domingo, 26 de outubro de 2008

LIBERDADE, ABRE AS ASAS SOBRE NÓS!

Esta forma de comunicação (blog e outras ferramentas da internet) é muito recente e a gente ainda não sabe exatamente como agir em muitas situações. Tem até gente que acha que deveria ser atividade privativa de jornalistas e tem gente que acha que deveria haver algum tipo de censura.

Ora, não tem cabimento restringir, por qualquer meio ou pretexto, o que é um revigorante sopro de liberdade. A grande virtude da internet e dos blogs em especial é que qualquer pessoa pode dizer o que bem entender, do jeito que quiser. Dá-se conseqüência prática à liberdade de expressão, consagradas nas constituições das democracias mais importantes e consolidadas. Até na nossa há uma garantia cabal de que a expressão é livre e que a censura não é admitida (coisa que às vezes claudica, mas está lá, por enquanto).

O que vai acontecer, com o tempo, é que os leitores tratarão de fazer suas escolhas. Então, se eu acho que um blogueiro está maluco, que anda falando bobagem ou não gosto do jeito que ele escreve, é simples: não o leio. Se vocês acharem que eu estou chato, inconveniente, sem graça, também é simples: deixem de aparecer por aqui. Não tem sentido embarcar na canoa furada da censura apenas porque alguém diz coisas que eu não diria, do jeito que eu jamais falaria ou porque tripudia das minhas convicções.

Lembram-se daquele adágio atribuído a Voltaire: “não concordo com uma só palavra que dizes, mas defenderei até a morte teu direito de dizê-las”? Pois é.

Tentar assegurar à força (seja força legal, pela via judicial, seja pela força bruta, via “seguranças”) uma uniformidade de pensamento e informação é o começo do fim de qualquer democracia. Visões plurais, muitas vezes antagônicas, precisam ter seus canais de expressão. Suprimir isso em nome de uma falsa legalidade não é só uma violência, é um enorme perigo para todos.

Há um certo sentido em ficar preocupado quando existe apenas um canal de TV, um jornal, uma emissora de rádio. Ou vários que falam a mesma coisa, defendem o mesmo ponto de vista. O contrário não devia nos preocupar. A liberdade, vocês sabem, existe ou não existe. Não tem cabimento reclamar do “excesso de liberdade”. Porque, se existe liberdade, temos como contrapor aqueles pontos de vista, combater, usando a mesma liberdade, aqueles que, a nosso ver, estão equivocados.

Não temos, nas nossas comunidades, muita familiaridade com a crítica, com a contestação ao pensamento hegemônico. Aí, quando aparece alguém na contramão, é normal que todos se assustem. E os defensores da modorra e da calmaria supostamente proporcionadas pela ausência de oposição, tratarão de demonizar aquelas vozes contrárias.

Daí a achar que se justifica a censura, que mais vale a água parada de um pântano de idéias do que a suposta insegurança de um livre debate, é um já. Não raro (e temos alguns exemplos disso, entre nós), a simples suspeita de que o sujeito pensa diferente é suficiente para que ele perca o emprego. Se trabalha em veículo de comunicação, então, o risco é três vezes maior.

E a história, nas democracias consolidadas, tem ensinado que o verdadeiro risco é a falta de liberdade. O que alguns conservadores podem classificar de “excesso de liberdade” é neutralizado quando se aceita conviver com essas manifestações e, se for o caso, apresenta-se à comunidade uma voz contraditória.

Em tempo: é claro que, nos casos previstos em lei, existe o Judiciário para ser acionado. Ofender a honra, caluniar, difamar, são recursos, em geral, de quem tem pouco repertório para defender e divulgar suas idéias. E aí, há instrumentos legais de defesa. Da mesma forma, considerar toda discussão de idéias ou informação sobre malfeitos como ofensas à honra, calúnia ou difamação, é uma defesa débil de quem, chafurdando no mar de corrupção consentida em que muitas comunidades se transformaram, não tem o que dizer em seu favor. E, por isso, recorrem à censura, às tentativas de eliminação física e às várias formas de pressão econômica, para tentar fazer com que parem de circular as verdades inconvenientes.

Fiz essa reflexão, que acabou ficando muito extensa, porque tenho ouvido algumas pessoas reclamando do blog do Mosquito e queria deixar claro o que penso. Quando o Mosquito não tinha blog, às vezes fazia comentários aqui e vários foram censurados. Claro, tudo o que está neste blog, a rigor, é minha responsabilidade. E eu dizia isso a ele, quando ele vinha reclamar do bloqueio. E recomendava que fizesse um blog, para poder publicar o que achava que deveria. Porque neste aqui só sai o que eu acho que deve ser publicado.

E ele acabou fazendo o blog. O que é ótimo, porque dá mais opções aos leitores. Agora, quem for até lá e não gostar, não precisa pedir que calem a boca dele. É só não ir mais. Há inúmeros outros blogs com os quais é possível se identificar, gostar e acompanhar. Eu mesmo leio freqüentemente alguns blogs que acho legais, leio outros por obrigação profissional e os que acho mal feitos, grosseiros ou com os quais não me identifico, não tomo conhecimento. Poder escolher é fundamental.

Uma boa semana pra todos vocês. E que a gente consiga ser mais tolerante com os contrários e que a nossa jovem democracia ganhe musculatura justamente nos fundamentos essenciais da liberdade de expressão.

13 comentários:

Orlando Tambosi disse...

Assino embaixo, Cesar.

Abs.

Alexandre Gonçalves disse...

Tb assino embaixo. O mais incrível é que essa "intolerância" com a liberdade não escolhe assunto. Nem um comentário bem humorado sobre qualquer bobagem está livre da patrulha e de comentários "desafiadores" ("não tens coragem de publicar").

Isso explica pq tanto o De Olho quanto o meu blog -- que não trata de política, por exemplo -- precisam de moderação de comentários.

Amilton Alexandre (mosquito) disse...

Tio César , depois dessa defesa da
"crasse dos broguero" tu vai ser padrinho do tijoladas, de qualquer jeito. Se não aceitar e omo gosto muito de ti, vou ti dá uma tijolada com aquele de seis furo, que se desmancha se todo quando encontra o estrupício.

Tio César és um monstro, vai escrever bem assim na casa do cara...
Eu também te amo!

Amilton Alexandre - O Mosquito

Anônimo disse...

Também assino embaixo e complemento que somente recorre à censura quem teme as verdades inconvenientes e tem ficha suja...e vou permanecer anônimo pra não correr o risco de ser perseguido ou ameaçado de morte...ps.: persistência Mosquito que um dia as mascaras cairão e a verdade fará justiça!!!

Anônimo disse...

Só contra os insetos.

LesPaul disse...

Bacana Cesar.
Os blogs surgiram como 'diários pessoais'. Os blogs são a 'nova crônica social, política, esportiva' ou de qualquer sub-gênero... E vejo nos blogueiros (alguns) a necessidade de comunicação com o mundo, seja para seus registros, seja para 'registra-se' na aldeia. Um grito de 'eu existo', esta é minha opinião, quero ser ouvido ou dou pitaco sobre tudo, sobretudo. Porém, os traços da personalidade de alguns blogueiros - se analisados, devem ser por quem entende (psicólogos ou psiquiatras). O importante é preservar a liberdade de dizer e a responsabilidade pelo dito, fundamentos da convivência democrática. Do contrário (e sabemos bem isso) quando só se pode fazer um discurso monocórdio, monocromático, somos responsabilizados pelo que pensamos, até por aquilo que não foi dito e sabmos a M... que isso dá. Abçs.

Anônimo disse...

As pessoas não podem exercer a anarquia. O Mundo é regulado por leis, para que todos possamos viver com civilidade. Há de ter regulamentação na Internet, sim.
Não podemos ser esculhambados, difamados diariamente por um "maluco" que levará 10 anos para ser preso pela justiça comum, isto se o processo for até o fim.
É fácil falar em liberdade até que exponham a sua filha pré-adolescente e a chamem de vagabunda num site. Ou tentem envolver seu filho num incidente com drogas ou corrupção. Depois de espalhado na Internet, ninguém mais segura a informação. E daí? Vais acionar a justiça? Vais esperar 10, 20 anos pela condenação do blogueiro? E a sua familia, como fica nisto?

Sergio Rubim disse...

Fui um dos incentivadores do Mosquito para fazer o seu blog. Também censurei alguns comentários dele e quando vinha reclamar eu lhe dizia: cria um blog! Taí, não sei se incomoda mais agora do que antes. Mas como já aprendeu as técnicas de colocar fotos, filmes e outras, tem me alugado menos.Quanto a forma do seu texto tem gente que gosta e outros que não. E aí concordo plenamente contigo Cesar. Quem não gosta que ignore. E outra coisa: ser citado no blog do Mosquito não quer dizer que concordemos com o que e como escreve.
Canga

Cesar disse...

Anônimo das 9:22: é claro que os os psicopatas, os imbecis, os criminosos, não só na internet, como em todos os setores da vida em sociedade, precisam ser contidos e enquadrados. Esses desvios devem ser, também com toda a liberdade, condenados.

Anônimo disse...

Concordo, Cesar.

Mas se ele escreve as porcarias absurdamente imbecis - típico da vida inteira dele - deve aguentar as críticas também...

LesPaul disse...

Cesar, o anônimo das 9:22 tem razão em uma coisa: a justiça é lenta pra cacete. Inclusive pra prender os que põem a mão sob as saias da Viúva e do cofre abarrotado de impostos se lambuzam na corrupção, lerda pra prender os prevaricadores, os achacadores, conivente em certas e muitas medidas com os canalhas. O mundo virtual parece terra de Bakunin, mas não é. Com a legislação dá pra enquadrar. Só resta esperar que a Têmis queira e que não esteja usando a venda para outros fins.

Amilton Alexandre disse...

Tio como postei muito rápido tem um como faltando o "c" coloca. o "C" e vira como.

Não sabia que esse babado ia ficar tão animado.
É bom que se discutam liberdade , idéias e justiça. Meu blog não tem ofensas pessoais , traduz em linguagen ácida o cotidiano das ruas. Quem nunca falou , porra , caralho e filho da puta que atire o segundo tijolo . O meu já foi...

Abraço do teu fã Mosquito

Anônimo disse...

Concordo com o César.
Os blogs foram criados como uma forma de as pessoas expressarem os seu ideais, os seus pensamentos... e isso não deve ser censurado de forma alguma. Vivemos em uma sociedade livre... onde todos têm o direito de dizer o que pensam, independente de quem atingirá com suas palavras.
Como um outro blogueiro já falou aqui... tentar calar alguém é uma forma de fugir da verdade, de esconder as falcatruas e enganar o povo.
Então, se por algum motivo, o que um ou outro blogueiro vem dizendo não esta agradando, melhor simplesmente não ler, não entrar no blog que lhe desagrada.
O Mosquito pode não agradar muita gente, mas escreve a verdade, da forma como acha que deve escrever... leia quem quiser, e sinta-se ofendido quem "servir o chapeú".
Censura é uma forma de calar a verdade, e NUNCA deve ocorrer.

Att ...