quarta-feira, 14 de novembro de 2007

CAMINHÃO DA MUDANÇA

O governador LHS tem uma palestra que repete sempre que pode, comparando a descentralização às grandes invenções universais, que, em algum momento, foram menosprezadas ou ridicularizadas por seus contemporâneos.

Uma das frases que ele coloca na tela é atribuída a um dos irmãos Warner, que no auge do cinema mudo teria dito que ninguém se interessaria em ouvir a voz dos atores. Alguns anos depois, quase foi atropelado pelo sucesso estrondoso dos filmes falados.

Claro que é um pouco de exagero comparar a descentralização com coisas realmente inovadoras e relevantes para a humanidade, como alguns avanços tecnológicos. Mas que mexeu com Santa Catarina, lá isso mexeu.

Só que, para o governador ainda estar insistindo no mesmo discurso dos primeiros anos, é porque a coisa ainda não está completamente assimilada. E nem só por adversários e céticos em geral.

Aqui da planície, o que parece é que os inimigos e sabotadores da descentralização estão dentro do próprio governo. Não me refiro a eventuais críticos, que acabam ajudando a mostrar os problemas. Falo daqueles que, diante do LHS, dizem amém e muito bem, batem nas costas e elogiam. Depois tratam de fazer, de cada sesmaria, de cada capitania hereditária, um poço de ineficiência a serviço do mais puro clientelismo político, agindo como “coronéis do atraso medieval”.

LHS talvez nem queira saber, mas se ele quisesse saber, bastava colocar alguém pra ler o Diário Oficial com atenção, para ficar sabendo como andam as coisas. Na verdade foram descentralizadas as oportunidades. Oportunidade de fazer dispensa de licitação. De contratar. De acomodar afilhados. De incomodar adversários. Mas nada mudou.

4 comentários:

Alexandre Gonçalves disse...

Descentralização da saúde é uma prefeitura comprar/alugar uma casa em Florianópolis que serve de ponto de parada/base para ônibus e ambulâncias, que certamente trazem pessoas do município para atendimento na capital? Tem uma casa desse tipo, com placa na frente e tudo (algo como Casa de Fraiburgo), ali no José Mendes, na rua ao lado da Luz & Cia. Sempre com veículos públicos estacionados na porta.

Anônimo disse...

Cesar,

Sem nada haver com o post de hj, mais tudo haver com a semana, o ex-vereador Juarez está muito chateado por ser ex e não poder desfrutar das benesses do poder.

É que a Cartier lançou um relógio que está a venda em Sào Paulo na chique Hadock Lobo pela bagatela de R$ 107.000,00.

O ex-edil está em depressão por nào ter como pedir ao Paulo Cesar Santa Fé um mimo desse jaez.

Mesmo assim, seu poder de recuperação é enorme. Após perder sua frota de importados (confiscado pela Policia Federal)circula com uma camionete importada novinha em folha.

Anônimo disse...

Cesar,

O anonimo aí fui eu.

Pedro de Souza.

Anônimo disse...

Só um adendo ao comentário do Alexandre. Aqui no Saco dos Limões, bem na vila, também tem uma dessas casas de "passagem". Acho que se chama Casa do Oeste. Sempre tem ambulâncias estacionadas em frente e o trânsito de pacientes é constante. Pelo menos uma coisa me impressionou: outro dia, o deputado Herdeus de Nadal fazia uma visita...

Sds.
Felipe Rosa