terça-feira, 8 de julho de 2008

O IVO NÃO VAI, MAS O NEI VAI

A Assembléia Legislativa, por maioria, recusou o convite, das bancadas do PP e do PT, para que o secretário Ivo Carminatti comparecesse para conversar sobre o caso da revista Metrópole.

Em compensação, o empresário Nei Silva estará amanhã, a partir das 9:30h, naquela Casa de Leis, para conversar (informalmente) com os deputados. O convite também foi feito pelas bancadas do PP e PT.

Nei, por falar nisso, está atendendo a todos os pedidos de entrevista que lhe fazem. Depois de falar, no domingo, para a TV Brasil Esperança, de Joinville, ele acaba de gravar, no Campeche, um depoimento de mais ou menos uma hora para o Canga Blog, o blog do Canga (identidade secreta do jornalista Sérgio Rubim).

Estive lá, como convidado, para fazer algumas perguntas. Nenhuma grande novidade (afinal, o cara escreveu um livro sobre o assunto e o enredo é simples). Tentamos, Canga e eu, esclarecer alguns pontos e a participação de alguns personagens. O material será colocado nos dois blogs (o dele e o meu), provavelmente a partir de sexta, assim que terminar de ser convertido para o formato apropriado.

4 comentários:

Schneider disse...

Quem não tem Ivo, caça com Nei.
Quem hoje caça, um dia ainda cassa.

Anônimo disse...

Tio César,

Vai lá! E convida a Mágara para te acompanhar.
Não precisa temar a patroa, pois a audiência será pública e em horário de dia claro!

Anônimo disse...

Bom, agora o Nei vai jogar o livro no ventilador. Bem em cima da campanha eleitoral. Que coisa oportuna! Pode-se falar o que for do cara, mas é persistente. LHS e sua turma, vale a pena esse estresse todo pelo poder? Que opção de vida...

Anônimo disse...

Interessante a "bomba" que um colunista descreveu: A reveleção do deputado Eliseu Matos que o Armando nada tinha a ver com o negócio, dita pelo próprio em ligação telefônica entre os dois.
A cobertura altamente parcial de alguns meios de comunicação está ficando insuportável.
Interesante porque só agora, que a merda está fedendo muito, é que aparecem estas versões do membros da base deste (des)governo.
Cara-de-pau é um termo muito leve para ser usado. Esse pessoal só vai começar a correr atrás da população quando (e se) o TSE julgar o mérito da questão.