sexta-feira, 11 de julho de 2008

DIARINHO AMEAÇADO

O bravo DIARINHO está sofrendo um ataque maciço da central de boatos montada para reagir à notícia publicada na edição de hoje, sobre o prefeito Volnei Morastoni.



A boataria fala que a edição do jornal foi apreendida, mas o jornal não recebeu nenhuma intimação e circulou normalmente. Fala-se também que Morastoni instruiu seus advogados a pedirem a prisão da diretora do jornal Samara Toth Vieira, por crime eleitoral. Também não existe nada oficial, mas por via das dúvidas os advogados do jornal já protocolaram um pedido de habeas corpus.



Ah, ainda dizem, como se fosse possível ou real, que o jornal está impedido de circular. Bobagem, mentira. Vai continuar circulando normalmente, conforme garante a Constituição. Mesmo se voltar o tempo tenebroso em que as “autoridades” empastelavam os jornais e mandavam prender os donos de jornais, encontraremos uma forma de continuar colocando o jornal na rua.



Boataria braba, provavelmente criada por quem não aceita que a população fique sabendo das suspeitas que o Ministério Público Federal tem a respeito do prefeito barbudinho. E nem sabe conviver com essa instituição tão incômoda, que é uma imprensa livre.



5 comentários:

Anônimo disse...

Tio Cezar, não tem como vc disponibilizar aqui para os seus leitores a íntegra da matéria do Diarinho?

Schneider disse...

O site do Diarinho não abre... Será que?

Anônimo disse...

Vai comprar na banca

Pedro de Souza

Anônimo disse...

Tio César,

Como este guri se complicou a partir da sua convivência com o Governador, né????!!!
Acho que estão fazendo escola. Tanto nos ilícitos como nos rompantes de "prendo e arrebento" a imprensa!

Anônimo disse...

Uncle Ceasere

POuco depois do término do Vº ENECOM em Salvador/BA o signatário pretendía com outros colegas do Jornalismo da UFSC lá de 81 ficar mais uns dias largado no calor daquele julho para acompanhar mais um encontro do SBPC (não lembro a edição). Porém, bem informados que eram (voces e nós) o papo é que não era RECOMENDÁVEL permanecer pois a pastelaria estava aberta... Não sei porque essa história do diarinho me lembrou o ano da bomba do RioCENTRO, o Vº ENECOM e os tempos cabeludos que recém eram distendidos... Paulão