sábado, 10 de novembro de 2007

SEM REMÉDIO

Os médicos reuniram-se numa cooperativa (Unimed) e criaram um plano de saúde que, teoricamente, deveria ser do jeito que eles acham que deve ser. Em alguns estados, como Santa Catarina, a cooperativa dos médicos foi aos poucos enfraquecendo os demais planos, até obter uma situação das mais confortáveis: um virtual monopólio.

Confortável até porque a Unimed não pode, a rigor, ser acusada de “monopólio”: existem outros planos de saúde. Mas, na prática, ai daquele que tentar utilizar outro plano. Vai encontrar uma rede credenciada mínima.

Senti na pele, na carne e nos nervos esta situação, quando trabalhava em Brasília e São Paulo, tinha plano de saúde que funcionava nesses lugares, me assegurava consultas com os melhores especialistas e internação nos melhores hospitais, mas, aqui, onde estava minha família, nada de nada. Tinha que pagar particular e depois pedir reembolso, que nem sempre é integral.

Aí, quando voltei para Florianópolis, tratei de seguir a prescrição e comprei um plano Unimed. Não adianta dar murro em ponta de faca. Certo? Hum...

Pois agora os médicos e a Unimed estão de birra e não se consegue mais marcar consultas pelo convênio. Ah, claro, consegue, se topar marcar hoje uma horinha para março do ano que vem. Pra já, dali a algumas horas ou pro dia seguinte, só se for particular.

Não é o fim do mundo? Primeiro eles monopolizam o mercado. Depois, tratam de desmoralizar o plano que eles próprios criaram. E do qual, teoricamente, são donos (ou “cooperados”). E a gente, que paga uma banana para ter um plano de saúde que, na propaganda, é uma maravilha, fica se sentindo o próprio otário.

Ah, e antes que a bem montada estrutura de marketing e comunicação da Unimed me venha com “veja bem, não é bem assim” e “é um caso pontual”: não é caso pontual, são muitos médicos que fazem isso, já há algum tempo, e as reclamações anteriores encaminhadas à Unimed deram em nada.

6 comentários:

Anônimo disse...

Tio Cesar, tem mais um detalhe nessa máfia da unimed. O formulário de exames ficou enorme, mas o paciente só faz 4 exames. Quer dizer, no meu último check-up (é assim?) fiquei sem fazer exames que fazia anualmente. É mole? Polícia Federal, socorro!!!

Anônimo disse...

Vou contar uma histórinha. Pagamos quase 500 pila de Unimed (pelo o que parece é a mais completa), quando precisamos de algum exame mais complexo dizem que o nosso plano não cobre, pois foi assinado antes de uma resolução qualquer. Então, temos que pagar do próprio bolso. Ameacei um Dr. de colocar no Procon e procurar meus direitos, de pronto o exame que não cobria foi atendido. Digo mais, se for pra pagar 500 pila só para exame, vale mais apena colocar o diheiro na poupança, e o dia em que for para fazer exame pagar particular. Tem mais, os exames que eles não cobrem hoje, cobriam antigamente, o problema é que acrescentaram um nome após o nome original e dizem que o exame é diferente do que o plano cobre.
Joel

Schneider disse...

César. Tenho Unimed Litoral. Quando marco consulta digo que é particular e pronto. E é. Ou seja, se não é SUS é particular. Marco e na hora apresento a carteirinha da Unimed. Quando fazem cara feia, apenos falo em ANS...
Em matéria de plano de saúde, essas três letrinhas são mágicas.

jânio disse...

Anônimo, não tenho procuração para falar em nome de qualquer entidade, mas a requisição de exames é determinação da Anvisa, que padronizou esses "formulários". Todos os planos de saúde têm de obedecer a esses parâmetros.Cada requisição comporta o pedido de cinco (05) tipos de exames da mesma categoria (ex.: de análises clínicas, imagens, patologia, etc.)e o médico pode preencher quantas guias forem necessárias para exames ele achar procedentes para o quadro clínico. Concordo com você sobre o novo tipo de requisição, que é um porcaria. Mas a culpa disso não é das Unimeds. Um pouco de informação (aí na sua região a Unimed deve ter um 0800)às vêzes é bom. Além do que temos uma série de "máfias" a serem desmontadas. Fique de olho. É bem provável que no seu ramo haja uma...

Daniel disse...

Cesar, aproveitando o tema, queria lhe contar um causo com a Unimed.

Ano passado precisei fazer uma cirurgia e a unimed negou acomodação em quarto particular, mesmo eu tendo direito.

Tentei por tudo, até carta por escrito entregue em mãos e protocolada na unimed. Negaram.

Paguei a diferença exigida pela clinica e pelo médico (que não atendendem em enfermaria porque recebem muito pouco da Unimed) do meu bolso e entrei na justiça.

Em menos de 10 meses a ação foi julgada. Ganhei a causa. Mas ai vem o lado imbecil da justiça. Ou dos juizes.

Condenaram a Unimed apenas a devolver o valor que eu tive de pagar por uma coisa que era obrigação contratual deles cumprirem.

O juiz simplesmente negou o dano moral.

Ou seja, depois de condenada, a Unimed gastou o que já iria gastar desde o início se cumprisse o contrato. Eu, depois de ser reembolsado, ainda fiquei no prejuizo dos honorários do advogado.

Se vc não paga uma conta no prazo, tem a multa. O dano moral serve pra isso.

Aposto que se a unimed começasse a ter que pagar "multa" quanto não cumpre o contrato, esses absurdos não se repetiriam.

Anônimo disse...

Outro detalhe. Em uma recente conversa com um colega colaborador da Unimed Fpolis, fiquei sabendo que houve um reajuste de mais de 100% em novos serviços da cooperativa. Cheguei a comentar sobre a possível irregularidade num aumento desse montante, o que ele disse desconhecer - já que é uma empresa privada.

Amigos, solução mesmo, só destruindo esse daqui e começando tudo novamente.