terça-feira, 6 de novembro de 2007

TRECHINHO

Só pra relembrar a história, transcrevo o trechinho do relatório onde a delegada resume as principais ramificações da “quadrilha” e dá nome aos bois:
“Conforme constou no início do Auto Circunstanciado datado de 19 de abril de 2007, a análise do material de áudio coletado evidenciou a existência de uma verdadeira quadrilha dedicada à prática de crimes ambientais e crimes contra a Administração Pública, com ramificações:

a) No órgão de fiscalização ambiental do Estado de Santa Catarina (FATMA) – onde atuou como Gerente de Licenciamento da Grande Florianópolis ANDRÉ LUIZ DADAM, o qual, mesmo após seu desligamento da FATMA para disputar o cargo de Deputado Estadual nas eleições de 2006, continuou gestionando junto à FATMA em favor de terceiros.

b) Na FLORAM, contando sempre com a participação de MARCELO VIEIRA NASCIMENTO, técnico para quem determinados processos eram propositalmente redirecionados, a requerimento do interessado, e com a também decisiva participação do Superintendente do órgão, FRANCISCO RZATKI, conhecido como CHICÃO, o qual chegava a prometer expressamente a não-atuação da FLORAM diante do cometimento de infração ambiental que viria a ser formalmente acobertada por autorização ideologicamente falsa, sendo de se destacar, ainda, a participação de EDELBERTH ADAM, o qual, via de regra, distribuía os processos da HABITASUL para MARCELO VIEIRA NASCIMENTO, que já foi funcionário daquela empresa.

c) Na SUSP, Secretaria de Urbanismo e Serviços Públicos – órgão comandado por RENATO JOCELI DE SOUZA, Secretário Municipal e cunhado de JUAREZ SILVEIRA, o qual, juntamente com RUBENS BAZZO, demonstrou agir em suas atividades com vistas à satisfação de interesses pessoais próprios ou de terceiros, cabendo que se destaque que RENATO JOCELI demonstrou buscar interferir até mesmo em processos administrativos em trâmite na FLORAM, assim como o fez JUAREZ SILVEIRA. RUBENS BAZZO, por sua vez, demonstrou intensa atuação no ramo privado, em favor de empreendedores que sujeitam seus projetos à aprovação dele próprio, RUBENS BAZZO, o qual evidenciou valer-se, ainda, da atuação de seu filho, RODRIGO BLEYER BAZZO, para quem encaminhava “clientes”, com tarefas por ele preordenadas. RUBENS BAZZO, registre-se, figura como FUNCIONÁRIO ASSALARIADO da HABITASUL, empresa que tem projetos submetidos à análise do próprio BAZZO na SUSP (como se depreende dos processos apreendidos na SUSP – Itens 38, 40 e 41 da Apreensão formalizada pela Equipe 3). Registre-se que, de acordo com as declarações do próprio RENATO JOCELI DE SOUZA, “sua indicação para o cargo de Secretário foi política, porque seu cunhado JUAREZ SILVEIRA é vereador, eleito pelo PTB, o qual apoiou a coligação que foi vencedora na cidade”;

d) No IPUF, órgão de planejamento urbano de Florianópolis, relativamente ao qual o próprio JUAREZ SILVEIRA reconhece ter levado diversos empreendedores.

e) Na Câmara de Vereadores foi constatada a atuação de JUAREZ SILVEIRA como protagonista de diversas negociações – envolvendo desde alterações do plano diretor municipal até sua atuação junto a órgãos até sua atuação junto a órgãos da Administração Pública Municipal (SUSP, FLORAM e IPUF), sempre com vistas a favorecer empreendedores. Também foi constatada a atuação do então Presidente da Câmara Municipal de Florianópolis, Vereador MARCÍLIO GUILHERME ÁVILA, em ver aprovado o empreendimento SHOPPING FLORIANÓPOLIS, atuando como verdadeiro procurador de fato do empreendedor.”
[Por causa do espaço limitado no jornal, o texto acima ficou de fora da versão impressa]

Um comentário:

jânio disse...

Sei que Floripa não é muito chegada em pizza (aquela de massa)o que faz sentido. Mas uma ostrinha ao vinagrete e uma casquinha de siri, no deck da piscina, ao por-do-sol vai bem, não vai?