sábado, 17 de maio de 2008

O ESCÂNDALO DO AEROPORTO

A ampliação do aeroporto de Florianópolis precisa começar a ser tratada, pela imprensa e pelas pessoas de bem, como o escândalo que realmente é.

Há descaso, irregularidade, oportunismo e incompetência em praticamente todas as fases e áreas. Desde especulação com terrenos a desinteresse na solução de problemas de engenharia, passando por falta de conhecimento de “autoridades”, a bolsa de apostas da capital está cravando 2016 para a reinauguração do aeroporto.

Com o agravante que, ao ficar pronto em 2016, estará quase uma década defasado e já precisando de nova ampliação.

A luta por um aeroporto decente para Florianópolis já tem mais de 20 anos e diluem-se as esperanças de que as obras comecem antes de 2012.

Aí a gente se pergunta: com um aeroporto congestionado na capital, que não pode receber mais vôos e hoje já é uma confusão no horário de pico, que encenação é essa do governo LHS, de trazer mais turistas do exterior? Brincadeira?

Escândalo! É a melhor definição.

3 comentários:

Anônimo disse...

Tem muito "jabutí" trepado no galho. Uma obra dessas, coisa de ponta, 16empresas retiram o edital porém nenhuma entrega proposta.
Como se sabe "jabutí" não sobe em árvore, se lá está alguém colocou.

Carlos disse...

Não se trata de obra, mas sim de PROJETOS para pista de rolamento, pátio de estacionamento de aeronaves e outros serviços complementares do aeroporto.
O problema é que parece que os recursos e os prazos para projetos estavam muito baixos e, geralmente, projeto muito barato ou muito rápido resulta em obra insatisfatória ou cara.
Haja visto o elevado de Capoeiras.

mauricio disse...

Bom dia Cesar.

Nosso problema é que os políticos de Santa Catarina estão voltados só para seus umbigos, ao passo que os das demais Unidades da Federação estão buscando verbas e lutando pelos seus Estados.
Assim, todos seguem em desenvolvimento e, nós, estagnados.
Aqui, os vereadores cuidam dos interesses de empresários e de seus próprios interesses. Os deputados estaduais em criar uma capa protetora aos atos do Governador. Nossos Deputados Federais dormem em berço explêndido e os Senadores defendem os atos (questionáveis) dos ministros e do Presidente.
Só agora, às vésperas da eleição veio esse pacotinho do PAC, migalhas frente a nossa contribuição fiscal.