quinta-feira, 24 de julho de 2008

AMIN É EX-RÉU

Aquele rolo do Aldo Hey Neto (ex-comissionado da Fazenda, pego com a boca na botija e numa montanha de dinheiro vivo), está dando filhotes.

Li ontem no blog do Moacir Pereira que, por causa do que foi dito na época da campanha para governador (que parte do dinheiro iria para “o alto escalão do governo estadual”), Esperidião Amin respondia, na 2ª Vara Criminal de Florianópolis, a processo de calúnia e difamação movido, claro, pelo LHS e pelo Max Bornholdt (então secretário da Fazenda).

Mas, segundo a assessoria de Amin, a ação foi extinta. Como a Lei de Imprensa está com alguns de seus artigos suspensos, o caso, que se baseava neles, perdeu o sentido.
O que nos leva à questão seguinte: e o caso principal, como anda? Aldinho estaria mesmo se preparando para voltar a atuar em Santa Catarina? Hum...

7 comentários:

jânio disse...

Santa Catarina é bem o símbolo do grotão, como diz o Tambosi. Sempre dois ou tres grupinhos que mandam e a manada vai atrás. Não importa quais sejam os réus. Os culpados sempre seremos nós.

Filippe disse...

É meu amigo César, nas eleições todos mostram suas caras. Ficar falando de processos extintos é facil, pq não dá o devida divulgação do indiciamento do nosso amigo Dário por corrupção? Parece que o Sr. não liga muito pra isso não é?

Cesar disse...

Ô Filippe, estava achando que pegava demais no pé do Darío (já reclamaram até que eu não o chamo de Dário). E quanto ao indiciamento, falei nele na segunda-feira (ao final da nota Essencial e Acessório). Com links para a íntegra do relatório da CPI.

Schneider disse...

Pois é, César.
E o Aldinho? Mas não é só isso, há mais pontos de interrogação em órbita. São muitos, mas dois merecem atençâo:
- De onde veio o dinheiro que estava com o Aldinho e, o mais importante, para onde iria?
- Quem era mesmo que estava na casa da Marlene Rica naquela "fatídica" noite?

Anônimo disse...

CEsar.. me diga uma coisa: será que o dinheiro que estava com o Aldinho não era para pagar o Nei, a Márgara e a Revista Metrópole?

Javali disse...

Nossa, que pessoal mais desconfiado! O cara nem pode quardar um troco em casa e já fica todo mundo falando...

Anônimo disse...

Concordo com o javali. O Aldinho guardava o dinheiro em casa só para não pagar CPMF, que na época ainda existia.....