sexta-feira, 16 de maio de 2008

PROBLEMA OU ORGULHO?

O colega Raul Sartori sintetizou muito bem [aqui] o desespero da família do pianista Pablo Rossi, que foi estimulado a estudar em Moscou e agora passa dificuldades porque o mesmo governo que o colocou nessa, não renovou a bolsa. Ele pergunta se, afinal, o moço e seu talento é um problema ou um orgulho para Santa Catarina?

6 comentários:

Anônimo disse...

Os empresários de Joinville devem ajudar o Pablo. Já está na hora de acabar com essa ajuda do Estado aos bailarinos e pianistas de Joinville.

Anônimo disse...

Só prá saber: Será que a Vera Fisher e a Marcia Mell também passaram por esse calvário do Pablo Rossi ?

Anônimo disse...

Vocês tem idéia de quanto o Pablo Rossi e seu irmão já receberam dos governos do estado? Ele vem recebendo ajuda desde o governo do Espiridião e não é pouca. Pra quem sabe,do quanto eles já receberam inclusive nesse governo, soa um pouco como ingratidão. Acho que tá na hora, desse talento se auto sustentar, e nós apoiarmos gente que tá ai, há muito tempo na fila de espera.Luiz Henrique já pagou passagem, estadia, etc..E a mãe dele pelo que vejo só reclama. Fala sério!!

Anônimo disse...

LHS faturou muito com o rapaz. Além de tudo, prometeu que renovaria a bolsa e até agora nada fez. Por que prometeu? Agora honre a palavra (coisa rara no vira-casaca).

Marcelo Santos

Joe Michel disse...

Depois que ele se formar no prestigioso instituto russo vem dar aula aqui ? Vai retornar o investimento ? Tocará de graça pelos municípios do estado ? Que diabo de recurso é este ? Uma ação individual, privatista...uma novelinha triste !! Há que se pensar em apoios deste tipo, essa coisa chapa-branca que emociona pai e mãe e dá um "dane-se" ao resto do povo. O governo é omisso, não apoia política que não seja a de "Pais Emocionados". Ufa !!

Anônimo disse...

Também quero uma bolsa...para pagar os cartuchos de tinta da impressora da escola que saem do meu miserável salário;nem é para mim e sim para os futuros eleitores de políticos safados.
Achei linda a carreia dele, desde que começou e mereceu todo apoio que teve.Agora já pode viver do talento.
Daqui a pouco vamos sustentar bolsas para gente estudar berimbau na Bahia e tambor no Olodum.
Se ao menos ele ensinasse piano para os alunos de escolas estaduais, vá lá, mas nem isto?

A mãe dele trabalha em quê?E o pai?
São carentes?
Certo, tem muita porcaria sendo patrocinada,mas então que se tire o patrocínio das porcarias...

Lia