quarta-feira, 8 de outubro de 2008

POSIÇÃO FIRME

Um a um os partidos que têm boquinhas no governo estadual (ou sonham com), estão fazendo o que manda a lógica do pragmatismo: obedecem à “convocação” do LHS.

Segundo nos conta Moacir Pereira, no seu blog, amanhã o marido da Dalva “Trator” De Luca Dias vai anunciar que o PDT continua onde sempre esteve:
“O presidente estadual Manoel Dias confirma a tendência [de adesão à candidatura Dário Berger], que está sendo aprovada pelo Diretório Municipal. Alega que o partido faz parte do governo Luiz Henrique e que se tivesse outra opção teria que entregar os cargos.”
Claro como água. Imagino que as lamúrias do deputado Sargento Soares contra a insensibilidade do governo LHS, na tribuna da Assembléia, não irão atrapalhar o apoio e o envolvimento na campanha. Tudo em nome da... como direi... ah, presença do partido no governo, ocupando espaços preciosos para promover o bem comum.

O PDT, ora vejam só, há poucos dias apoiava a candidata do PCdoB e indicou-lhe até o candidato a vice prefeito. Levando-se em conta que a passagem da Ângela ao segundo turno não era uma coisa assim tão improvável, como ficaria o PDT se, por acaso, isso tivesse acontecido? Numa disputa entre Dário e Ângela no segundo turno o PDT mandaria seu candidato a vice renunciar? Sabotaria a campanha? Como faria o partido para manter os cargos no governo estadual (principalmente o cargo da esposa do presidente)?

Ainda bem que as esquerdas, desunidas como são, não permitiram que uma desgraça dessas acontecesse. Bom, o agora muito aliviado Maneca Dias poderá finalmente trocar beijinhos com o Alemão, com o LHS, com o DEM, com o PSDB e até com os comunistas de salão do PPS, livre daquele compromisso incômodo com os comunistas do B.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esse Manoel Dias é um gênio. Vejam a notícia que saiu (no blog do Moacir) e entendam melhor a capacidade dele de fazer articulações políticas:
"O ex-prefeito de Paraíso, Hilário Scherner, está pedindo a renúncia do presidente do PDT, Manoel Dias. O partido mingua a cada nova eleição. Tinha 29 prefeitos em 1996, caiu para 12 em 2000, ficou só com 4 em 2004 e agora elegeu apenas dois prefeitos. O número de vereadores despencou de 195 em 1996 para 70 este ano".
Vai para o trono ou não vai?

Schneider disse...

Se Brizola estivesse vivo esse diretório estadual seria varrido. Brizola e Amin até costuraram uma dobradinha nacional. Dário e o PMDB jamais teriam apoio do autêntico PDT.
Enquanto Manoel segura minguados cargos, Brizola se vira no caixão.

Anônimo disse...

Esse tal Maneca Dias deve ser o dono do PDT, não? Mas que partidão eim? E esse cara sempre mamando também, né? Até uma boquinha para sua excelentíssima esposa, dona dos Batatas e Poemas dos Shoppinggs ele conseguiu do LHS. Enquanto a familia Dias amplia sua renda, o PDT se esfacela. Tá na hora mesmo desse cara largar o pelego...