sexta-feira, 27 de janeiro de 2006

SEXTA

LHS DÁ UM PRESENTÃO PARA A ACI
A bela casa da foto lá em cima, onde o ex-presidente Nereu Ramos morou, no centro de Florianópolis, será reformada para abrigar uma Fundação do Badesc (que agora só atende se a gente chamar de “Agência de Fomento de Santa Catarina”) e, como um presentão especial, a Associação Catarinense de Imprensa (a ACI, que também atende se a gente chamar de “Casa do Jornalista”).

Apesar da cara séria do governador e do Moacir, todos devem ter ficado bem contentes.

O governador LHS (à esquerda), porque terá um local mais legal para dar suas coletivas sempre que voltar das inúmeras viagens que fará, se for reeleito.

O presidente do PMDB de Florianópolis (e presidente do IPUF) Carlos Farias (de óculos escuros), porque apareceu na foto histórica.

O presidente do Badesc (digo, da AFOMESC), Renato Viana (à direita), porque vai poder instalar a Fundação Fernando Beck (que não tenho a menor idéia do que vai fazer).

E o próprio Moacir Pereira (na foto ele é o que tem mais cabelos), que peregrinou um bocado pelas repartições governamentais em busca de uma sede maior e melhor e acabou conseguindo.

Não tá na foto, mas teve sua participação nessa engenharia toda, o Secretário da Administração, Marcos Vieira. Que também conseguiu, para o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, outro belo casarão do centro, o da antiga Academia de Comércio, na Hercílio Luz.

Espero que o grande presente não venha a comprometer a necessária independência nem tolher a liberdade com que toda entidade associativa apartidária deve exercer suas atividades.

O AJUDANTE DISTRAÍDO
O texto do artigo que o governador LHS mandou para os jornais do interior (Diarinho inclusive) nesta semana, tinha anexado, por engano, um bilhete que não era destinado aos jornais.

Dizia o seguinte:
“Segue anexa a sugestão de texto para os jornais do interior. Favor entregar ao governador com a máxima urgência, para que ele possa fazer as alterações que julgar necessárias ainda hoje. Tenho prazo final até às 16hs de hoje para enviar o texto aprovado aos jornais.”
É, com certeza, um bilhete do autor do artigo (um ajudante do governador que também escreve seus discursos) para alguém no Gabinete, que deveria mostrar o texto para o LHS.

Depois de aprovado, o artigo deveria ter sido encaminhado para os jornais sem o bilhete. Mas alguém dormiu no ponto. Agora, quem ainda não sabia que LHS tem um ajudante para escrever artigos e discursos, ficou sabendo.

O PERIGO DOS RECADOS
Com o e-mail a coisa ficou pior, mas é muito fácil e comum esquecer pedaços de mensagens que deveriam ter sido deletadas, ao encaminhar algum texto para alguém. O que aconteceu com o artigo do governador é apenas um cochilo sem importância.

Uma vez um jornalista, num dos jornais de Santa Catarina, mandou uma reportagem por telex e, no final, um recado para seu editor, onde comentava sobre o entrevistado chamando-o disto e daquilo. Pois não é que o recado acabou sendo publicado junto com a matéria? Deu um rolo estadual.

DECORAÇÃO EMENDADA
A prefeitura de Florianópolis ainda nem tirou direito a decoração de Natal e já começa a colocar a decoração de Carnaval. Deve ser uma Operação Festa Contínua ou coisa parecida.

A antiga cadeia, depois Câmara dos Vereadores, parece que está destinada a ser a sede de todas as festas. Foi a Casa do Papai Noel e agora é a casa do Samba. Teve a padaria do Papai Noel e agora terá a oficina de Momo: serão fabricadas fantasias e adereços, para que o povo veja como o Carnaval dá trabalho.

E terá também uma espécie de museu da folia, com a história da festa na cidade e memória de cada uma das escolas de samba. Ficará aberta até 3 de março. A partir daí, imagino, será a Casa do Coelhinho ou, quem sabe, a Casa do Chocolate Mágico, uma coisa assim.

Desde a década de 60 a igreja Nossa Senhora da Salete era um dos cartões postais de Criciúma, com seu telhado pontudo (acima). Daí, na noite desta quinta, um tornado reduziu a cacos uma ala inteira (abaixo). Um desastre inacreditável. O pouco que sobrou da igreja terá que ser demolido.

Um comentário:

Ilton disse...

DECORAÇÕES NATALINAS E CARNAVALESCAS. Pelo menos aí vocês têm - se é que isto é importante. Aqui não se faz nada nem em uma nem em outra ocasião. Uma vez, em 1999, perto do Natal, vi um movimento diferente, de estrados e luzes piscantes defronte ao Estádio Beira-Rio. Pensei que fosse decoração natalina, mas era apenas a instalação de duas lombadas eletrônicas, uma em cada pista...