sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

VIDA DURA

Enquanto que para alguns servidores públicos o verão é uma estação benigna e generosa, cheia de folgas, sol, mar e água fresca, para outros é uma espécie de inferno astral.

A turma da segurança pública, por exemplo, anda muito preocupada. Vão se reunir na terça-feira pra decidir os próximos movimentos, na queda de braço que jogam com o governo do estado.

O deputado sargento Soares fez um pronunciamento dramático, ontem:
“Esse vai ser o natal mais amargo da minha vida e de muitos servidores da segurança pública. Não quero nenhuma comemoração de final de ano se não tiver negociação com o governo”.
E o problema, pra todos nós, é que a situação da segurança, como um todo, não tem solução a curto prazo. Se a polícia trabalha direito e prende mais gente, não tem onde por o preso. Se sair algum caraminguá pros praças, as viaturas continuam paradas por falta de manutenção ou de combustível. No verão, deixa-se cidades inteiras praticamente sem polícia, para reforçar os batalhões do litoral.

Tão sempre tirando a roupa de um santo pra vestir outro.

Um comentário:

Strix disse...

O LHS não vai trazer "puliças" argentinos, paraguayos e do Uruguai prá ajudar?
Strix.