quarta-feira, 1 de outubro de 2008

JOVENS CIDADÃOS

Nunca é cedo demais para começar a fiscalizar os políticos e criticar a desavergonhada mistura do público (nosso dinheiro, dos nossos impostos) com o privado.

Alunos do colégio Aderbal Ramos da Silva, no Estreito (em Florianópolis), gravaram em vídeo, com seus celulares, a coordenadora do estabelecimento (empreguinho público, portanto), distribuindo material de campanha de seu filhinho, o vereador e candidato à reeleição Gean Loureiro (PMDB). Dentro do colégio.

O vídeo está no Cangablog, aqui.

O Gean Loureiro, por falar nisso, está com o processo de cassação por infidelidade engavetado no TRE. E isto mostra que, quando quer, o TRE também pode ser uma verdadeira mãe.

6 comentários:

Anônimo disse...

Logicamente a Coordenadora, que por acaso é mãe do Gean, foi escolhida para o cargo por sua vocação intrínseca para a função e por ter concorrido democraticamente em concurso público. Não posso acreditar que tenha havido alguma forma de apadrinhamento.
A progenitora do vereador está somente cuidando do futuro do filho, mostrando e distribuindo fotos de quando ele era pequeno e andava de velocípede. A maledicência e as más intenções dos alunos, provavelmente revoltados pelas más notas colhidas nas provas, foram as bases que motivaram o flagrante.
E mais, o Gean só mudou de partido porque no que estava tinha más companhias. No atual é tudo gente de família.
Eu acredito!
Ass. Velhinha de Taubaté

Anônimo disse...

Tio César,

Todos os eleitores do Gean, que forem maçons, deveriam ler a nota divulgada pelas 3 Potências de SC e reverem, tanto seus votos, como seus apoios!
Vamos dar eco ao manifesto!

Anônimo disse...

é flagrante de crime eleitoral, dos graves,cuja pena prevista é a cassação do registro da candidatura.

Anônimo disse...

Realmente quem é ligado a família t"tão ilustre" e que se sinta ameaçado pelo poder do Gean, pode dar crédito a uma coisa tão sem verdades como essas e com tantos fatos forjados. Isso sim é uma vergonha! Bem dizem que o último invejoso não morreu.

Se essa for a única maneira de aparecer, então cresça!

Anônimo disse...

Qual é a necessidade de precaução?
Baseada em que? Na covardia? Ou na falta de verdade?

Maria Fernanda disse...

Recomendo que o Sr. César reveja o tal video e reescreva esta matéria. Se não se deixar levar pelo texto tendencioso do blog que publicou este material, verá que a senhora filmada não está em sala de aula e que o material que ela entrega à pedidos da pessoa com voz de homem feito e que claramente não é aluno de escola secundária, está dentro de sua bolsa pessoal. Qual é o crime que ela comete? Crime é expor a imagem de uma pessoa levando à crer que a mesma está comentendo uma infração.
Esta notícia, da maneira em que foi escrita, coloca em descrédito todas as demais deste blog.