sexta-feira, 11 de julho de 2008

O PRIMEIRO DEBATE

Assisti o primeiro debate de candidatos a prefeito (e prefeita) na TVBV quase integralmente. Ainda é cedo para pode fazer qualquer juízo de valor. Até porque, como diz uma propaganda de refrigerante, imagem não é nada. E para perceber o conteúdo ainda leva um tempinho.

Não sei se a gente pode falar isso num blog (no jornal falaria sem pensar duas vezes), mas teve alguns momentos engraçados. No final, por exemplo, o Cesinha Jr. depois de enumerar algumas frases evidentemente redigidas com antecedência, disse que a gente deveria escolher um candidato que não ficasse falando “frases de efeito”. Mas, sem dúvida nenhuma, o filho é muito melhor que o pai. O Boppré estava preocupado que a gente colocasse, no segundo turno, “duas alternativas conservadoras” (Amin e Berger?) e aí começou a pedir votos para os eleitores desiludidos do Andrino e do Grando. Darío parece ter absoluta certeza que o eleitor quer mesmo é asfalto, viadutos e obras por toda a cidade. Nildão ainda está muito preocupado em defender o Lula. Falta cair a ficha que eleição municipal é mais embaixo. A Ângela está bem, talvez até pudesse elevar um pouco mais o tom. Mas eu tenho um problema particular com o PCdoB. Não consigo esquecer da administração ruinosa que eles tiveram na Fesporte. E cada vez que estou me encantando com o jeito firme e suave da candidata, lembro que ela é companheira de partido do João Ghizoni. E aí é como tomar uma ducha de água fria. O Esperidião é o Esperidião. Praticamente uma lenda da política brasileira. Começou como um jovem tecnocrata, prefeito biônico, que tomou gosto pela política e vale-se de sua memória prodigiosa para supreender (e divertir) os interlocutores.

Por mais que a gente ache que seria bom para a democracia que a Ângela Albino, o Nildão, o Boppré e a Joaninha tivessem uma votação espetacular, por enquanto as forças (força mesmo, inclusive de grana) estão concentradas nos candidatos do governador LHS (Darío e Cesinha Jr) e no ex-governador Amin. Tomara que as urnas mostrem um quadro mais equilibrado. Ganhariamos todos.

Num primeiro debate não tem como dizer muita coisa. Nem nós, nem eles, estamos ainda no clima da campanha. Valeu, a rigor, para que a gente lembrasse como era cada um (ou os conhecesse). O resto (como as coisas que escrevi acima), nem vale a pena guardar.

8 comentários:

Schneider disse...

Ops, postei o comentário na nota abaixo, desculpe

Rafael S. disse...

Também vi o debate, não foi muito caloroso, os candidatos estavam muito comportados, menos mal. Concordo com vc sobre o nildão que em determinado momento cobrou do Dario a logo do governo federal nas obras que recebem verba de lá, o Amim preocupado com os donos das empresas de onibus, JR. estava contido em suas palavras meu medo em relação a ele é a volta de familia que já deveriam ter saido da politica a muito tempo (Kleinübing / Bornhausen entre outros), Afranio tbm traquilo, a A. Albino tem muito apoio hj creio que é pela atuação dela na camara mais precisamente sobre o caso da moeda verde em que ela votou a favor do corte do JUJU mas o que as pessoas vão cobrar dela (alem de melhorias para a capital) é a continuidade desse pensamento em relação a pilantras que se aproveitam da posição politico/social que ocupam, O Dario é continuar o que já está mas se ele pensa que pintar o chão de preto é tudo tá enganado varias obras dele apresentam "falhas" em alguns detalhes de "acabamento" como os elevados (capoeiras e itacorubi). Mas vamos esperar outros debates para clarear as ideias e pode escolher aquele que esperamos faça o melhor para a cidade. Abraços Rafael.

Fabio disse...

A sorte foi lançada...
O debate de ontem começou com dois sorteios. O que era pra ser a ordem de apresentação dos candidatos no programa dividiu muito bem o atual cenário politico
De um lado a esquerda individualista, que tem tudo para morrer na praia isolados.
Do outro lado Amim que representa a velha política, o Dário o modelo atual e Cesar Souza Jr no meio dos dois representado a novidade do pleito. Será que vale a pena arriscar?
Se o Dário anda esquecendo de dar o crédito ao governo federal dos recursos para as obras da Capital por outro lado ele até parafraseou o presidente "Nunca na história de Florianópolis..."
O melhor do debate foram as perguntas feitas pelos telespectadores e personalidades. Pelo bem da cidade esperamos que os eleitores estejam também inspirados no dia da votação.
Outro sorteio, que não valeu nada, foi quando o Dário tirou o nome do César Souza Jr, será que estava escolhendo quem ele vai apoiar no segundo turno ou quem ele quer enfrentar?
Vamos esperar pra ver...

Celio Kupkowski disse...

Caro Cezar,
Tbm, ví o debate, até que foi divertido, e concordo com sua publicação no Blog, gostaria apenas de contribuir com um detalhe. Porque o prefeito Dário continua falando que existe uma única tarifa de R$1,98, quando existem quatro tárifas, e o preço correto que vc paga com a moeda oficial da Republica é de R$ 2,50, quando vc adianta o pagamento obtem um desconto e paga R$ 1,98 e a autra tarifa é de R$ 1,30 e
R$0,90 em pagamento adiantado se não me engano. A verdade precisa ser dita! Ah! Outro detalha as ciclovias...onde vc tem que carregar a bicicleta nas costas..até achar uma pintura vermelha no asfaldo que é tão estreita, que o mais provavel é que vc seja atropelado, além de seguir a mesma logia da Beira-Mar de São José, a famosa VIA-DÁRIO, liga nada a lugar nenhum!
Forte abraço e parebéns pelo blog, cada vez melhor!

Anônimo disse...

Fazia tempo que eu não via o termo "VIA-DÁRIO", rsrsrs.
Dia desses percebi que na altura do posto Nienkotter, na Ivo Silveira, tem um monte de areia, à beira-mar, igual ao aterro do estreito. Estaria o Dário tentando fazer a famosa ligação?

Anônimo disse...

Caro César,

Segue algumas considerações pessoais sobre o debate de ontem:

Afrânio - Esta na disputa para tumultuar. Confuso e com a clara intenção de atrapalhar o máximo as pretensões da esquerda, leia-se PC do B, PPS e PT.
Angela Albino - Teve um ceto "destaque" por ser a única mulher, bonita e muito bem vestida. Tem desenvoltura mas lhe falta conteúdo, indispensável para quem almeja uma Administração Municipal do porte e importância de Florianópolis.
Cesar Souza Junior - Sinceramente, me transpareceu confiança, principalmente no que diz respeito ao conteúdo. Pode fazer a diferença em um embate que tende a ser "superficial" ou voltado para comparações entre administrações.
Dário Berger - Perdido, parecia não estar preparado. Demonstrava impaciência e inconsistência nas respostas. Resumindo: Não queria estar ali!
Esperidião Amin - Prefeito, Governador e Senador. Hoje esta à toda evidência aliado ao PT. No debate o Dão passava a bola, o Nildão levantava e o Amin fazia o gol. Tem experiência mas ao mesmo tempo desgastes por ter assumido tantas vezes o poder. Não apresenta mudança nem renovação, mas mesmo assim quer caminhar nessa linha. Pode se complicar no 2º turno.
Nildão - Sem pretensões de chegar ao 2º turno. No debate confirmou a aliança com o PP e deverá servir de trampolim para ataques aos demais candidatos.

Abs,

Rogério Carvalho

Anônimo disse...

O debate mostrou tudo e todos.
A campanha será bipolarizada: Dário e Esperidião, o resto é figuração.
Portanto tomem seu partido. Arena ou MDB?
O Cesar Jr. que deve fazer 10 ou 12% dos votos e no máximo pode ser o fiel da balança no segundo turno. Anotem aí, a bela Angela não faz mais de 5%, o Nildão 3%, o Afrânio 1%.
Me cobrem depois da eleiçõ
Assino com pseudônimo BUDA.

Anônimo disse...

Tio César,

O que foi aquela bronca da Ângela no Dário??!!
Além do seu nervosismo, o alcaide continua com um dos seus principais cacoetes: é mal educado!
Parabéns vereadora, não se intimide com quem quer bater em mulher!!!