sábado, 4 de outubro de 2008

FAÇAM SEU JOGO, SENHORES...

Sou de um tempo em que se dizia, a respeito de tudo o que era imponderável, que “de barriga de mulher, cabeça de juiz e urna eleitoral, não se sabe o que sairá”. Aos poucos, o progresso científico está tratando de colocar esse ditado em desuso.

O ultra-som vulgarizou a identificação do sexo dos anjos e hoje ninguém mais precisa hesitar na hora de decidir sobre a cor do enxoval. E as pesquisas eleitorais, cada vez mais instantâneas, sofisticadas e freqüentes, estão tentando fazer a mesma coisa, pretendendo adivinhar o que iremos dizer na cabine indevassável do voto secreto.

Restam ainda as surpresas que os juízes têm-nos reservado. Mas é claro que tem gente trabalhando para que também aí a surpresa fique, pelo menos, sob controle. Há um certo número de juízes e desembargadores que estão sendo processados (alguns até foram presos), por venda de sentenças. Mas, felizmente, a maioria ainda resiste e interpreta as leis (escritas muitas vezes canhestramente por legisladores mal intencionados ou mal informados) conforme seu melhor arbítrio.

Hoje, entretanto, o que nos interessa é comentar um pouquinho sobre a surpresa que a apuração dos votos poderá revelar. Como não se pode chamar de surpresa a diferença de alguns pontos entre o que as pesquisas apontam e o que a urna revela, o que seria, a meu ver, surpresa em Florianópolis?

1. O candidato preferido (Dário Berger, PMDB) ter menos de 25% dos votos;

2. O candidato preferido (Dário Berger, PMDB) ter mais de 35% dos votos;

3. O candidato Esperidião Amin (PP) não ir para o segundo turno;

4. O candidato Esperidião Amin (PP) ter mais de 25% dos votos;

5. No caso do Amin não ficar em segundo lugar, as hipóteses “normais” seriam a Ângela ou o Cesar Jr. Não será surpresa, neste caso, se um ou outro passar ao segundo turno. Surpresa será se o candidato do PT, Nildão, ocupar o segundo lugar.

6. Outra surpresa, mas aí não relacionada diretamente com a urna eleitoral (entra mais naquela história da cabeça do juiz), será se as denúncias por “uso da máquina” não forem aceitas ou derem em nada.

Imagino que vocês tenham suas próprias listas de surpresas (e sustos). Mas acho que a grande surpresa, aquela com que todos sonhamos, seria descobrir que ninguém vendeu seu voto, ninguém aceitou a pressão para trocar seu voto por favores e todos votaram orgulhosos de seu poder, da forma que bem lhes deu na telha. Nesse dia, os grandes surpreendidos seriam aqueles que ainda tentam, das maneiras mais torpes, manipular os eleitores e controlar o resultado das eleições. Pois é, sonhar ainda não paga imposto, mas sonha rápido porque parece que tem uma comissão, na Receita Federal, estudando uma medida provisória nesse sentido.

Bom final de tarde e bom domingo.

4 comentários:

Anônimo disse...

César, olha a notícia que saiu no Blog do Cláudio Prisco (ah, para quem não sabe o candidato preso foi o Djalma Berger).

Sexta-feira, 03 de outubro de 2008
Silêncio intrigante

Candidato a prefeito de um município da Grande Florianópolis, chegou a ficar detido por duas horas, na semana passada, por conta de café colonial oferecido a eleitoras da terceira idade. O banquete foi flagrado pelo Ministério Público Eleitoral.

Estranhamente, nada transpirou!

Cesar disse...

Cesar,

Sobre pesquisa, assistindo ao JN, da globo, hoje (4/10), percebi duas coisas interessantes para serem comparadas com as pesquisas aqui de SC - Blu, Joi e Capital. Eram pesquisas de intenção de voto para quase todas as capitais. 1: a margem de erro do Ibope e sempre 50% ou 100% maior do que a do DataFolha; 2. o percentual de indecisos e de não sabe/não respondeu, em nenhuma cidade, foi maior do que 8% 4% + 4%. Aqui, temos 14% na Capital; 13,2% em Blu e 15,2% em Joi. É mole ou quer mais?

Abs

Cesar Laus

PS. Como não sei se estás acordado, vou mandar pro Damião tbém. Abs

Cesar Laus

Ilton disse...

Por via das dúvidas, ainda é bom desconfiar do que possa sair da cabeça de um juiz. É mais seguro! Um abraço e boas eleições. Que os seus candidatos sejam eleitos.

Anônimo disse...

Tirando os carecas, o que mais sai da cabeça de um juiz são cabelos.
Strix.