quinta-feira, 24 de agosto de 2006

QUINTA

EDIÇÃO EXTRA (atualizado às 10h) – O último grande jornal catarinense de circulação estadual, A Notícia, foi vendido para o grupo RBS. A venda foi acertada ontem à noite, depois de reuniões que duraram o dia inteiro. Hoje Moacir Thomazi reúne a diretoria para comunicar os detalhes da venda e preparar o anúncio, que será feito na segunda-feira. O valor pelo qual foi feita a venda se torna irrelevante diante da importância e da gravidade do fato em si. Com esta aquisição a RBS passa a ter uma situação privilegiada na comunicação de massa no estado, ao penetrar de forma espetacular no último reduto de resistência que era Joinville, onde dominava o bravo, competente e corajoso A Notícia. Com isso cresce a importância de jornais independentes que são líderes regionais, como o DIARINHO, para que o público tenha acesso a uma fonte alternativa de informação.

==========================================

MILTINHO CUNHA
ACUSADO DE PLÁGIO


O colunista Miltinho Cunha, do jornal O Estado, de Florianópolis, ficou repentinamente famoso no país todo. Várias notas de suas colunas, ao longo de um ano, que ele assinava como dele, eram cópias literais de notas de um dos blogs mais conhecidos e visitados da internet brasileira, o “Querido Leitor”, da jornalista Rosana Hermann.

Na segunda-feira ela ficou sabendo disso e botou a boca no mundo contra esse “plagiador catarinense”. Ela é uma jornalista muito conhecida no eixo Rio-São Paulo, redatora do programa Pânico na TV, entre outras atividades multimídias e a denúncia que ela fez espalhou-se como fogo em palha seca.

Miltinho se defende dizendo que uma de suas colaboradoras é que teria copiado os textos da Rosana e encaminhado para ele sem avisá-lo. E ele teria, então, publicado de boa fé, imaginando tratar-se de material original dessa sua colaboradora.

Situação complicada, porque numa coluna assinada se supõe que a responsabilidade pelo conteúdo seja do autor. E quando ocorre uma situação evidente de plágio, transferir a responsabilidade para uma ghost-writer cuja identidade está sendo preservada pelo Miltinho, não alivia em nada a situação.

NO VENTILADOR
Além do nome do Miltinho ter circulado por inúmeros blogs pessoais, ele entrou na roda também em dois prestigiados sites acessados por profissionais da comunicação.

No Blue Bus, especializado em notícias sobre o mercado publicitário, na manhã de ontem, se informava que o blog de Rosana Hermann “vem sendo copiado desavergonhadamente por Cunha” e que ela irá processá-lo.

E o Comunique-se, também muito visitado e que trata de jornalismo e assessoria de imprensa, publicou uma matéria com todo o caso, ouvindo inclusive o Miltinho, sob o título “Colunista plagia textos de Rosana Hermann”.

Nos blogs, que são páginas pessoais onde os leitores podem escrever comentários, o clima é de indignação com a cópia continuada dos textos da Rosana. E não foram copiados apenas textos informativos, mas também comentários pessoais, visões particulares sobre religião, questões pessoais e sentimentos, reproduzidos mantendo a primeira pessoa, mas sem identificar a autoria que, no jornal, seria, para todos os efeitos, do Miltinho Cunha.

E, é claro, muitos tratam de baixar o nível, promovendo uma verdadeira “farra do Miltinho”, ofendendo-o de forma despropositada e desproporcional.

PLÁGIO NA INTERNET
Tem muita gente que acha que tudo o que está na Internet é de domínio público e que não tem nada demais copiar o que lá está. Deve ter sido isso que pensou a “colaboradora” do Miltinho, que em vez de ajudá-lo, colocou-o numa situação que ele mesmo classifica de “galinha depenada”.

Assim como é fácil copiar o que está na rede, é fácil localizar o que foi copiado. Ferramentas como o Google permitem que a gente encontre onde nossas frases e notas foram usados. Mas, em todo caso, é um roubo como outro qualquer e não deve, como os demais, ficar impune. Mesmo porque a próxima vítima pode ser qualquer um de nós.

====================================

FUGA PARA CUBA
O candidato da governador da Frente de Esquerda, João Fachini (do PSOL, o partido da Heloísa Helena) não está em Santa Catarina. Está em... Cuba.

Ora, que diabos estaria um candidato a governador fazendo em Cuba em plena campanha eleitoral, a menos de um mês das eleições? Será que foi lá se candidatar à vaga de Fidel Castro? Ou buscar algumas garrafas de uísque, como os petistas fizeram algum tempo atrás?

Que nada, os motivos do Fachini para estar em Cuba são bem menos misteriosos e políticos do que possam parecer. Na verdade, ele foi cumprir uma tarefa familiar, paterna: foi assistir à formatura da filha. Ela estudou medicina em Cuba, está se formando e a solenidade foi esta semana. E o papai-coruja Fachini largou a campanha e se mandou pra Cuba onde, orgulhoso e emocionado, foi assistir a formatura da filha. Mais vale uma festa em Cuba do que uma campanha difícil aqui.

PFL PEDE A CABEÇA DE SÉRGIO GODINHO
O PFL estava prometendo, desde o dia em que o deputado Godinho disse, na tribuna, que Raimundo Colombo foi comprado por R$ 5 milhões, pedir a cassação do mandato do deputado.
Pois ontem à tarde a representação deu entrada na Secretaria Geral da Assembléia Legislativa. Deve ser encaminhada à Comissão de Ética, para receber a tramitação normal e chegar ao plenário, onde se decidirá pela cassação ou não do deputado falador.

A principal questão é se a Assembléia conseguirá fazer o processo andar a tempo de chegar a uma decisão antes do final do ano. Imagina-se, que, com o presidente da Casa sendo do PFL, a coisa ande. Mas os demais partidos podem não querer mexer nisso antes da próxima legislatura.

Em todo caso, o jogo está feito e o PFL busca reparação dos danos causados pela “acusação infundada, falsa e irresponsável” contra Colombo.

SC: PORTO SEGURO
Na nova ação que a Justiça Federal está instaurando contra a Daslu, por fraude na importação de bens de luxo, aparece a Columbia Trading SA, que tem “regime especial de ICMS concedido pela Secretaria da Fazenda de Santa Catarina”. A importação chegava via aérea do exterior ao aeroporto de Curitiba. De lá, era transferida para o aeroporto de Navegantes, onde era feito o desembaraço (hum...). E de Navegantes ia para São Paulo.

O “passeio” da mercadoria se justificava pelo tal “regime especial” que além de dar incentivos, ao que parece dava abrigo aos fraudadores.

Algo me diz que esta novela ainda terá muitos capítulos, um mais emocionante que o outro.

PRIMEIRÃO. DE NOVO?
Ontem saiu a lista de 27 deputados que estão sendo investigados pelo Supremo Tribunal Federal por suspeita de envolvimento com a máfia de superfaturamento das ambulâncias. Qual o primeirão da lista? sim, o Adelor Vieira, que deve estar rezando para que as próximas listas sejam feitas em ordem alfabética de sobrenomes.

SEM RESPOSTA
Até agora a penca PMSDBFL não tem tido sorte no Tribunal Regional Eleitoral. Só nesta última semana entraram com oito representações pedindo direito de resposta em programas eleitorais (a maioria deles contra Fritsch, que está dando nos nervos do LHS com essa história de “gastança”). E o Tribunal negou todos os pedidos, porque entendeu que “não houve ofensa pessoal ou degradante”.

Os juízes acham que não tem problema criticar a administração estadual, discordar das ações e ser contra a forma como o estado era governado. Não pode é ridicularizar o oponente perante o eleitorado. E as informações sobre a dinheirama do funcionário de confiança da Fazenda também foram consideradas apenas crítica política.

É mais ou menos como, num jogo de futebol, o árbitro não interromper o jogo a toda hora e deixar a coisa correr. Resta ao time que se sente prejudicado se aplicar mais e tentar fazer os gols que vão levantar a torcida.

12 comentários:

Carlito Costa disse...

César,

Gostei do seu comentário sobre o caso Miltinho. Ponderado como sempre, é uma boa contribuição ao debate. Mas convenhamos, a explicação de que o colunista cometeu um erro de boa fé seria crível caso se trata-se de copiar uma ou duas notas, mas não dezenas, durante pelo menos um ano. Minha preocupação é que a discussão descambe para o bairrismo - o que ainda não aconteceu, creio. Rosana Hermann não usou a expressão "plagiador catarinense" e até elogiou Florianópolis num dos posts.

Carlito Costa disse...

Desculpe o erro de digitação no comentário anterior. Onde está escrito "trata-se", obviamente, leia-se "tratasse".

Cesar disse...

É usei indevidamente as aspas na expressão "plagiador catarinense". Teria sido mais apropriado usar o itálico, porque, de fato, com as aspas parece que ela teria dito.
Também espero que o bairrismo não se atravesse e prejudique a discussão que, de resto, é importante e interessa a todos nós que, de uma maneira ou outra, vivemos de criar, compor e expor.

Anônimo disse...

Cesar,

Quando se escreve uma coluna diaria, se tem personagens e colaboradores. Quase todos sao assim. O mais fomoso deles, Zozimo Barroso do Amaral, dava 400 telefones dia para seus informantes/colaboradores/personagens. Em epocas de Internet a dinamica mudou tornando-a mais agil. As trocas de email substituiram os telefones. Os emails tambem tornaram as pessoas mais preguicosas. Esse foi o maior erro. Nada o justifica. O colunista ja admitiu o erro. Agora precisa fazer um pouco mais. O que? nao sei! Mais precisa, em principio em respeito aos seus leitores e depois em respeito a Jornalista copiada. O que fica e que na internet tudo fica muito exposto.

Leonardo disse...

Excelente o BLOG. Boas informações, textos bem escritos, dinâmicos. Excelente trabalho colega jornalista.

Prazer em conhece seu BLOG.

Convido-o para conhecer o meu, chamado "BEDELHO".

Abs.

Anônimo disse...

tudo muito bom mas gostei mesmo da frase: mais vale uma festa em Cuba do que uma campanha difícil aqui. hahaha e essa comprinha basica da rbs, hein? abraços marli
(eu ja tinha deixado esse comentario mas acho que apertei o botao errado e nao saiu nada antes. entao, to repetindo

Danniella disse...

Olá Cesar. Cheguei aqui através do QL da Rosana Hermann e gostei muito do seu espaço. Sou catarinense, moro em SP, e já linkei seu blog para o meu "favoritos" para me manter antenada com as notícias, principalmente as políticas, da minha terra. Um abraço e parabéns pelos textos.

Anônimo disse...

Perde o Estado de Santa Catarina com a venda do Jornal A Noticia. Concentracao de midia na mao de um grupo so. Nada mais lamentavel. A RBS lanca um jornal popular para acabar com O Dia dos Petrellis. Vai vender pela metade do preco. Briga de gente grande. Vamos acompanhar

Cláudio Rúbio disse...

Aprende-se a ser plagiador na escola. Hoje em dia, não fosse o plágio, não haveria tantos formandos. Aliás, houvesse respeito aos limites e às leis, não haveria também tantas carteiras de habilitação. Temos visto crescer também o número dos que se irritam com a indignação das vítimas, como fizesse parte da boa educação deixar-se atingir pelo agressor. Respeito é bom, mas muita gente só se preocupa com isso quando se trata de ser respeitado, não de respeitar. É o caso. Abraços!

Diogo disse...

Tio César (aluno de jornalismo da UFSC pode ter essa intimidade, não é?), você tem informações do atual estado financeiro e administrativo do AN? Podería apurar isso e tentar nos explicar os motivos do jornal em aceitar a oferta da RBS? Obrigado!

Eloy Figueiredo disse...

Vi teu blog sendo recomendado no COLUNA EXTRA do jornalista Alexandre Gonçalves. Parabéns, excelentes matérias!

Eloy

Vinicius disse...

Esse miltinho (não merece nem letra maiúscula) só se acha jornalista, porque não é. Só escreve porcaria, além de ficar querendo formar opiniões.