segunda-feira, 27 de outubro de 2008

POLÍTICA ADMINISTRATIVA

Sou de um tempo em que os governantes tinham algum pejo de misturar questões administrativas com suas atividades políticas. Assim, as reuniões partidárias eram feitas nas sedes dos partidos, procurando evitar que manifestações puramente políticas fossem feitas em próprios públicos. Que, como o nome diz, são públicos, de toda a população, de todos os partidos.

Mas isso é coisa de antigamente, decerto da política velha. Na nova política da dobradinha LHS/Dário, ninguém estranha que atos meramente político-partidários sejam feitos em um prédio público (cedido pelos contribuintes para residência do governador, mas, ainda assim, público).

E, como consagração da nova ordem, a entrevista coletiva comemorativa da reeleição do prefeito da capital foi divulgada pelo site de notícias do governo do estado (www.sc.gov.br). Trata-se, portanto, de ato administrativo, já que foi divulgado como tal. São, de fato, novos tempos. Com novos padrões de medida. E, provavelmente, novos limites de uma ética cada vez mais flexível e... moderna.


ATUALIZAÇÃO DA TARDE

O diretor de Imprensa do governo do estado, José Augusto Gayoso, afirma que estou sendo injusto ao dizer que a coletiva foi apenas para comemorar a vitória. “Foram anunciados atos de governo, não se tratou de campanha”, disse ele. De fato, agora, além das fotos, o site do governo tem também um texto, com o resumo daquilo que o Gayoso queria me dizer: “Luiz Henrique assegura continuidade de obras em Florianópolis”.

Como sou um sujeito de boa paz, farei de conta que não notei que a relação de “atos administrativos” trata apenas de um elenco de obras, projetos e propostas em andamento, reunidas nesta ocasião festiva, para dar uma visibilidade extra tanto ao recém-reeleito quanto (e talvez principalmente) ao seu apoiador.

E aí, naquela lista, tem algumas bolas quicando que não posso deixar de tentar chutar (nem que seja pra escanteio):

1. a alteração do zoneamento urbano para construir torres de oito andares no Centro Administrativo. Esta é coisa que deveria merecer atenção dos vereadores, porque se trata de empilhar alguns milhares de servidores e seus automóveis numa área relativamente pequena, com tudo que isso pode representar de transtorno para a bacia do Saco Grande. Bom, isso no caso de restar algum vereador de oposição, depois que o Dário aplicar o estilo LHS de construir bases de apoio; ah, e outro dos “anúncios” foi a inauguração do interminável teatro Pedro Ivo Campos, o único do mundo com heliponto sobre a caixa do palco;

2. a viagem de LHS e Dário a Londres para trazer um evento que vai custar alguns milhares de dólares ao governo e à pobre da iniciativa privada que é eterna “parceira” desses sonhos. “Estamos disputando com Xangai”, disse o governador, todo animado. Bom, para um país que cresce em níveis comparáveis à China, é claro que não nos farão falta alguns trocados.

3. a venda da área da penitenciária, que decerto se enquadra no tal “defeso da bacia do Itacorubi”;

4. a tão sonhada escola de administração pública francesa, que o LHS quer importar para acabar com os concursos públicos, começa ano que vem. “O concurso público será o vestibular, que garantirá a vaga no serviço público aos que se formarem”, disse o governador. A idéia de ter um curso de administração pública como pré-requisito para a admissão de servidores, em si, não é ruim. Mas se trata de uma escola francesa, implantada numa universidade catarinense, a despeito e a desrespeito de cursos e profissionais locais que poderiam ser prestigiados. Até o calendário da escola será adaptado ao calendário do hemisfério norte, numa desnecessária demonstração de submissão.

Bom, essas são algumas das “medidas administrativas” anunciadas, que justificaram o uso de um próprio público para uma entrevista coletiva que, segundo o governo, nada teve a ver com a vitória. Apenas com o esforço do governo do estado de dar continuidade ao trabalho que mantém em parceria com a prefeitura.

Então tá.

Abaixo uma das fotos que está lá no site do governo. O cidadão de cara amarrada que aparece à esquerda é o vice-prefeito eleito, JBN. Os sorridentes são, naturalmente, a nova dupla inseparável, Luiz e Dário. Ou Dário e Luiz.

Foto: James Tavares/SECOM

12 comentários:

Nostradamus disse...

Governador e Senador, respectivamente, em 2010.

Anônimo disse...

Tio César,

Ética mais moderna e mais flexível ou a total falta dela?
Eles não têm vergonha da cara!
Ah se houvesse justiça.
Cadê a República?

Anônimo disse...

Eles não vão longe...podem esperar! Aliás, como eles querem , vale tudo, não é?

Anônimo disse...

Quanta hipocrisia ! POVO BURRO, COMO BRADOU O DELEGADO NO FILME UM TREM PARA AS ESTRELAS!

Schneider disse...

E o Metrô de Superfície, que será inaugurado em 2010?
Aproveitando: como se escreve Santa Catarina e Florianópolis em francês?

Anônimo disse...

César... esta é a terceira reeleição de Dário Berger, ele ficou por dois mandatos(eleito e reeleito) em São José, mudou de cidade e domicílio eleitoral, se elegeu em FLN e agora se reelegeu novamente, pode? não tem jurisprudência sobre isto? o advogado Sagaz do PP não conhece nehuma brecha na lei? será que não há como montar um processo, um "morimbundinho" contra o DEB? A população não corre o risco de repente, de ele se mudar para Biguaçu por ex. e se eleger novamente? veja o risco, de no Atântico Sul termos um triângulo de asfalto e tapete preto e um homem/prefeito itinerante por cidades e cidades....

Anônimo disse...

Quanta maldade no coração !!!
Devem ser os mesmos invejosos que acham que as revistas da Metrópole tinham algo a ver com publicidade eleitoral ! São os que não conseguem ver que a Metrópole e a Márgara eram apenas instrumentos para o povo assimilar a idéia da descentralização !
Gozado, pelo visto agora o nosso Luiz 15 vai descentralizar em Florianópolis ! Aliás, descentralização parece que ficou "demodée" depois da derrota na terra do Luiz !
Na foto, o JBN demonstra preocupação por que vai acabar sendo o Vanildo daqui ! O herdeiro da trolha do Dário fica responsável perante o Tribunal de Contas !!!
Bem feito !

Anônimo disse...

gostei deste apelido pro prefeito itinerante: "moribundinho deb"

Anônimo disse...

JBN que se informe direitinho sobre a legislação do Tribunal de Contas e a Lei de Responsabilidade Fiscal. De repente não terá patrimônio pra ressarcir ao Erário os milhões que sempre caem nas costas do último administrador de um mandato. Aí eu pergunto: ele fuma? Se fuma, a gente leva cigarrinho pra ele ali na Agronômica, rss rsss...

LesPaul disse...

RESCALDO DE CAMPANHA:

Enquanto isso, na fila do Ticen:
- deu positivo, Gisneide!
-Tás brincando, guria. Quem é o pai?
- Não tô não. É aquele lá do comitê, é aquele que me deu umas carona na campanha... quando ficava até tarde dobrando jornalzinho e panfleto... ajudando com as bandeira, sabis?!
-e daí... como foi..
- ahnn um dia rolou uma gelada ali na cabeceira da Ponte,lembra qui ti contei. Altos visual, eu nunca tinha ido ali no bréqui. Me pagou um 'x galinha' ... chuvinha caindo e rolando aquela música do Vitor e Léo que a genti gosta, sabis...Demu uns amassos apertado no Cheveti que esqueci o Lourisvaldo e ...
- e agora?
- amanhã vô procura ele lá na secretaria que ele disse que trabalha... quero cavar umna boquinha né?! mas o celular tá dando fora da área desde o resultado na televisão... e não pude nem contar ainda que as regra não desceram... sabê se ele já troco o Cheveti pelo Monza do cunhado, ele é cassado tu sabis... quero dá o nome se for menino de Luiz... Luizário... bonito né?! Vou procura ele amanhã se o celular não atender de novo...

Anônimo disse...

A Gisneide do diálogo do Lespaul é a população de Florianópolis !
Ela pode ir cobrar ali onde foi a festa de domingo, pois agora a prefeitura é alí !
É a descentraliza$$ão que chegou a Florianópolis para eleger o senador !

Anônimo disse...

César, vc já notou que é só botar uma foto do LHS com aquele sorrisinho dentuço dele, que dá um IBOPE danado?? A turma não se aguenta em fazer comentários. O amor é lindo, nénão?? rsss