as fotos...ela deve saber muita coisa...e quero entender que o Estado esteja torcendo por esta menina neste momento!!!!!(È mais corajosa que eu mesmo...pois não coloquei meu nome neste comentário)

Anônimo disse...

Cesar,

Não há Governo envolvido em tanto escandalos como esse atual.

Pedro de Souza

Anônimo disse...

Cesar,

Ter um caso com LHS só que tem raiva da perseguida.

Não deve ser o caso da moça, em que pese as fotos serem comprometedoras.

Eduardo Zinkel disse...

Se a Márgara pensasse bem, poderia ver como prestar um grande serviço ao Estado de Santa Catarina. Tenho certeza que ele detém informações privilegiadas, não fosse isso o Nei não estaria pedindo a ajuda dela. Pois que ajude o nei e a todos nós, contande as coisas que sabe e DESMASCARE UM MONTE DE GENTE QUE ESTÁ AÍ E QUER SE REELEGER pra continuar a fazer sacanagem com o nosso dinheiro !!

Zé das couves disse...

Menina...eu ja li cada coisa...um blog fala uma coisa outro blog fala outra...eu acho é que essa menina tem que vir a público e falar o que sabe...só isso!!!Assim acabam-se as especulações...Tem que sair da boca dela...e ponto final..

Rayssa Fontana disse...

Esta moça...coitada ,pelo que entendi...carregou o barco(a revista)não recebeu,e ainda tem que se espor desta forma???Fala sério..se pelo menos tivesse aí uma proposta para posar nua!!!!Mais sem ganhar nada ninguém merece guria...