terça-feira, 13 de maio de 2008

A VELHA PONTE

Não falei nela no jornal por falta de espaço (e também por causa de um certo desalento sobre o seu futuro). Mas não posso deixar passar o dia sem pelo menos fazer uma singela homenagem fotográfica.

Vários dos que falam na ponte e na história da sua construção falam mal da ligação anterior, feita por barcos. Repetem informações sobre um hipotético mau serviço. Como a história é escrita pelos vencedores, desconfio que há nesses relatos um exagero proposital. Meu avô, dono da Empreza Valente, que fazia a travessia (conforme se lê no anúncio de jornal acima), acabou ficando sem a concessão para explorar os ônibus que fariam a travessia sobre a ponte de uma forma que até hoje não foi esclarecida. Tempos depois, virou chavão dizer que o serviço de lanchas era o pior do mundo. E até hoje os manezinhos parecem desconfiar do transporte hidroviário, provavelmente de tanto terem ouvido que a coisa não funcionava. O caso daria um livro com uma boa história de mistério, jogadas políticas, suspense e achaques diversos, se algum neto (hehehe) dispusesse de tempo e talento para dedicar-se a isso. Quem sabe um dia, né?

7 comentários:

Anônimo disse...

Um DÁSUM, um ÉSO prá tí ô Cesar.
Traduzindo: Dás um banho; és o melhor. Abraços.

luiz fernando disse...

Tio César,

O que li no DC-online é verdade (Deinfra recebe propostas para revitalização da Ponte Hercílio Luz)?
Eles vão abrir as propostas novamente?
A inauguração em 2010, junto com o metro de superfície, então vai atrasar, não?
Ete turminha que gosta de festa de lançamento de obras, sem jamais inaugurá-las!!!!

André disse...

Não deixe para o bisneto o que o neto pode fazer...

Anônimo disse...

Na quarta foto aparece o "Bloco de ancoragem" do cabo de sustentação do vão central.
O projeto de recuperação da ponte prevê o lançamento de um novo cabo para manter o vão central enquanto é recuperado o cabo original.
Uma das dúvidas é onde será ancorado o novo cabo, se nesse mesmo bloco de ancoragem ou se vai precisar de um novo, e nesse caso, onde seria construído.
Resumindo, a parte mais delicada da recuperação da ponte, que é o vão central, ainda não está completamente definida, mas já estão trombeteando que em 2010 vai ter o metrô de superfície.
É bom saber que a concorrência para a elaboração dos estudos de viabilidade técnica e econômica do "tranway" foi lançada em junho 2006, antes da eleição para governador e, depois de Luiz 15 ter sido re-eleito, a licitação foi cancelada.
Anunciar que o metrô estará pronto em 2010 só porque tem eleição novamente, é debochar da capacidade intelectual do eleitor !

Norberto disse...

Parabéns pelas fotos. Sua seleção ficou impecável. Não resisti e dei um Crtl C. Não sabia desta parte da história, interessante. Os políticos preferem fazer obras para aparecer e levar uns trocadinhos através das licitações, não é mesmo? Porque iriam se dar ao luxo de colocar barcos na água para o transporte marítimo, se a construção de piers e terminais de embarque não iria "torrar" muita grana? A história se repete. Abraço.

Anônimo disse...

Caro Valente, temos alguma coisa em comum além do curso de Jornalismo na UFSC. A história de meu avô depois tapeado na história da primeira empresa de ônibus da capital, que não foi a Tanner. Aliás, esta comprou a primeira, montada pelo brilhante arquiteto Remo Corsini, por Afonso Lehmkuhl (meu avô, que recém recebera sua parte da herança pela morte da minha bisavó) e seu pai, que durante um lacônico comunicado feito sobre a ponte Hercílio Luz disse que havia vendido os negócios, estava indo para o Rio com a nova mulher e que o filho - que era sócio e que por orientação do pai havia injetado toda sua herança nos dois negócios) tratasse de procurar um emprego... Eles, pai e filho tinham um 'secos e molhados' de exportação de couro e importação de tudo que aqui não existia. Operações feitas pelos navios do Hoepcke.Meu avô não recebeu uma pataca e ficou literalmente a ver navios... o lado deprê que o consumiu até o fim da vida com um câncer de estômago, saga repetidas vezes relatada por minha mãe nos últimos seis mêses de vida (tbem levada há seis mêses por um câncer generalizado) fica para um futuro livro...se topares conversar... PAULÃO

JPSSC disse...

Aliás, aproveitando o ensejo, hoje termeos audiência pública spobre à quantas andam as obras da Ponte Hercílio Luz, requerida pelo deputado Sérgio Grando, a discussão acontece no plenarinho da ALESC, vale conferir César.