segunda-feira, 7 de agosto de 2006

SEGUNDA

DE OLHO EM CRICIÚMA
No sábado fui a Criciúma participar do painel “O texto político” na Feira do Livro da cidade. Realizado ao ar livre, na fantástica, acolhedora e simpática praça Nereu Ramos, sob cujas numerosas árvores, aos sábados, circula uma multidão (fotos), o debate teve, como atrações principais, Archimedes Naspolini Filho e Adelor Lessa, que são figuras conhecidas e respeitadas do jornalismo e da literatura de Criciúma.

Eu fui convidado porque a rádio Som Maior Antena1, de lá, que transmite meus comentários duas vezes por dia, é líder de audiência e aí a Fundação Cultural de Criciúma achou que poderia ser interessante mostrar a cara desse sujeito cheio de palpites e gracinhas.

Embora na fotinho acima o Adelor esteja olhando para longe e o Archimedes esteja quase dormindo, dando a impressão que eu estava fazendo um longo discurso muito chato, foram todos muito gentis, atenciosos e hospitaleiros. A Feira continua até o próximo sábado nessa bela praça que é, literalmente, do povo.

O ASSASSINO DA RANGER
Mais um caso pra gente acompanhar: o imbecil assassino que, guiando uma Ranger, furou o sinal e pegou em cheio outro carro, matando uma menina e quase matando um rapaz. O maluco fugiu a pé, deixando a tia e a empregada dentro do carro. E mesmo assim, a polícia, boazinha, vai esperar que ele se apresente espontaneamente. Pode?

PSB BATE NO “LUIZ 15”
Eu estava achando que o Sontag fosse LHS desde criancinha e que estivesse se preparando para engatar na penca do PMDB/PSDB no segundo turno. O colunista Prisco Paraíso chegou a falar nisso na semana passada em A Notícia. Mas aí o novo site do diretório de Florianópolis do PSB iniciou uma campanha contra o metrô de superfície da capital, que é proposta de campanha de LHS. E só o chama de “Luís 15”.

Bom, pode ser que essa história de Sontag ser “claramente linha auxiliar do LHS” esteja incomodando e eles resolveram dar a impressão que estão contra (pero no mucho), liberando a militância para bater um pouco no “adversário”. Ou então a turma da capital é que resolveu bater no LHS sem conhecimento ou autorização do candidato ao governo. Vamos ver no que dá. Se é que vai dar.

Na foto acima, sexta-feira, um caminhaozão de som do Sontag circulava na avenida Beira Mar sem o Sontag.

CALÇADA ACOLHEDORA
Até onde sei, não se pode estacionar sobre a calçada, que é local privativo para circulação de pedestres. Pois na sexta este carro do TRE (placas MCC-4416) ficou um tempão estacionado em cima da calçada na rua Marcos Cardoso Filho, em frente ao n° 186, no Córrego Grande. A foto acima foi batida às 13h30min (os repórteres do DIARINHO ainda ficaram por ali uns 10 minutos para ver se aparecia alguém).

É claro que o pessoal do TRE, que se preocupa tanto com o cumprimento da legislação e a correção dos procedimentos, ficará com os cabelos em pé ao ver como seu veículo é utilizado.

Um comentário:

Wladimir disse...

César Valente,

A respeito de seu comentário no site sobre o PSB de Florianópolis, quero informar que a opção correta é a segunda, que você mesmo citou: "a turma da capital é que resolveu bater no LHS sem conhecimento ou autorização do candidato ao governo".

Pode ter certeza de que o PSB de Florianópolis não é, e nunca será - enquanto socialistas estiverem na sua direção - linha auxiliar do Luiz 15.

um abraço,

Wladimir Crippa
1º Secretário do PSB de Florianópolis