sábado, 17 de novembro de 2007

INCHAÇO FEDERAL

O colega Paulo Alceu publicou em sua coluna de ontem, alguns dados assustadores sobre o crescimento dos gastos com pessoal federal, no Brasil. Nos seus oito anos, FHC permitiu que os gastos crescessem 100%. E nos seis anos já decorridos, Lula está mais ou menos no mesmo passo: a despesa já cresceu uns 70%. Está batendo nos R$ 122 bilhões. E de 1998 a 2007 a União contratou 241,3 mil servidores.

O companheiro Lula está convencido que precisa contratar ainda mais gente. Ele já falou claramente sobre isso. Parece aquelas prefeituras de municípios pequenos e pobres: se não tiver emprego na prefeitura, a turma não tem onde trabalhar.

O problema é que essa opção preferencial pelo aumento de servidores públicos está em direta oposição ao desejo, daqueles que têm atividades produtivas, de que os impostos sejam reduzidos.

A máquina pública poderia ser um eficiente auxiliar do desenvolvimento, se tivesse investimento nas áreas corretas. Inchar o funcionalismo, sem um plano de longo prazo, é o pior dos cenários. Acabará por drenar, apenas para os salários, tudo o que o governo conseguir arrecadar. Com conseqüências tristemente previsíveis.

3 comentários:

Carlos disse...

Cesar, esse negócio de inchasso da máquina pública federal só serve de mote para papo de boteco, regado a umas geladas. No mundo real, a situação é de penúria. Vá lá no IBAMA, no Hospital Universitário, Na Gerência do Patrimônio da União, na Advocacia-Geral da União, no INSS, na Defensoria Pública, e veja se está sobrando gente. O que temos é uma carência enorme de pessoal, falta de médicos, fiscais, e a população sente isso na pele cada vez que precisa de um serviço. As razões do aumento da despesa são outras, que não cabem neste espaço.

Carlos disse...

Cesar, INCHASSO foi cruel, desculpe a falha.

janio disse...

Já que não vai acabar, acho que a CPMF deveria ser aumentada para 0,40%. Os caras tão se matando aí por causa dessa mixaria...