quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

RÓTULO SOBRE RÓTULO

Cheguei do supermercado e estava guardando as compras na geladeira, quando um detalhe me chamou a atenção. Num dos queijos estava claro que o rótulo da validade, do peso e do preço, tinha sido colado sobre outro e sobre outro. Tinha três camadas (é esse da foto ao lado, que custou R$ 7,03).

Fiquei intrigado. Então é assim que funciona? Quando termina a validade, se o queijo não foi vendido, é só colar outra etiqueta em cima, “atualizando” o produto? Uau!

Aí, como sou mesmo um sujeito desocupado, resolvi olhar os rótulos dos outros queijos e vi que todos os que comprei naquele dia (sim, sim, gosto muito de queijo), tinham vestígios de rótulos anteriores. Rótulo sobre rótulo parece ser uma coisa corriqueira.

Num deles, consegui descolar a etiqueta de cima e a debaixo ainda estava lá. Mostrando que fora embalado em 19 de novembro (fiz as compras no sábado, dia 15 de dezembro). Mas nada impede que o queijo estivesse ali desde janeiro, só trocando as etiquetas de mês em mês.

O carimbo do serviço de inspeção estadual diz “reinspecionado”. Será que isso quer dizer que sempre que vence a validade eles vão ali, dão uma reinspecionada no produto e, se não estiver cheirando mal, autorizam a colocar nova etiqueta? Nem vou tentar ligar pra lá: tenho medo do que posso descobrir.

Pra não correr ainda mais riscos, abri um vinho, coloquei um filme e tratei de comer os queijos o quanto antes.

17 comentários:

Leandro Damasio disse...

Uma vez aconteceu o mesmo comigo na compra de um pacote de biscoito, mas não havia nada de "reinspecionado". Voltei ao supermercado e ganhei outro pacote. Será que essa prática também é comum? Valeria uma ótima reportagem...

Fernando MS - Pulga disse...

E se fosse no mercadinho da esquina... ainda vai...
olha que é um grupo grande hein...
Absurdo!
O certo é a gente colocar a boca no trombone mesmo!
Acho que irei escrever algo a respeito lá no CronicaNet também...
Fiquei indignado com isso...
http://blog.cronicanet.com.br

Ana Elisa disse...

Comigo isso aconteceu no Angeloni com o pão Tabrulai de aipim e com yogurte. O Angeloni que não pense que somos apenas "gente chata reclamando"...Uma hora o Ministério Público pode mostrar que se paga caro por esse tipo de atitude!!

Anônimo disse...

Também aconteceu comigo no Angeloni da Beira-Mar, com o pão em fatia e bebida láctea LIGHT.

Anônimo disse...

Aguardamos ansiosos a manifestação do Angeloni. Já passei mal por causa de um iogurte, comprado no Comper, que ainda tinha uma semana de validade. A Batavo me comunicou que provavelmente o supermercado costuma economizar luz à noite. I Pode?

jânio disse...

A conseqüência mais comum, no caso do queijo com validade vencida é, pela fermentação, destruir a flora intestinal. Resultado, diarréia e desidratação. Aquele negócio de dar cólicas, sudorese fria e intensa, diarréia profusa, às vezes vômitos, passar horas e horas tal qual rei: sentado no trono e, com perdão da má palavra, cagando igual a pato: só de cuspidela em cuspidela. Se por acaso isso acontecer com você -e não é praga, veja bem- lembre-se do PROCON, da Vigilância Sanitária e até de fazer um B.O. na delegacia mais próxima. Mas não se omita!

Anônimo disse...

No Brasil tudo é assim. As leis existem mas como não existe fiscalização, ninguém respeita. Quando existe fiscalização, o suborno corre solto.
Este Supermercado que vc com´prou o queijo é campeão neste tipo de atitude. Os fiscais da vigilância sanitaria devem ter um bom Natal para "não fiscalizarem nesta época de muito movimento" em que tudo passa despercebido.

Anônimo disse...

Será que o vinho que você tomou não sofreu a comum adição de álcool metílico, para compensar a a baixa qualidade da uva ? Álcool metílico causa derrame e cegueira.

E o leite de caixinha, quantas vezes foi reembalado? Qual o número pequeno que constava do fundo da embalagem ?

E o frango, sofreu a clássica injeção de água misturada com proteína liquidificada de suíno, para aumentar o peso?

E a carne, contém os príons da vaca louca, que muito provavelmente estavam naquele lote de 470 vacas importadas da Alemanha nos anos 90, com os sintomas da doença fatal, que não puderam ser conferidos como queria o Ministério da Agricultura, porque isto importaria no sacrifício dos animais evitado pelos criadores. Existe grande probabilidade de os sintomas de Alzheimer tão frequentes sejam na verdade sintomas da vaca louca, muito parecidos

MULTIFÁRIO

Fernanda disse...

Querem ver como é o "jeito Angeloni de ser"? Preferem deixar as frutas-do-conde APODRECEREM do que baixar aquele preço absurdo. Vc pagaria 4 reais por UMA FRUTA PODRE?? Pois eles querem que eu pague. Aqui, ó !

Paulo Penna disse...

Fazem uns 2 meses eu comprei uma caixa de leite TIROL longa vida desnatado no Angeloni da beira mar e uma semana depois um pacotinho começou a inchar. Como não percebi, só fui ver a cáca quando o cheiro tomou conta do ambiente. Fiquei P. da vida por ter jogado a nota de compra no lixo e não ter podido levar aquela coisa mal cheirosa pra eles!

Anônimo disse...

Comigo já aconteceu 2 vezes com o pão fatiado Thabrulai. A data não tinha vencido mas o pão mofou. Pensei que a culpa era do fabricante.

Anônimo disse...

Não concordo com os comentários. Sou cliente Angeloni há anos e nunca tive problemas. Penso que deve ter sido um erro pontual e que certamente irão verificar os processos.

Strix disse...

O "anônimo" (Dezembro 20,2007 10:30 AM) certamente numca conferiu as embalagens do que comprou, ou, talvez, ache uma baita caganeira coisa normal.
Não demora muito e encontraremos nas gôndolas papel higiênico com prazo de validade vencido, ou de segunda-mão.
Strix.

Balnica disse...

Isso (de colocar etiqueta sobre etiqueta, ocultando a data de validade vencida) acontece bastante. É só prestar atenção. E outra coisa: espia os termômetros dos balcões refrigerados. Estão sempre abaixo da temperatura indicada nas embalagens dos produtos que eles comportam.

Anônimo disse...

Adorei o comentário do STRIX...tinha pensado a mesma coisa!

Anna Maria disse...

Tô com a Fernanda, acho um absurdo a fruta conde estar se estragando por aquele preço lá. Por que não baixam, então?

Mauricio disse...

Cesar.

Se, com os produtos que estão à disposição dos clientes (e da fiscalização) nas gôndolas, eles já agem com essa despreocupação em relação a qualidade, imagine qual deve ser o estado dos produtos utilizados como matéria prima na fabricação de pães, bolos e refeições, na padaria e na rotisserie do supermercado.

Feliz Natal (se der)!