sexta-feira, 25 de agosto de 2006

SEXTA

================================
Uma nota curta, publicada ontem no site do Grupo RBS (www.rbs.com.br) informava que tinha sido concluída a compra do jornal A Notícia, de Joinville. A partir de 21 de setembro a RBS assume a gestão do jornal, em mais um capítulo das implacáveis leis de mercado, que levam a uma concentração crescente da propriedade.

O futuro do jornal é uma incógnita, mas deve seguir o mesmo caminho do Jornal de Santa Catarina, adquirido pela RBS há alguns anos: transformar-se num veículo comunitário, local. Pela simples razão que, se continuar com circulação estadual, fará concorrência ao Diário Catarinense, principal jornal do grupo no estado.

Embora seja preocupante pelo que pode representar de estreitamento das opções de informação e redução de postos de trabalho, a compra nada tem de surpreendente.

No dia em que (na década de 70) o governo federal, com apoio do então governador Antônio Carlos Konder Reis, decidiu entregar a concessão da TV Catarinense, de Florianópolis, para o grupo gaúcho, preterindo o concorrente catarinense (do jornal O Estado), definiu-se o futuro da mídia impressa catarinense.

Ter a afiliada da TV Globo no estado significava, mais naquela época do que agora, ter uma fonte inesgotável de recursos, o virtual monopólio do mercado publicitário da mídia eletrônica. E com esse apoio, manter e fazer crescer jornais era muito mais fácil.

E para os jornais que não dispunham desse complemento, a vida foi ficando cada vez mais complicada. O jornal O Estado mergulhou numa crise sem fim. E mesmo assim José Matusalém Comelli, seu proprietário, nunca aceitou as propostas da RBS.

O jornal A Notícia conseguiu manter-se, até onde sei, como uma empresa rentável e bem administrada. Mesmo tendo sido frustradas algumas tentativas de conseguir uma concessão de TV em Joinville, o grupo de A Notícia ainda cresceu e fez o jornal crescer e modernizar-se. Mas era uma questão de tempo, porque Joinville é um polo econômico importante demais para que a RBS se conformasse em ficar de fora.

BORNHOLDT APOIA AMIN
Se este fosse um jornal sensacionalista, eu colocaria o título desta nota bem grandão, no alto da página. Só para que o leitor mais distraído pensasse que se trata do ex-secretário da fazenda Max Bornholdt. Claro, demitido pelo governo, poderia perfeitamente ter-se sentido desprestigiado pelo LHS e resolvido mudar de vida, abraçando-se a outro careca.

Mas não é bem assim. O apoio que Amin recebeu foi do prefeito de Mondaí, Valdemar Bornholdt. Que nem é do PMDB... mas é do PSDB! Ou seja, o Esperidião está levando a sério a história de “candidatura suprapartidária” e não perde oportunidade de dar sustos na supercoligação.

ESSE LULA...
Numa entrevista à Rádio Gaúcha, ontem, o candidato-presidente Lula colocou a culpa do lamaçal e da corrupção, no sistema político. Portanto, nada de ficar achando que a culpa é o nosso Delúbio, do Valerioduto, dos políticos corruptos, do pessoal ladrão que tem no governo:
“...o que aconteceu no Brasil não é problema de um partido político ou de uma pessoa. É um problema da estrutura de organização partidária do País, que está apodrecida”.
Foi exatamente isso que Lula disse, sem tirar nem por. E ele fez uma confissão surpreendente, conforme conta o site de notícias da RBS:
“Para Lula, não há nada mais humilhante do que político pedir dinheiro para campanha para empresários e esses, com medo de ‘algo acontecer’, se verem obrigados a doar recursos.”
O remédio para tudo isso, garante o candidato-presidente, é a reforma política. Aquela mesma, que ele disse que faria logo no começo do governo. E que agora está prometendo fazer no começo do novo período de governo.

Então tá, né? Dizer o quê?

PLUTÃO FOI REBAIXADO
A partir de agora o Sistema Solar tem oito planetas. Plutão, que desde 1930, quando foi descoberto, era considerado o nono planeta, foi reclassificado. E agora é oficialmente chamado de “planeta anão”. Parece brincadeira, mas é uma decisão seríssima da 26ª assembléia geral da União Astronômica Internacional (UAI?) reunida ontem em Praga. E o motivo é que Plutão ainda não definiu “as imediações de sua órbita”, ou coisa parecida.

PT ESTÁ ÓRFÃO
Levantamento feito pelo site Congresso em Foco mostra que os candidatos do PT ao governo só lideram em Sergipe, Piauí e Acre. Mas candidatos de outras legendas que apoiam Lula são líderes em oito estados. E outros quatro (RS, MT, PB e TO) não apóiam Lula, mas também não o atacam.

A conclusão do site é que, pra variar, Lula vai bem e terá provavelmente governadores amigos e amigáveis nos principais estados, mas o PT está tendo dificuldades para convencer o eleitor que merece o voto. Mais ou menos como aqui, onde Lula é o preferido do eleitor, mas Fritsch sofre e patina.

O SOLDADO SÍLVIO TEM PODER!
O personagem na foto à esquerda é o Soldado da Polícia Militar Sílvio Odair dos Santos. Cedido à Câmara de Vereadores de Florianópolis é visto com freqüência dirigindo o carro do prefeito Dário Berger. E ficou conhecido dos catarinenses quando participou do “debate” que a Câmara de Vereadores promoveu com os candidatos a governador.

Segundo a turma do Esperidião Amin o soldado Sílvio agiu como “segurança” do prefeito, tomando as dores do patrão e agredindo o fotógrafo da campanha de Amin. Segundo a turma do prefeito Dário, eles é que foram agredidos com ofensas verbais.

Mas, de qualquer forma, a partir daquele dia ficou-se sabendo que apesar de estar oficialmente à disposição da Câmara de Vereadores, o soldado Sílvio dá expediente mesmo é no gabinete do prefeito Dário.

Só que, além disso, desde abril, o soldado Sílvio é o representante da Polícia Militar no Conselho Estadual de Trânsito (Cetran, que é o órgão superior para questões relacionadas ao trânsito em Santa Catarina), onde recebe “jetons” que podem somar de R$ 2,5 mil a R$ 3 mil por mês, dependendo do número de sessões. O mandato de cada conselheiro é de dois anos.

Claro que tem tudo a ver colocar o motorista eventual do prefeito no Cetran, afinal deve ter familiaridade com as leis de trânsito. Mas alguns ex-conselheiros e outras pessoas preocupadas com o trânsito não conseguem explicar nem entender por que a Polícia Militar, que normalmente designava oficiais que tinham grande conhecimento da área, agora tenha preferido fazer-se representar pelo soldado Sílvio. Cuja formação e especialização em questões de trânsito não se conhece.

5 comentários:

Diogo disse...

Reintero meu pedido do post anterior.

Cesar disse...

Diogo: essas informações (sobre a situação financeira do AN) geralmente são guardadas a sete chaves em qualquer empresa. E quando existe uma negociação para venda, então, o sigilo aumenta. É claro que o comprador, que agora inicia uma auditoria nas contas do AN, vai conhecer em detalhe toda a situação. Mas aqui de fora, o que se sabe, é que o jornal estava muito bem. Saudável. E não estava à venda nem à procura de investidores. Mas se eu souber de mais alguma informação é claro que conto pra vocês.

Anônimo disse...

Eles conseguiram o que queriam desde o começo: Monopolizar o mercado de jornais em Santa Catarina quem será o próximo a abrir o bico e embolsar a grana deles?
Gilberto Gonçalves

Cristina disse...

triste noticia

eh claro que sigo acompanhando a coluna. Uma leitura semanal. Esteve meio matada no ultimo mes devido aos tumultos familiares mas sempre que posso venho para o professor assinar a caderneta :)

Dou risada dos teus progressos no photoshop. Risada no bom sentido.
Beijo

Anônimo disse...

Sobre a nota "BORNHOLDT APOIA AMIN", pode preparar a tal matéria, meu caro!