segunda-feira, 14 de julho de 2008

DIGA LÁ, MÁRGARA!

Conversei há pouco, pelo MSN, com a Márgara Hadlich para saber, afinal, que história era aquela de condenação por favorecimento à prostituição. Transcrevo abaixo o que ela me disse, até como forma de dar-lhe a chance de expor seu ponto de vista:

“Cesar:

Na minha opinião o governo está tentando desviar o foco de tudo isso e me transformar em ré, que eu nem de longe sou, neste assunto da Metrópole.



Tem outra coisa... quando eu fui procurar emprego na Metrópole não escondi que havia tido uma casa de mulheres em Joinville. Uma casa praticamente no centro da cidade e “muito bem freqüentada”, se é que me entendes.



Além de nunca ter escondido o processo, eu fui condenada e cumpri a minha pena, que foi trabalhar para a comunidade. Trabalhava das quatro da manhã até meio dia três vezes por semana, em entidades beneficentes aqui de Blumenau. Não devo mais nada à Justiça.



E não tenho vergonha deste episódio em minha vida, bem pelo contrário. Tenho três filhos e sempre fui sozinha. Trabalhava e muito, muito mesmo. Naquela época eu tinha muito dinheiro, acabei perdendo tudo por conta deste processo, mas acatei a decisão da Justiça.



Por falar nisso, existem pelo menos outras cinco casas do mesmo nível da que eu tinha e só eu até hoje fui condenada pelo artigo 229 (manter casa de prostituição).



Trazer este assunto de tantos anos atrás (fazem mais de 10 anos) que não faz mais parte da minha vida, pode piorar as coisas. Mas, te juro, não para mim.



Vou te contar uma coisa: quando vc publicou que eu iria me manifestar na próxima semana, que teria uma reunião com a minha família e tudo mais, na semana seguinte, bem cedo, recebi uma ligação de um telefone de Floripa (que depois vim a descobrir que era público). A pessoa (homem) disse assim: “não sei se a senhora lembra, mas a senhora teve uma casa de prostituição em Joinville e isso pode ser usado contra a senhora, caso a senhora fale demais”. Eu respondi: claro que lembro e também lembro que naquela época a justiça foi aplicada e não devo mais nada a ela. Porém neste episódio de agora será que a justiça também será aplicada? E digo mais ao senhor: não sei quem lhe mandou ligar, mas posso lhe assegurar que não sou somente eu que lembro deste episódio da casa em Joinville.



Eu nunca tive a pretensão de colocar minha vida em um livro aberto. Nunca, de forma nenhuma, porém parece que as pessoas me instigam para isso.



Estou tocando minha vida com meus filhos numa boa, trabalhando feito louca. Trabalhei 2 anos e 3 meses na Metrópole, só fazia o que me mandavam e pronto. Tenho certeza que era uma ótima funcionária, como sou até hoje.



Querem me prejudicar no trabalho que faço hoje. Não posso permitir isso. Tudo que eu falei até agora é a mais pura verdade. Não mudo uma vírgula. Nem por todo dinheiro do mundo.



Olha, espero que os jornalistas sejam espertos o suficiente e entendam o que está acontecendo. Quando eu te pedi para pensar melhor e conversar com minha família, eu sabia o porque. Sabia sim. Tinha plena certeza que aquela ligação não foi em vão. Era um aviso. Mas o meu pastor da igreja que freqüento disse que eu tinha que falar só a verdade. E foi o que fiz.



Passei 16 anos sozinha, criando meus filhos. De repente encontro uma pessoa que eu realmente gosto e que realmente gosta de mim e acontece tudo isso. Fazem apenas oito meses apenas que casei e acho que já está em ruínas por conta deste episódio.



Peço a Deus todos os dias que transforme os corações das pessoas e que não me julguem, pois eu já paguei por este episódio em minha vida.”

27 comentários:

Anônimo disse...

Tio César,

Um bom jornalismos iria atrás de alguns figurões que devem ter freqüentado aquela casa!!!
Tarefa pro Tio César!
E não me venham que é assunto privado, pois o que se vê é mistura de privado com o público!
Eta turminha.....

Anônimo disse...

O que? A moça que era intermediária entre a revista e o Governador tinha esse passado? Imagina o que ela não sabe!! Deve ter neguinho depositando grana no exterior pra sair correndo, e outros que nem tão mais dormindo. Eita !

Lunar - Jorge Oliveira disse...

César.

Palavras são palavras... Mas a gente que é macaco velho nas "côsa" consegue avaliar quando alguém não fala a verdade ou queira de alguma forma escamoteá-la.
Se a senhora Márgara não mencionou nada a respeito do "negócio" que mantinha lá em Joinville é porque isso não era (e não é) relevante para as questões que estão sendo levantadas.
Ela diz que além de nunca ter escondido o processo, eu fui condenada e cumpri a minha pena, que foi trabalhar para a comunidade. Trabalhava das quatro da manhã até meio dia três vezes por semana, em entidades beneficentes aqui de Blumenau. Não devo mais nada à Justiça. E não deve mesmo!
Além do mais, quem deve explicações sobre esse rumoroso caso não é a senhora Márgara, e sim seus protagonistas. Ela é sim uma testemunha muito importante e assim deve ser preservada.

Jorge Oliveira
Laguna - Santa Catarina

Anônimo disse...

César, será que a turma não era, digamos assim, comercialmente fiél? Frequentavam as duas casas em Joinville? Marlene Rica e a da Márgara? Essa Márgara vale ouro, afinal, nunca deu com a lingua nos dentes, mas, que ela sabe de mais coisa, isso ela sabe.

Cláudia Regina Leite disse...

Eu acho que o governo não tinha nada que sair a "revirar" o passado de uma pessoa que, se errou, já pagou pelo que fez. Acho muitíssimo injusto pretenderem fazer agora essa espécie de linchamento moral e expor a moça ao descrédito para ver se se beneficiam e saem de bonitinhos disso. Se eu fosse ela, ficaria bem atenta e guardaria todas as provas de qualquer arranhão na sua imagem para uma futura Ação por Danos Morais.

Anônimo disse...

Que zona...

Anônimo disse...

Li a entrevista da Márgara e fiquei enojada. Quanto tráfico de influência entre autoridades, quanta mistura de público com privado, quanta falta de vergonha desse governo que aí está, pelo visto, ILEGITIMAMENTE, governando Santa Catarina! Será que o TSE vai ter a coragem de fazer de conta que isso não aconteceu?

Schneider disse...

Vamos abrir um concurso entre as casas da Marlene e da Márgara. Cada cliente importante vale pontos. Vereador 5, sec. municipal 8, vice-prefeito 10, dep estadual 15, prefeito 25, dep federal 25, sec. estadual 30, vice-governador 45, senador 45, ministro 50, governador 60, vice-presidente 60 e presidente 80.
Quem fará mais pontos? Marlene Rica ou Márgara? Façam suas apostas!

Anônimo disse...

Esse governo é mesmo uma put...bom, deixa pra lá! Com tudo isso, não é preciso dizer mais nada! Fuga no cadeião: culpados: os carcereiros! Problemas na saúde: culpado: o paciente. Problemas na educação: culpados: os alunos. Problemas na bandalheira: culpados: as moças...

Anônimo disse...

Caro Cesar

Me dá engulhos o comportamento covarde de alguns figurões. Revirar questões intestinas do passado da moça pode revelar que nele (nos intestinos) passaram alguns calhordas que agora tentam calá-la com o tipo mais sórdido de ameaça: anônima, cruel, inisiosa... como o cocô bóia, eles terão o que merecem. A propósito: o testemunho dessa senhora ganha peso, ao contrário do que imaginam seus algozes. Mr. Ohh

Anônimo disse...

Esse é o governo que o PFL apoia. Deve estar envergonhado.

Pedro Souza

mauricio disse...

Caro Cesar.

O Palocci tentou fazer com um zelador o mesmo que estão tentando fazer com a Sra. Márgara.
O Palocci caiu ...

Anônimo disse...

Sr. Cesar,
É lastimável, os catarinenses não merecem conviver com este mar de lama.
Ao tentar desqualificar a Sra. Márgara só desvelam a promiscuidade de todos envolvidos. Se entendem que a Sra. Márgara não pode acusar, tendo em vista sua vida passada, porque deixaram ela fazer parte deste governo? Aceitaram a participação da mesma em reuniões de Secretários de Estado, receberam-a em seus aposentos, indicaram empresas e empresários com os quais poderia "negogiar". Antes ela servia, agora é pessoa não grata. Os fatos que agora denunciam já haviam acontecido, o que mudou?
Por favor, chega de enrolação. Chega de fazer de conta que somente um lado desta história sórdida está errado, o termo usado no blog do vieirão, na sexta feira passada, resume muito bem esta questão, não me permito transcreve-lo aqui.
Basta de hipocresia, se valeram dos serviços destes que agora dizem ser desonestos. Se tivessem um pouquinho de respeito próprio, tivessem ética, compromisso com o bem comum, não estavam enterrados até o pescoço nesta história sórdida, vergonhosa. Basta, é um caso de polícia sim, mas para todos envolvidos. Polícia Federal e urgentemente. Não posso escrever aqui o que realmente penso, pois posso ser a próxima vítima, eles estão procurando motivos para desviar a atenção, não podemos cair nessa.
Sra. Márgara, não desanime, Jesus disse "Quem não tem pecados que atire a primeira pedra" Todo ser humano, em maior ou menor grau tem algum fato de sua vida que quer esquecer.

Anônimo disse...

E o Armando, onde anda? O que tem a dizer disso tudo? Creio que juntando o que ele sabe agora, com o que a Márgara sabe a muito tempo, teríamos uma história e tanto...

Anônimo disse...

Aiaiai LHS ...nem tentando sujar a imagem da moça deu certo hein???pior...complicou,ela com o mesma disse nem ré é???Voçes é que são...então meus queridos...agora o bicho pegou!!!E tem mais ela deve impostos estaduais...que ridículo(e quanto o governo deve ???)ela não pode pagar ...nem recebeu o trabalho que fez para vcs!!!Vcs não pagaram a revista e a revista não pagou ela...e ponto!!!

Anônimo disse...

Bom dia....li tudo que ela escreveu...tanto na matéria na Folha ,quanto no MSN para vc César...penso em contratá-la para trabalhar em minha empresa,esta moça é muito bem preparada apesar de segundo ela não ter formação universitária,alguém aí tem o contato dela????

Alviculo disse...

Nesses 22 anos somados como funcionário público das três esferas, tenho observado que o sexo comprado e o sexo de troca andam de mãos dadas com o poder com algumas exceções. Infelizmente parece que o "eu" da luxuria namora com o "eu" do poder, observei que é uma pratica relativamente comum uns e outros freqüentar as referidas "casas", bem como trazer para dentro da esfera pública suas "amigas". O ser humano, principalmente os detentores de cargos públicos, precisam evoluir.

Anônimo disse...

E façam suas apostas,eu ja fiz a minha(na Márgara)e vcs????acredito em tudo que ela falou até agora,até porque mesmo quando buscaram sujar sua credibilidade ela veio a público e disse:é verdade,e o governo corda para se enforcar.com.br,,,disse o que???O Armando confessou o que não se esperava,o Ivo mentiu e voltou atrás,o delegado falsificou assinatura para construir flagrante,e mais deixou claro para quem quisesse entender que o flagrante foi armado....Vou apostar em quem???Na Márgara ,claro,não extorquiu ninguém,não escreveu livro para se promover,mais sabe mais que todo mundo...ja apostei.Abraço.

Anônimo disse...

Senhor LHS,com essa o senhor não contava hã?Mesmo a Revista em questão não tendo pago seu trabalho,mesmo ela tendo todos os motivos do mundo para ter mandado o Nei a merda(desculpe leitores,é meu ponto de vista)ela se compromete com a verdade,e olha que dizem que mulheres que tenham tal passado,não tem caráter,começarei a mudar meus conceitos,pode ter certeza César!!!

Anônimo disse...

Eu li e reli o que se comenta na imprensa sobre esta moça,não a vi defender nem acusar ninguém,o que li descreve no meu entender coisas que foram vivenciadas durante seu trabalho,ne corrijam se estiver errada por favor,talvez não tenha lido tudo!S.T.E de Canoinhas

Anônimo disse...

Eu mero espectador,estou esperando o lançamento do livro da Márgara,tenho certeza que será muito mais interessante a leitura,esse "Descentralização no banco dos réus"ja está perdendo a graça diante de tantos fatos novos.Eu prometo que compro um,basta o LHS deixar publicar rsrsrsrssrsrsrsrsr

Lourdes disse...

Eu concordo com o anônimo das 8:23,tbm compro e acho que todo o Estado compraria,ta aí Márgara,não te pagaram mais é possível tirar o pé da lama(se é que é possível)

Anônimo disse...

Besteira,o governo do Lulu nunca que vai permitir que se cump´ra a liberdade de expressão,ja provaram isso impedindo a publicação do livro do Nei!Ou não foi assim?Mais que eu comprava...a isso eu comprava

Anônimo disse...

A corda na qual o Ivo se referia,era esta que eles pretendem que arrebente para a Márgara,nós é que não tínhamos entendido direito gente!!!E tenham certeza,ela pode até ir para a Assembléia , mais a coitada vai ter que falar da casa que teve em Jlle e não do trabalho que fez para a Revista!Esperem e confiram.

Ubiratan disse...

Òlhólhó,até parece que a mulher mais famosa de Santa Catarina,vai aparecer na Assembléia para dar corda para o Ivo se enforcar?Vocês acham mesmo que depois de terem revirado a vida dela de cabeça para baixo ela vai lá dar ibope para os deputados e para a carnificina da imprensa?Desculpe mais eu não iria,ela não deve nada?não está sendo acusada de nada?Para que ir?Nem recebeu os direitos trabalhistas nos quais tinha direito?

Anônimo disse...

Olha,infelizmente tenho que concordar com o cidadão a cima,esta moça de testemunha vai acabar sendo transformada em ré,vai ver eles resolvem reabrir o processo dela de 11 anos atrás?No qual ela ja pagou,pois é pode ser te tenha uma brecha no judiciário que permita isso,vai saber?

Pe.Antonio disse...

Sra.Márgara,eu como todos os catarinenses,gostaria e muito que a sra.falasse sobre o que sabe,mais não posso esquecer que sua vida está sendo muito prejudicada então...por isso não vá a Assembléia ,e que Deus a proteja.