terça-feira, 18 de setembro de 2007

SANTA CATARINA E A FALTA D’ÁGUA

O gráfico acima (que agora é chamado de “infográfico”) foi distribuído ontem pela Agência Brasil, a agência oficial de notícias do governo federal. Mostra como está a situação de abastecimento de água. No total, o país tinha, em 2006, 83,2% dos seus domicílios atendidos pela rede geral de abastecimento. Em 2005 eram 82,3%.

O que me chamou a atenção foi o fato de que, no Sul maravilha e no Sudeste ensolarado, um pequeno estado destoa. Enquanto a maioria dos estados dessas regiões está com apenas 10 a 20% dos domicílios sem água (e São Paulo tem menos de 10%), em Santa Catarina, ora vejam só, 20 a 30% das casas não tem água tratada. É o mesmo índice do Piauí, da Bahia, de Tocantins, do Ceará...

[Como em toda ilustração deste blog, é só clicar sobre ela que se abre uma ampliação]

Um comentário:

Silmar Neckel disse...

Não tire conclusões precipitadas meu caro César. Você é urbano, nasceu e viveu "toda.a.vida" em centros urbanos. Sou do interior, área rural de um município do interior. Grão Pará, mais precisamente. Vim para Florianópolis estudar e meu condomínio não utiliza água tratada. Temos uma fonte aqui dentro. Meus pais estão ainda lá na roça e não trocam, por qualquer dinheiro do mundo, a água canalizada direto da nascente, "na grota", do meio do mato. É água mineiral que custa R$2,00/L nos mercados por aqui.
Pelo perfil de SC, garantido que desses 20 ou 30% sem água tratada, pelo menos 80% nem querem a água clorada da casan ou das Samaes por aí a fora.
Essa pesquisa não representa nada. A fundação teve a infeliz conclusão de que água em casa significa ser cliente da casan, ou Samae, ou outra empresa exploradora. O que não é verdade.

Abraços

Silmar Neckel