sábado, 29 de setembro de 2007

MONOPÓLIO?

O tema “monopólio dos meios de comunicação” tem sido muito mencionado, nos últimos dias. O Bispo Macedo, ao inaugurar, com a presença de Lula, seu canal noticioso de TV (Record Notícias), usou metáforas de boxe para dizer que vai socar o fígado da Globo até que ela despenque na lona.

E na Assembléia Legislativa, um seminário, na quinta-feira, reunindo pouca gente, pretendia discutir as concessões de rádio e TV. De manhã, por telefone, o procurador da República Celso Três, informou alguns detalhes da ação civil pública que ele e o colega de Itajaí pretendem impetrar contra a RBS, justamente questionando a concentração de propriedade.

Combater o monopólio não será tarefa simples, fácil ou rápida. Basta ver que à noite, na mesma quinta, na mesma Assembléia Legislativa, a RBS era homenageada. Por iniciativa da deputada Ana Paula Lima (PT) a casa reverenciou os 50 anos de existência do grupo. LHS, Pavan, deputados de todos os partidos estavam lá, louvando “a solidariedade e a responsabilidade social sempre inerentes às ações da empresa”.

E tanto no seminário onde se criticou o monopólio, quanto na sessão onde ele foi homenageado, foram citados os mesmos números, que falam por si só: 18 emissoras de TV aberta, três canais para TV a cabo, 26 emissoras de rádio, oito jornais, dois portais e mais de 80 sites de internet, “entre outras empresas e serviços”.

3 comentários:

Anônimo disse...

COM OS OUTROS NÃO ME SURPREENDO, AGORA COM O PT... QUEM TE VIU E QUEM TE VÊ.

Ilton Dellandréa disse...

E o monopólio da tevê a cabo? A ANATEL aprovou a fusão DirecTV-Sky, porque, "além de implicar a eliminação de um concorrente, resultará, para o Brasil, numa empresa detentora de mais de 97% do Mercado de Provimento de TV por Assinatura na plataforma DTH". Está lá, no site da Anatel, em http://www.anatel.gov.br/Portal/documentos/biblioteca/releases/2005/release_18_11_2005rl1.pdf?numeroPublicacao=115066&assuntoPublicacao=Anatel%20dá%20anuência%20prévia%20à%20fusão%20Sky/DirecTV%20%20&caminhoRel=Cidadao.

Anônimo disse...

Mais. O parecer que aprovou a fusão aponta "como efeitos positivos, Agência observa que a fusão da Sky e da DirecTV poderá reduzir os custos de transação e ampliar as economias de escala e de escopo das prestadoras envolvidas, além de melhorar a qualidade dos serviços e incrementar a concorrência" (???). Ampliar a concorrência contra o quem detém 97% do mercado parece uma luta inglória, não é? Um abraço.
Ilton